Repórter Maxicar

Ford T5, mas pode chamar de Mustang

Ford T5

Por questões de registro de marca, a norte-americana Ford teve que rebatizar os Mustangs vendidos na Alemanha. Nascia assim o Ford T5

Ford Mustang. Esse precursor dos chamados “Pony Cars” (ao lado do Plymouth Barracuda) foi lançado em abril de 1964 e sacudiu o mercado norte-americano de automóveis. Moderno, bonito, potente, barato e com várias configurações, já em seu primeiro ano vendeu mais de 400 mil unidades e fez enorme sucesso entre os jovens.

Logo esse sucesso se espalhou mundo afora. Eram tempos de “Guerra Fria” e a então Alemanha Ocidental abrigava um grande contingente de militares norte-americanos, a maioria de jovens soldados que logo quiseram adquirir aquele carro-sensação e levá-lo para a Europa.

O caminhão Krupp Mustang exigiu que a Ford rebatizasse seu carro para o mercado alemão


Mas para exportar seu Mustang a Ford esbarrou numa questão legal. Na década de 1950, a Krupp — uma fabricante de armamentos e veículos para o Exército Nazista durante a II Guerra Mundial — passou a fabricar caminhões civis batizados de Krupp Mustang. Assim a empresa passou a ser detentora dos direitos sobre a marca “Mustang” na Alemanha, o que durou até 1978.  

Para contornar o problema, a Ford mudou o nome dos Mustangs a serem exportados para aquele país, rebatizando-os de Ford T5 — que era o nome-código interno na Ford durante o desenvolvimento do modelo.

Ford T5: poucas diferenças

Os Ford T5 eram praticamente iguais aos Mustangs vendidos no EUA e resto do mundo. As únicas diferenças estavam nos emblemas externos e internos, já que palavra “Mustang” não poderia aparecer em absolutamente lugar algum. O manual do proprietário era bilingue inglês/alemão e o velocímetro em quilômetros ao invés de milhas. Houve mudança também nas cores das lanternas, para atender a legislação europeia.


Embora a maioria dos compradores do Ford T5 tenha sido de soldados norte-americanos, ele foi vendido também para a população alemã. Por isso, a Ford investiu em versões em idioma alemão de seus folhetos de propaganda.

O Ford T5 estava disponível nas mesmas três versões do Mustang convencional: Hardtop, Fastback e Conversível; em variadas motorizações e pacotes de opcionais.

Muitos dos Ford T5 foram vendidos por seus primeiros proprietários a alemães e permaneceram por lá. Outros foram levados de volta aos EUA por seus proprietários militares, quando eles retornaram ao seu país.

Um Ford T5 no Brasil

As vendas do T5 tiveram início em 1965, mas os registros de quantos foram vendidos nos dois primeiros anos de exportação foram perdidos pela Ford. Mas se sabe que entre 1967 e 1973 foram enviados 3.631 carros para a Alemanha. O site t5.com tem atualmente o registro de 480 exemplares remanescentes.

Esse Fastback GT 1967 que serviu de “modelo” para nossa reportagem, foi vendido na Califórnia em 2019 por US$ 60 mil.

Ford T5

O colecionador brasileiro e seu Ford T5, fotografados por nós em 2011


Em 2011, durante a cobertura do então Encontro Paulista de Autos Antigos, em Águas de Lindoia-SP, nós do Maxicar pudemos conhecer de perto um desses raros Ford T5, que na ocasião pertencia ao colecionador José Alexandre Kemenes. Não temos notícias se atualmente o carro ainda pertence a ele. Mas é possivelmente o único exemplar do Brasil.

Texto e edição: Fernando Barenco
Fotos: Bring a Trailer e divulgação

Deixe seu comentário!

CADASTRE SEU WHATSAPP PARA RECEBER.

Novidades dos Classificados

Volta Redonda 2024