Colunista Convidado

Ford Maverick: quer saber como o ícone dos anos 1970 foi transformado em picape?

Ford Maverick

O que em um primeiro momento parece “loucura de designers” ou “tendências de mercado”, é, na realidade um caminho que a Ford já vinha traçando há décadas. Vamos conhecer?

O nosso idolatrado Ford Maverick, com a carroceria Coupê ou Sedan, que conhecemos e cultuamos, ficou em produção pela Ford no mercado das Américas entre os anos de 1969 e 1979, considerando os cinco países onde foi produzido e comercializado. Sabemos que nestes anos, foram produzidos mais de 5 milhões de unidades em diversas versões nas fábricas da Ford nos EUA, Canadá, México, Venezuela e Brasil. Um verdadeiro sucesso!

Com a chegada da nova versão do Maverick, no formato de picape, muitos estão surpresos ou até inconformados com a migração que a Ford está fazendo.

Pois bem, pessoalmente também considero com mais personalidade o modelo dos anos 1970, mas analisando o histórico do uso do nome MAVERICK ao longo das décadas, fica mais fácil entender este movimento, com foco nos mercados europeus e asiáticos.

ANOS 1980


A Ford na Ásia, em parceria com a Nissan (Japão), desenvolveu um modelo tendo como base o Nissan Patrol. Este mesmo veículo seguiu também para a Austrália, onde foi SUV e uma picape de serviço, bem rústica mesmo.

Ford Maverick

Manual de reparos do Ford Maverick e Nissan Patrol


A mecânica do Maverick “asiático” era a mesmo do Patrol, ou seja, duas opções de motores 6 cilindros ambos 4.2, mas, um a gasolina com 167cv e ou outro a diesel e com 113cv. A tração integral (4×4) estava presente em ambos. O padrão de acabamento podia ser o básico XL ou o luxuoso XLT. O Ford Maverick com base no Nissan Patrol foi produzido entre os anos de 1988 e 1997.

ANOS 1990


Contudo, a parceria com a Nissan renderia outro fruto com o nome Maverick, mas desta vez, o foco era o mercado europeu. E assim, foi produzida uma SUV compacta, de pequeno porte com carroceria 3 portas e, a de médio porte com 5 portas. O Maverick “europeu” era montado com base no Nissan Terrano II e ficou em produção entre os anos de 1991 e 2003, tendo duas gerações e alterações estéticas ao longo dos anos.

A 1ª geração que vai até por volta de 1999, trazia tração integral (4×4) e carrocerias de 3 e 5 portas, chamadas de SWB (short wheel base) e LWB (long wheel base) respectivamente. Em termos de motores foram ofertadas as seguintes opções:

• 2.4, gasolina, 114cv (até 1996)
• 2.7 TD, turbo diesel, 100cv (até 1996)
• 2.4, gasolina, 116cv (de 1996 a 1999)
• 2.4i, gasolina, 124cv (de 1996 a 1999)
• 2.7 TD, turbo diesel, 125cv (de 1996 a 1999)

Em termos de acabamento, as versões disponíveis eram a GLS (3 e 5 portas) e motores 2.4 e, a GLX, Aspen e Chasseur, estas com os motores 2.7 TD, além das mesmas opções de 3 ou 5 portas.

ANOS 2000


A 2ª geração do Maverick (Nissan Terrano II) surgiu na virada do século e foi até 2003. Mais enxuta que a geração anterior, ganhou faróis retangulares e nova frente e traseira. Mantinha a tração integral (4×4), passou a ter a única opção de carroceria com 5 portas e somente no padrão XLT de acabamento.

Em termos de motores, tudo novo, e agora com apenas duas opções, sendo um 2.0 com 122cv e o outro, um 3.0 com 194cv, ambos a gasolina. Opcional mesmo, apenas o câmbio automático na versão de maior potência.

Veja como é muito parecido com o Nissan Terrano II (acima).

ANO: 2022

Ford Maverick

A recém lançada picape Ford Maverick


E assim, chegamos ao momento atual com a volta o nome MAVERICK na linha de produtos da Ford. Conforme amplamente divulgado e de conhecimento geral, trata-se de uma picape. Algo assim, como apresentado aqui neste material, já havia ocorrido lá na Austrália com parceria da Nissan (Patrol) no final dos anos 1980.

A versão atual tem motorização híbrida com 193cv (combinando motor 2.5 a combustão e um elétrico) ou um 2.0 turbo à gasolina com 253cv. As versões de acabamento são a XL, XLS e Lariat e opção de tração 4×2 ou 4×4.

Conclusão

Para o mercado das Américas o fato de o Maverick ter virado uma picape é algo inusitado mesmo, afinal não temos esta vivência ou tínhamos qualquer expectativa neste sentido. Contudo, pensando em produtos globais e o mercado atual, o nome MAVERICK já traz esta configuração em seu histórico, portanto, um movimento natural sob o ponto de vista da corporação Ford.

Agora, se você é como eu, um aficionado pelo modelo produzido e vendido no mercado das Américas, convido a conhecer tudo (ou quase) sobre este ícone da Ford adquirindo o livro Universo Maverick. São 320 páginas e mais de 200 imagens e fotos. Conheça os detalhes desta história de sucesso.

Informações direto com o autor por meio do email: paulwgregson@gmail.com ou via Instagram => @universomaverick.

FONTES: FORD Spain / Ford UK / Ultimatespecs / Parkers.co.uk / Wikipedia / flick.com / fordauthority.com /automotivebusiness.com.br / curbsideclassic.com / the universal car news

Paul William Gregson

Diretor do Clube do Ford V8 do Brasil, membro do Maverick Comet Club International (EUA). Autor dos livros: Maverick - um ícone dos anos 1970; Universo Maverick; e Galaxie - o grande brasileiro (em co-autoria com Dino Dragone)

ANUNCIE GRÁTIS!