MaxiBlog

Duesenberg Modelo J, o preferido dos magnatas e astros de cinema

Ele já serviu ao presidente da Coca-Cola e a artistas como Clark Gable e Greta Garbo. Agora esses dois exemplares Conversíveis irão a leilão e serão vendidos por alguns milhões de dólares

A Duesenberg nasceu como uma fábrica de carros esportivos em Des Moines, no estado do Iowa. Foi fundada pelos irmão Frederick e August Duesenberg e fez muito sucesso nas pistas, tendo inclusive vencido por quatro vezes as 500 Milhas de Indianapolis.

Em 1925, a empresa foi comprada pelo magnata Errett Lobban Cord — dono das marcas Cord e Alburn — e logo mudou-se para Alburn, Indiana, passando a produzir alguns dos melhores, mais luxuosos e naturalmente mais caros automóveis americanos de sua época, rivalizando com marcas europeias.

Clark Gable e seu Duesenberg SSJ
Clark Gable e seu SSJ

Astros de cinema como Gary Cooper, Rodolpho Valentino, Clark Gable e Greta Garbo podiam ser vistos se exibindo em seus ‘Duesys’ — como eram apelidados — por paragens hollywoodianas.

A falência da Duesenberg em 1937

Mas os anos 1930 foram difíceis para os americanos, reflexo da Grande Depressão de 1929. Não havia mercado para esse tipo de automóvel e a Duesenberg acabou fechando as portas em 1937.

Atualmente os Duesenberg são cobiçados pelos mais abastados colecionadores de carros clássicos pré 2º Guerra Mundial do todo o mundo. E os valores em leilões batem recordes seguidamente.

E certamente não será diferente com esses dois especialíssimos exemplares do mais famoso e último modelo da marca, o ‘J’, que estarão entre as principais atrações de um leilão realizado pela Mecum Auctions, que acontecerá em Indianapolis entre os dias 14 e 22 do mês que vem.

Duesenberg Modelo J

O primeiro é um Modelo J Conversível Berline, com carroceria Rollston. Na época, carros de marcas de prestígio como os Duesenberg geralmente recebiam carrocerias especiais, criadas por diversas “encarroçadoras” independentes. A fabricante entregava ao cliente apenas o chassi, a mecânica e alguns detalhes de acabamento, como parachoques e grade do radiador. Todo o restante do design ficava por conta da encarroçadora. No caso dos Duesenberg Modelo J, grande parte dos 480 exemplares foram produzidos desta forma.

Fabricado em 1936, este enorme e luxuosíssimo automóvel preto com interior caramelo, ostenta a última carroceria Rollston (a empresa faliu em 1938) sobre um chassi longo de entreeixos de 153,5 polegadas (3,90 m). Foi exibido no Salão do Automóvel de Nova York daquele ano e comprado pelo então presidente da Coca-Cola, Conkey Whitehead, que pagou por ele a fortuna de US$ 17 mil. Para se ter uma ideia, naquela época um trabalhador americano médio ganhava por volta de US$ 2.500 por ano.  Seu motor é o famoso Straight 420 de 8 cilindros em linha de 265hp com câmbio de três marchas.

Turbocompressor e 320hp

O segundo Duesenberg a ser leiloado não é menos impressionante. Com carroceria e interior num tom de vermelho vinho, é um Modelo SJ Conversível Victoria 1930. SJ porque seu motor Straight de 8 em linha é equipado com turbocompressor, o que eleva sua potência para 320hp.

Foi comprado zero km pelo famoso músico de “big bands” Paul Whiteman. Sua carroceria original foi fornecida por outra encarroçadora, a Le Baron, mas foi substituída pela atual Rollston quando o carro era ainda semi-novo, em 1935. Seu chassi tem entreeixos um pouco mais curto que o do carro preto: 143,5 polegadas (3,65 m).

Ambos são igualmente incríveis e possuem os característicos para-choques dianteiros apelidados de “gravata borboleta”. E ambos certamente serão vendidos por valores na casa dos milhões de dólares. A conferir.

Texto e edição: Fernando Barenco
Fotos: Mecum Auctions


Leia também

Espalhe por aí!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário