Repórter Maxicar

Chevrolet versus Chrysler. Qual você prefere?

Em leilões que acontecem esse mês nos EUA, duas incríveis coleções: uma de Chevrolets fabricados dos anos 1950 aos 70. E a outra que reúne exclusivamente Chryslers 300 das décadas de 1950 e 60

Duas tradicionais casas americanas de leilões de automóveis promovem este mês a venda de duas fantásticas coleções de modelos para lá de clássicos e desejados, seja pelo design, seja pela potência.

O primeiro é promovido pela Barrett-Jackson e acontece em Scottsdale, Arizona, entre os dias 20 e 27 de março. Em quantidade, a Raser Collection leva ampla vantagem para a segunda coleção, sobre a qual vamos falar a diante.

São nada menos que 24 Chevrolets, pertencentes ao colecionador Gary Raser, um menino pobre da Califórnia, que sonhava um dia ter na garagem o modelo potente da marca da gravatinha. Enriqueceu e viu seu desejo mais do que realizado.

Chevrolet Raser Collection

A Raser Collection é composta basicamente de Chevelles e Bel Airs, incluindo os modelos 150 e 210

O resultado está aí: são sete exemplares da linha Chevelle, incluindo três da mítica versão SS LS6 454 de 1970. Completam o time Chevelle quatro SS 396, sendo um Conversível 1970, e três Hartops, de 1966, 1969 e 1970.

Os Tri-Chevys

Outros 15 carros são da famosa linha “Tri-Chevy” (ou Tri-Five), que são os revolucionários Chevrolets produzidos entre 1955 e 1957.

De 1955 há um Bel Air Conversível. Fabricados em 1956 são três Bel Air Conversíveis e uma SW Bel Air Delivery — com somente 300 fabricadas naquele ano. Do ano 1957 o plantel é bem variado. Anote aí:  quatro Bel Airs Conversíveis; dois Bel Airs Hardtop; uma SW Bel Air Delivery — com produção ainda menor que em 1956: 92 exemplares; uma Nomade; um 150 Businness Sedan; e por fim um 210 Sedan duas portas.

Fugindo do script, de quebra há ainda um Camaro SS Coupê 1969 e uma pick-up 3100 1952, que no Brasil ficou conhecida como “Boca de Sapo”. Ela, aliás, é a única com motor 6 cilindros de toda a coleção. Os demais são equipados com V8 de variadas potencias.

Podíamos encerrar a matéria aqui, que estava de bom tamanho! Mas vamos à segunda parte.

Sopa de letrinhas

Como falamos, a segunda coleção a ser leiloada é bem mais modesta em termos de quantidade. Mas só neste item mesmo. São seis Chryslers 300 produzidos entre 1957 e 1963 — sim, falta um 1961 para completar a sequência.

Criação do lendário Virgil Exner, a saga do 300 começou em 1955 com o lançamento do C300 que de cara abalou a concorrência com seu poderoso motor Hemi 331 de 300hp (daí o nome do carro) e seu estilo “Forward Look”. O Chrysler 300 foi um dos modelos americanos mais potentes de sua época, superando inclusive esportivos.

Este coleção — que será vendida pela Mecum Auctions entre os dias 18 e 20 de março, em Glendale – também no Arizona — começa com um 300C Conversível 1957, cuja produção foi de apenas 484 carros.

Aqui cabe uma explicação: o primeiro Chrysler “Série Letter”, como é chamada,  foi o 1955 já citado e o único cuja nomenclatura tem a letra antes dos números. No ano seguinte foi lançado o 300B, na sequência o 300C de 1957 e assim por diante, até o 300M de 1966. Não houve a letra ‘a’ e nem a letra ‘i’ (para não haver confusão com o número 1).

O modelo mais moderno da coleção é um 1963 Conversível série especial Pace Car das 500 Milhas de Indianápolis daquele ano. O motor é um V8 Hemi 383. Esta versão não levou a letra “J” no nome, como a versão convencional.

Em seu material de divulgação, a Mecum não informa se os seis carros pertencem ao mesmo proprietário.

E então? Independentemente da quantidade, qual dessas coleções faz mais a sua cabeça?

Texto e edição: Fernando Barenco
Fotos: Divulgação Barrett-Jackson e Mecum


LEIA TAMBÉM

Espalhe por aí!
  • 122
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    123
    Shares

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

ANUNCIE GRÁTIS!

Web Stories

Encontros de carros antigos Os carros mais “felizes” do mundo! Onde foram parar as nossas peruas?