Repórter Maxicar

Museu Porsche faz passeio por província chinesa com carros de seu acervo

Museu Porsche

Modelos 356 e 911 pertencentes ao Museu Porsche percorreram os recantos da tradicional província de Yunnan, há dois mil metros acima do nível do mar

Yunnan, há dois mil metros acima do nível do mar, é uma província chinesa pouco conhecida que está repleta de tradição, cultura e terraços de arroz tão bonitos que têm status de Patrimônio Mundial da UNESCO. Em 2019, antes da crise do coronavírus começar, o Museu Porsche enviou uma frota de carros históricos em uma viagem fascinante para o sudoeste da China…


A neblina sobe as encostas íngremes encobria os veículos históricos de Zuffenhausen em um véu místico. Eles estão em uma jornada através de Yunnan para levar lições do passado e presente para o futuro. Com mais de 47 milhões de habitantes e cobrindo mais de 400.000 quilômetros quadrados, esta província no sudoeste da China é maior que todo o Japão. Na fronteira com Laos, Vietnã e Mianmar, Yunnan representa uma extraordinária variedade de diferenças culturais e geográficas – desde picos cobertos de neve, até falésias de calcário, selvas e vulcões.

A comunidade Hani

A primeira etapa do passeio leva os participantes – jornalistas da Ásia – à comunidade Hani, uma das mais de 50 minorias étnicas oficialmente reconhecidas na República Popular da China. Eles vivem em casas em forma de cogumelo, construídas com materiais naturais como bambu, madeira e argila. Os telhados são cobertos com palha, o que tem um efeito de aquecimento no inverno e de resfriamento no verão. Seus ancestrais no sul de Yunnan começaram a construir terraços de arroz nas encostas íngremes das Montanhas Ailao há cerca de 1.300 anos. Essas obras-primas da arquitetura paisagística lembram desenhos artísticos em tons violetas, verdes, amarelos e azuis.

Museu Porsche

Ponte sobre um dos lagos da província

Os moradores hospitaleiros continuam a tradição até hoje, passando seus conhecimentos de geração em geração. Os terraços de arroz do povo Hani em Honghe são patrimônio mundial da UNESCO desde 2013. Ao longo dos séculos, sistemas de irrigação sofisticados usando tubos de bambu e pequenas valas foram desenvolvidos. Os Hani ainda vivem com e da natureza. A piscicultura também é integrada ao sistema de cultivo de arroz. Os peixes nadam nos terraços, comendo ervas, pragas e gramíneas e proporcionando fertilização natural.

Li Zhou, jornalista da National Geographic Traveller, conta sobre a canção com a qual os Hani receberam seus visitantes, e que está incluída na lista da UNESCO de Patrimônio Cultural Imaterial. A canção é em uma língua na qual não há palavra para “guerra”, porque a coesão da comunidade é uma necessidade existencial para as pessoas que vivem nas montanhas íngremes. A província de Yunnan é como um concentrado de características extraordinárias. Para Zhou, os modelos coloridos da Porsche são de uma harmonia perfeita: “Para mim, o que foi tão marcante sobre a viagem foi o conceito de colocar veículos históricos em um contexto com costumes tradicionais”.

Montanhas de 6.000 metros e rios que nunca se encontram

Intercâmbio cultural através das paisagens espetaculares de Yunnan

A competição entre as atrações é acirrada na região com seus muitos patrimônios mundiais, incluindo os três rios paralelos nas montanhas a noroeste. Sem nunca se encontrarem, os rios Yangtze, Mekong e Salween percorrem mais de 300 km de norte a sul através de desfiladeiros profundos, passando por cadeias de montanhas glaciadas de 6.000 metros. Cerca de 500 km a sudeste fica Lijiang, com sua encantadora cidade antiga, que é patrimônio mundial da UNESCO desde 1997. Becos sinuosos, arquitetura tradicional, pequenos córregos e canais – e cerca de 350 pontes. Os painéis de porta adornados com esculturas elaboradas representam a cultura do Naxi, outra minoria étnica reconhecida.

Kunming – a “cidade da primavera eterna”

A capital de Yunnan, em contraste, é uma cidade pulsante de milhões de pessoas. Kunming fica a 1.892 m acima do nível do mar no planalto de East Yunnan e se estende ao longo do Dianchi, o maior lago de água doce da província. Devido ao seu clima relativamente ameno, Kunming também é conhecida como a “cidade da primavera eterna”. É o maior centro de produção de flores na China e conhecido principalmente por azaleias, orquídeas e prímulas. Engenharia mecânica, engenharia elétrica e metalurgia – incluindo a produção de cobre – são setores econômicos importantes da região, ao lado da agricultura.

Os visitantes que olham para o céu notarão os muitos sistemas de aquecimento solar nos telhados: os moradores cobrem até dois terços de suas necessidades de água quente com sistemas de última geração. No centro da cidade fica o Green Lake Park, um parque urbano com mais de 50 hectares de tamanho, onde pontes tradicionais conectam quatro lagos. Originalmente um reservatório de água para a cidade, o parque agora é um lugar para caminhar, fazer música e relaxar.

Obras de arte: ao longo dos séculos, os Hani desenvolveram sistemas complexos de canais para irrigar seus terraços de arroz

Preservar, abrir e transmitir cultura – essa é a missão da Porsche nesta viagem também. Com seus carros esportivos, a marca criou uma cultura de condução única que agora se espalha por todo o mundo. “Dar tanto peso à herança sem ficar parado pode ser um dos segredos da Porsche”, escreveu o jornalista Lei Yu em sua cobertura. Cinco modelos da coleção da empresa atravessaram a ponta sul da China neste tour pela descoberta: um Porsche 356 B 1600 Super 90 Coupé e quatro modelos Porsche 911 de diferentes épocas.

O participante Kiwi Zhou reflete: “A estrada atravessa os campos de terraços por um longo tempo. É quase indescritível em palavras como é dirigir um carro clássico, com Porsches vibrantes na frente e atrás de você cujas cores se misturam tão harmoniosamente com a paisagem de Yunnan.”

Viagem como meio de cultivar cultura

O grupo continua em sua viagem. Locomoção como meio de cultivar cultura – trata-se de experiências intensivas e preservação de valor, sobre a tradição e o intercâmbio ativamente vivos. Os participantes praticam a arte da tecelagem de bambu e pegam peixe para o jantar com as mãos nos terraços de arroz. Eles também batem mingau de arroz usando técnicas tradicionais e ferramentas de bambu. Mas a parte mais importante dessa viagem é o fato de que, como jornalistas, eles compartilharão sua experiência com o mundo.

Os carros pertencem ao acervo do Museu Porsche, na Alemanha

Museu Porsche – Heritage Experience

Com a Heritage Experience, o Museu Porsche criou um formato inovador que se concentra em temas como identidade, respeito e sensibilidade cultural. O objetivo é vivenciar e aprender com outras culturas. Antes da crise do coronavírus, o novo programa do departamento de Patrimônio e Museu forneceu aos jornalistas informações inesquecíveis sobre história e cultura. Os veículos da coleção da empresa formam o elo entre os dois e iniciam o diálogo. Dessa forma, o Departamento de Patrimônio promove relatórios culturalmente diversos e aguça a compreensão das origens da Porsche.

A segunda edição do programa está prevista para os EUA em outubro de 2021.

Texto: Christina Rahmes – Porsche Newsroom
Fotos: Porsche Magazine Christophorus
Tradução e edição: Fernando Barenco


LEIA TAMBÉM

Espalhe por aí!
  • 12
  •  
  •  
  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    14
    Shares

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário