Repórter Maxicar

Procura por conversíveis usados cresce na internet durante a pandemia e levanta questões sobre os modelos no Brasil

Carros conversíveis

É comum ouvir pessoas afirmando com veemência que os carros conversíveis não “pegaram” no Brasil. Em diversos momentos na história da indústria automobilística nacional houve chances de emplacar modelos como sucesso de vendas, mas isso acabou não ocorrendo como esperado.

No entanto, os conversíveis permanecem mais vivos do que nunca no mercado virtual de usados. De acordo com um levantamento de uma plataforma de compra e venda, a procura por este tipo de carroceria cresceu 40% durante a pandemia, enquanto as propostas de compra subiram 4%. Cabe ressaltar que esse aumento se deu em um período em que a venda de usados despencou 33,7% no Brasil.

Esses números trazem à tona questões sobre o caminho dos conversíveis no Brasil. Mesmo sendo um país tropical, com uma extensa região de praias, os modelos com este tipo de carroceria nunca protagonizaram o mercado de veículos. Em outros países do mundo, é muito mais comum encontrá-los corriqueiramente nas ruas, embora a venda e produção de novos modelos estejam mundialmente em baixa.

Em parte, isso se deve às questões de segurança pública. Os roubos e furtos no trânsito preocupam constantemente os motoristas das grandes cidades brasileiras, que andam cada vez mais fechados em seus carros. Há lugares onde até abrir a janela pode representar perigos. Ou seja, tudo caminhando contrariamente à liberdade e abertura do conversível.

Esse relativo fracasso de vendas também é a razão que tornam estes modelos tão queridos pelos colecionadores e antigomobilistas, em um movimento simples de explicar: quanto menos unidades, maior o preço e a admiração pelos modelos existentes. Por isso, existem até encontros criados especificamente para a exibição de conversíveis antigos.

Os motivos para ter um conversível atualmente

Considerando toda a história dos modelos, quais seriam os motivos para apostar em um conversível atualmente? Ainda é cedo para explicar concretamente esse aumento na procura por estes modelos durante a pandemia, mas algumas questões podem ajudar na reflexão.

Primeiramente, é preciso levar em conta os impactos do isolamento social e da quarentena. A sensação de enclausuramento, dentro das casas e dos apartamentos, atingiu toda a população mundial. Neste contexto, um carro conversível pode ser um símbolo de liberdade e envolvimento com o mundo externo.

Também há questões de saúde envolvidas. Um fator que poucos lembram, mas que é fundamental, é a exposição solar que o conversível é capaz de proporcionar. A Vitamina D3, que é conhecida como “a Vitamina do sol”, tem uma enorme importância para o organismo, inclusive em relações diretas com a imunidade.

Além disso, uma pandemia como a que estamos vivendo traz à tona os perigos dos ambientes fechados, principalmente os pequenos, como os carros. Por isso, a recomendação clara é sempre andar com as janelas abertas, evitando que o vírus se espalhe. Nesse quesito, nenhum modelo de carroceria consegue vencer o conversível.

Espalhe por aí!
  • 12
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    13
    Shares

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário