Repórter Maxicar

Que fim levou o Touring Club do Brasil?

No Brasil desde a década de 1920, o Touring Club foi pioneiro e uma verdadeira potência em serviços automotivos. Seus associados tinham à disposição um grande leque de serviços

O embrião do Touring Club nasceu na Inglaterra antes mesmo do automóvel, em 1875, com a fundação do English Cyclist Touring Club. Com o surgimento da indústria automobilística, ele mudou seu foco e começou a se espalhar pelo mundo. Chegou a atuar em nada menos que 78 países!

Touring Club do Brasil
Guincho, 1930

Serviços do Touring Club do Brasil

No Brasil o Touring Club chegou em 1923, numa época em que pouquíssimos abastados podiam ter um carro na garagem. Focado em serviços automotivos e turismo, o Touring Clube do Brasil teve seu auge nas décadas de 1960 e 70. Com uma rede de combustíveis e serviços espalhados por todo o Brasil (220 cidades!), hotéis próprios e credenciados, rede de oficinas conveniadas e até campings, oferecia serviços exclusivos para seus milhares e milhares de sócios:

  • Guincho em caso de defeito, com assistência 24 horas
  • Pequenos serviços mecânicos
  • Venda de peças e acessórios
  • Borracheiro e chaveiro em postos fixos ou móveis
  • Promoção de excursões e cruzeiros marítimos
  • Autoescola
  • Emissão de Carteira Internacional de Habilitação
  • Atendimento jurídico
  • Serviços de despachante, entre outros

Pioneirismo

O Touring Club do Brasil foi o primeiro órgão a emitir carteira nacional de habilitação, na década de 1930, com a criação da “Caderneta de Tráfego Interestadual”. Até então, os documentos tinham validade apenas municipal. Na mesma época ajudou na implantação das primeiras leis de trânsito em nosso país.

Touring Club do Brasil

Serviço de emplacamento. Rio de Janeiro, 1932

A partir dos anos 1950, também ficaram famosas suas placas de sinalização turística ao longo das principais estradas brasileiras e seus guias rodoviários. Turistas e viajantes tinham descontos especiais em sua rede credenciada de hotéis.

Para ter direito a todos esses benefícios, pagava-se uma anuidade, cujo valor dependia da categoria do associado. Sua viaturas amarelas — incluindo caminhões-guincho e carros de manutenção — eram famosas. Ter afixado no carro o brasão oval em metal onde se lia “Touring Club do Brasil – BR – Brésil” era um sinal de status. Tanto que até hoje é possível encontrar a venda na internet e nos encontros de carros antigos reproduções desses brasões.

Touring Clube do Brasil

Socorro em 1966. No detalhe, o famoso brasão

Seu prestígio era tanto que além de diversos títulos de Utilidade Pública, o Touring Club do Brasil ganhou do Governo Federal em 1963 um terreno em área nobre de Brasília, onde foi construído um prédio de dois pavimentos projetado por Oscar Niemeyer. Este imóvel foi leiloado em 2005. Estava totalmente deteriorado e havia sido invadido.

Novos tempos

Mas as coisas mudaram e a maioria serviços prestados pelo outrora glorioso Touring Club do Brasil passaram a ser oferecidos também por seguradoras e bancos. Internet e telefonia celular também contribuíram para o seu declínio.

No entanto, quanto à pergunta título dessa matéria:  “Que fim levou o Touring Club do Brasil?”, infelizmente não temos uma resposta.

Pesquisando sobre o assunto, encontramos apenas um site com layout de uns 20 anos e cheio de links quebrados e um perfil no Facebook sem atualizações desde 2018 e que parece ser iniciativa de algum fã.

Há ainda algumas reclamações bem recentes de usuários sobre anuidades e falta de assistência, publicadas no serviço ao consumidor Reclame Aqui, todas elas não respondidas pelo Touring.

Texto e edição: Fernando Barenco

Espalhe por aí!
  • 130
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    131
    Shares

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Novidades dos Classificados