10 Perguntas ao Presidente, com Fatima Barenco

ENTREVISTA: Celso Carvalho — Clube de Antiguidades Automotivas de Volta Redonda, RJ

“O mais importante de tudo é a amizade.
É o maior sabor que a ferrugem na veia nos traz”

Ele é um grande conhecido dos antigomobilistas de todo o Brasil. Um de seus fundadores, já esteve há um bom tempo à frente da presidência do clube. Em 2017 retornou, exatamente quando o clube completava seus 30 anos de fundação. Técnico em Edificações aposentado é casado com Silvia Marano Carneiro de Carvalho desde 1975 e tem dois filhos: Reinaldo Carneiro de Carvalho e Lygia Carneiro de Carvalho. Netos são três: dois do Reinaldo — a Gabriela, com 12 anos e o Carlos Eduardo, com 6 anos — e um da Lygia — o Caio, com 1 ano e 6 meses. “É uma família abençoada”, nos contou orgulhoso.
Abrindo a temporada de entrevistas de 2018, dou às boas vindas ao grande amigo e presidente do Clube de Antiguidades Automotivas de Volta Redonda, Celso Luiz de Carvalho, conhecido de todos como Celso ‘CarVelho’, aquele das famosas placas decorativas.

1Celso, conte-nos a história do Clube de Antiguidades Automotivas de Volta Redonda.

CELSO – Bem antes do clube ser oficializado em 1987, já nos reuníamos sempre que possível para divulgar o hobby e trocar ideias. Fizemos muitas amizades também em outras localidades. Imaginem a satisfação que tínhamos em nos reunir na praça e conseguir somente 26 carros antigos. Muito bom.

1Em 2017 o clube completou 30 anos de fundação. Nos fale de um momento marcante para o clube nessa trajetória.

CELSO – Além do dia da Fundação em 08/11/1987 e a comemoração de 30 anos em 12/11/2017, um fato marcante foi, logo após a fundação, quando conseguimos, após esforços, o credenciamento junto ao Denatran para que o clube pudesse emitir o Certificado de Originalidade de Veículos de Coleção. Somos honrados pois fomos um dos primeiros do Brasil a conseguir tal direito.

Os anuais do clube costumam acontecer na Ilha São João

1Que atividades o clube realiza além de seu encontro anual? Para 2018 o anual já tem data e local marcados?

CELSO – Reunimos todos os últimos domingos do mês no estacionamento do Hotel Bela Vista, em Volta Redonda e para este ano pretendemos realizar um megaevento no final de julho na Ilha São João ou em outro lugar a ser definido pelo nosso patrocinador.

Vista parcial de seu galpão, em Pinheiral – RJ

1Como surgiu seu envolvimento com os carros antigos? E claro, qual o seu xodó sobre rodas?

CELSO – Desde que me conheço como gente, sempre fui fanático por veículos com rodas, visto que ainda menor de idade comprei escondido do meu pai, um Chevrolet 1938 e a minha primeira revista Quatro Rodas em junho de 1966. Já tive reunido em meu galpão em Pinheiral – RJ cerca de 40 veículos antigos.  Gosto de todos, mas o meu xodó mesmo é um Caminhão Chevrolet 1946 que adquiri do primeiro dono em 1986 e que está em meu poder há mais de 30 anos. A história deste caminhão é muito interessante e contarei em outra oportunidade.

O caminhão Chevrolet é o grande xodó

1Um assunto sempre na atualidade para os colecionadores. Considera importante possuir automóveis com placas pretas? Como você vê a proliferação dessas placas irregulares?

CELSO – Vamos lá: meu ponto de vista particular é que quando trabalhei junto ao Denatran para conseguir o direito do clube na emissão do certificado de originalidade, pensávamos que a filosofia da ação seria conceder ao conservador (colecionador) o direito de não lidar com a burocracia imposta pelo Detran na conservação dos bens históricos do Brasil. Temos verdadeiras obras de arte da indústria automobilística mundial no Brasil em nossas garagens e cada vez fica mais difícil preservar. Seria como uma obra de Picasso que você tem na parede de sua casa, não paga impostos, não deve satisfação a ninguém, só mesmo na hora de vender, faz recibo e pronto. A minha última indignação é que você que lutou para possuir uma relíquia, agora só por que não está cadastrada no DETRAN não valerá de nada, pode sucatear.

1Qual a sua visão do antigomobilismo no Brasil?

CELSO – O antigomobilismo de 35 anos para cá cresceu bastante e o mais importante de tudo é sempre a amizade que fazemos no Brasil e no Mundo, isso sim é o maior sabor que a ferrugem na veia nos traz.

Com o filhos ainda pequenos e o Belcar de placas amarelas

1Em poucas palavras, o que vem à sua mente:

  • Andar de carro antigo é…  Um prazer muito grande, viajar então… a cada lugar, uma amizade.
  • Conseguir uma peça é…  Muito gostoso, principalmente quando quem está dispondo não sabe de que carro é.
  • Um carro quebrado na viagem é…  Muito ruim. Sou campeão nesta modalidade, tenho tanta história desta ação que daria para escrever um livro.
  • Fazer vistoria na sua cidade é…  Como disse sobre a filosofia do Certificado, desisti de muitos carros e motos por causa disso.
  • Inspeção veicular é… Sem comentários, não sei para que.  No posto do Detran ninguém conhece carro antigo
  • Um carro que marcou sua infância é… Um Mercury Monterey que tinha na minha cidade. Nunca mais me esqueci dele.
Em alguns eventos de outros clubes Celso faz (e muito bem!) o papel de mestre de cerimônias, como no do Grupo AGMH, em Caxambu – MG

1Agora vamos falar com o ‘CarVelho’ das placas decorativas, conhecido por todos os antigomobilistas. Nos conte um pouco sobre esse trabalho?

CELSO – Me aposentei em 1997 e em 2000 pedi emprestado ao saudoso José Aurélio Affonso, ex Presidente da Federação Brasileira de Veículos Antigos, duas placas adquiridas por ele no exterior.  Pretendia reproduzir para colocar no meu galpão. Reproduzi em chapa de aço cortada de uma prateleira e levei em uma exposição de carros antigos em Ubatuba-SP e todos gostaram da minha arte. Assim virou um negócio que se mantém há mais de 17 anos, com mais de 24 mil placas diferentes já trabalhadas em nosso portfólio. www.carvelho.com

O stand da CarVelho sempre faz grande sucesso nos eventos

1

Para quem quiser se filiar ao Clube de Antiguidades Automotivas de Volta Redonda, como deve proceder?

CELSO – Serão bem-vindos. É só entrar em contato comigo no email carvelho@gmail.com que enviaremos a proposta.

1Nossa entrevista está chegando ao fim e deixamos aqui com a palavra um grande amigo e presidente Celso ‘CarVelho’, a quem agradeço imensamente pela participação e por poder mostrar a cada mês um pouco mais sobre os clubes brasileiros. O espaço é todo seu…

A posse aconteceu durante o encontro anual do ano passado

CELSO – Agradeço em meu nome e de toda Diretoria do clube de Antiguidades Automotivas de Volta Redonda pela grande oportunidade de poder relatar um pouco da história que aos poucos vai se perdendo com a passagem de figuras marcantes no meio automobilístico. Citamos alguns que me contaram muitas histórias que deveriam ser registradas, para não se perderem como os nossos carros antigos no passado. Carlos Nunes Vilhena, Carlos Candelot, José Aurélio Filho, Og Pozzoli, Julinho Cristhiano, Mahar, Roberto Miranda, Romeu Siciliano, Edson Padeiro, Marcos do Skoda, de Curitiba e muitos outros que não me vem à memória. Viram só, esqueci! isso é o que vem acontecendo…

Estou à disposição da Maxicar e de seus leitores para qualquer situação.

Obrigado!

Atual Diretoria do Clube de Antiguidades Automotivas de Volta Redonda – RJ

  • Presidente: Celso Luis de Carvalho
  • Vice-Presidente e Tesoureiro: João Luis da Silva Prazeres
  • Diretor Secretário: Luiz Armando F. de Oliveira
  • Diretor Social: Marcos Paulo Lemos Oliveira
  • Diretor Patrimonial: Antonio Carlos Cordeiro Meira
  • Diretor Técnico: Glauber Valente Pires
  • Presidente do conselho: Ricardo Marchetein
  • Conselheiros: André Luiz dos Santos, Francisco da Silva Esteves, Nabil Sami Sorial, Paulo Pontes de Castro e Sérgio Luís Vieira Carraca

Novidades dos Classificados

Informativos pelo WhatsApp