Coberturas

2º Encontro de FNM e Caminhões Antigos – Ourinhos, SP

Os “Fê-Nê-Mê” foram os astros da festa

Evento teve também modelos clássicos e modernos da Mercedes-Benz, Peterbilt, Volvo, Ford, Scania, entre outras marcas

Quem curte caminhões antigos, levante a mão! E dos “Fê-Nê-Mê”? Nós aqui no Maxicar somos apaixonados por esses gigantes, pioneiros das estradas brasileiras. Os entusiastas desses mal-encarados fabricados em Xerém — na Baixada Fluminense — tiveram a oportunidade de admirar inúmeros exemplares no 2º Encontro de FNM e Caminhões Antigos, que aconteceu no último fim de semana, de 1º a 3 de março, em Ourinhos – SP.

Fabricados pela estatal Fábrica Nacional de Motores a partir de 1951, sob licença da italiana Alfa Romeo*, os FNM são considerados os primeiros caminhões brasileiros. Fato curioso é que como a fábrica não tinha capacidade de produzir um número suficiente de cabines para o de chassis, a produção de cabines era terceirizada a outras empresas, que desenvolviam seus próprios modelos. Então, além da Standard, de fabricação própria, havia caminhões FNM com cabines da Brasinca, Gabardo, Inca, Metro, entre outras.

O primeiro modelo foi o D-9500 (1951). Seu sucessor, lançado em 1957 foi o de maior sucesso: o D-11000, que foi sucedido pelos modelos de transição, os FNMs 180 e o 210 (1972), que depois ganharam a marca Fiat. Esses eram baseados no italiano Alfa Romeo Mille.  

Confira alguns modelos da marca presentes ao 2º Encontro de FNM e Caminhões Antigos

D-11000 1958 com cabine Metro. Diferente da Standard, tem portas convecionais e parabrisas curvos


 

Raro D-11000 V-17 1969, versão com segundo eixo direcional. Primeiro caminhão brasileiro com essa configuração


 

D-11000 1959 com cabine Brasinca


 

180 N3 1973, o sucessor do D-11000


 

Um 180 1977, já com a logomarca FIAT


 

Um muito raro ônibus Nielsen Diplomata 1970, com chassi/mecânica FNM D-11000. Já falamos sobre ele aqui no Maxicar


 

Outras marcas

Mas, embora os FNM tenham sido os astros do 2º Encontro de FNM e Caminhões Antigos, ele foi aberto a outras marcas e modelos.

Entre os destaques da Volvo, dois veículos históricos, que pertencem ao acervo da própria fábrica. O amarelo é o sueco LV 140 1951, um dos primeiros exemplares da marca importados para o nosso país. O cavalo-mecânico branco é um N10 1980. Foi o primeiro caminhão Volvo fabricado no Brasil, com chassi 001. Há alguns anos foi comprado de volta pela empresa e totalmente restaurado.

Ford Jeep CJ-5
R$ 48.000,00

R$ 25.000,00

VW Fusca 1300 1968
R$ 33.000,00

Porsche 924 1977
R$ 150.000,00

FNM 2000 JK 1963
R$ 190.000,00

FNM Jk 2150
R$ 150.000,00

VW Brasília 1974
R$ 22.000,00

Chevrolet Tigre 1946
R$ 170.000,00

R$ 45.000,00

R$ 48.900,00

A dupla histórica Volvo e os dois veteranos Ford

Da Ford, entre outros modelos, dois veteranos: um 1 ½ ton 1938 e um F-6 1952, ambos de fabricação norte-americana. E por falar em Estados Unidos, claro que não poderiam faltar os gigantescos cavalos-mecânicos de marcas como Peterbilt, International, Kenworth e GMC.

Kenworth, dupla Mercedes-Benz e picape Scania 111

Da Mercedes-Benz, aqueles modelos que dominaram o mercado brasileiro de caminhões dos anos 1970 aos 90, e seus antecessores, como o L-312 dos anos 1950, apelidado de “bicudinha” e o LP-321 dos anos 1960, o “cara-chata”.

Não poderiam faltar à paisagem os Scania, incluindo os clássicos “jacaré” dos primeiros anos no Brasil, com sua típica e exclusiva pintura laranja. Tinha até um 111 que foi transformado numa avantajada picape, cheia de estilo.

Redação e edição: Fernando Barenco
Fotos e vídeo: Odair Ferraz – Visite sua Loja Virtual


*NR: Antes da Alfa Romeo, a FNM fabricou sob licença os caminhões da também italiana Isotta-Fraschini, cuja produção foi de apenas 200 unidades. Mas essa já é outra história…

Deixe seu comentário!

CADASTRE SEU WHATSAPP PARA RECEBER.