Repórter Maxicar

1963: o ano em que a Willys quase virou AMC

Willys

Negócio entre a Kaiser — então dona da Willys — e a American Motors Corporation por pouco não se concretizou. Venda teria mudado totalmente os rumos da Willys aqui no Brasil

O site de veículos clássicos norte-americano Hemmings.com acaba de publicar um interessante artigo assinado pelo colunista Pet Foster que conta que em 1963 a nossa Willys Overland do Brasil quase se transformou numa filial da American Motors Corporation, a AMC.

Naquela ocasião, nos Estados Unidos, a Kaiser Motors — então fabricante do Jeep e outros modelos de origem Willys — propôs a venda de todo negócio para AMC. Mas comprador e vendedor não chegaram a um acordo quanto ao valor e o negócio acabou sendo adiado para 1970.

Mas se a AMC tivesse fechado o negócio em 1963, o rumos da Willys brasileira teria sido completamente diferentes do que foram e teríamos aqui a partir de então Jeep, Rural, Aero e Picape Jeep com a marca AMC.

Rambler American, AMC Javelin e AMC Gremlin: três carros que poderiam ser fabricados aqui se a Willys tivesse sido vendida em 1963


Além disso, poderíamos ter também no Brasil outros modelos de passeio que já eram produzidos pela AMC em 1963: os Rambler Ambassador, American e Classic; depois, a partir de 1968 o AMX, o Javelin e o Rebel; e a partir de 1970 o estranho e adorável Gremlin. Não seria o máximo?

A trajetória da Willys nos EUA e no Brasil

Para entender essa possibilidade que acabou não se concretizando, é necessário conhecer um pouco da trajetória da Willys nos Estados Unidos e de sua filial brasileira.

VW Fusca 1964
R$ 39.000,00

Fiat Coupê 1995
R$ 60.000,00

Ford Corcel de Luxo
R$ 30.000,00

FNM Jk 2150
R$ 135.000,00

Mercedes-Benz 280S 1971
R$ 150.000,00

Ford LTD 1978
R$ 86.000,00

BMW 740i 1997
R$ 95.000,00

FNM 2000 JK 1963
R$ 175.000,00

VW Fusca 1300L 1977
R$ 35.000,00

Fundada em 1908, a Willys Overland produzia apenas automóveis de passeio. O grande “pulo do gato” aconteceu em 1940, durante a Segunda Guerra Mundial, quando ela venceu a licitação do Exército dos EUA para a produção do Jeep Militar (missão dividida com a Ford). Com o fim do conflito, a Willys passou a fabricar o Jeep civil e uma gama de modelos baseados nele.

Em 1953 a Willys-Overland se fundiu à Kaiser Motors, formando a Willys Motors Incorporated. As operações da ‘nova’ Willys permanecem em Toledo, Ohio. A Kaiser amplia a linha de modelos Willys, mantendo os antigos.

A partir de 1970, os modelos da antiga Willys passaram a ter a marca AMC nos EUA


Em 1970, finalmente todos os negócios da Kaiser são vendidos a AMC. No entanto, a filial brasileira da Willys já havia sido vendida quatro anos antes para a Ford, que manteve em produção a antiga Linha Willys nos anos seguintes, agora com o oval azul. O último modelo a deixar de ser fabricado foi o próprio Jeep, em 1984.

Mas o artigo da Hemmings é mais amplo e fala também em paralelo da filial argentina da Kaiser, a Indústrias Kaiser Argentina (IKA). Mas resolvemos nos ater à Willys, que para nós é o aspecto mais interessante. Mas você pode conferir o artigo completo (em inglês) nesse link.

Outro rumo também para a AMC

O principal objetivo do ótimo artigo foi o de abordar um outro aspecto.  De acordo com o autor, “O erro mais estúpido que a AMC já cometeu foi não comprar a Jeep antes. Isso os tornaria uma montadora de classe mundial” . Não apenas pela enorme ampliação de seus negócios nos EUA, mas também pela aquisição das filiais sul-americanas. E continua o autor: “O fracasso em comprar a Jeep em 1963 foi provavelmente o fator principal de sua aquisição pela Chrysler”.

Redação e edição: Fernando Barenco
Imagens: a partir de propagandas da época


Deixe seu comentário!

CADASTRE SEU WHATSAPP PARA RECEBER.

Novidades dos Classificados

Volta Redonda 2024