Marcas Extintas

Saab, a tradição sueca em construir carros seguros

Saab

A trajetória da fabricante de aviões que passou a fabricar automóveis aerodinâmicos e inovadores é o assunto de estreia de nossa nova seção “Marcas Extintas”

A sueca Saab AB nasceu em 1937 na cidade de Trollhättan. Seu nome completo “Svenska Aeroplan Aktiebolaget” (algo como “Empresa Sueca de Aeroplanos”) já indica sua área de atuação original: a fabricação de aeronaves. Uma atividade que exerce com grande sucesso até hoje.

Mas, vamos ao que nos interessa: a fabricação de automóveis! Os estudos para esse novo ramo de atividade teve início logo depois da II Guerra Mundial.  O primeiro protótipo foi lançado em 1946 e teve quatro exemplares ligeiramente diferentes entre si, nomeados sequencialmente 92001 a 92004 — nome de projeto X9248 — e genericamente chamados “Ursaab” (“Saab Original”).

Saab

O super aerodinâmico “Ursaab”


O aerodinâmico carrinho (que lembra o tcheco Tatraplan T600, apesar de concepção diferente) se beneficiou do know-how de seus engenheiros na construção de aviões, embora eles não tivessem nenhuma experiência em projetos automotivos. A maioria dos 16 projetistas sequer tinha carteira de motorista.

O objetivo era concorrer com populares modelos europeus da Opel, Ford, DKW, entre outros. Pesando apenas 800 kg, o “Ursaab” tinha motor de dois cilindros e dois tempos, como os DKWs. Um desses quatro protótipos encontra-se hoje no Saab Car Museum.

O primeiro Saab em série

Saab

Nos primeiros anos, todos os 92 foram pintados de verde

R$ 215.000,00

R$ 48.900,00

R$ 45.000,00

R$ 32.000,00

R$ 49.000,00

DKW Belcar S 1963
R$ 69.900,00

VW Fusca 1300 1970
R$ 45.000,00

R$ 85.000,00

MG TD 1953
R$ 190.000,00

BMW 740i 1997
R$ 95.000,00

BMW 2002 Tii 1972
R$ 220.000,00


O primeiro Saab de produção foi o 92, muito semelhante e com a mesma mecânica dos protótipos “Ursaab”. Foi lançado em dezembro de 1949. Um fato muito curioso é que todos os exemplares fabricados nos primeiros dois anos de produção eram verdes. Segundo consta, havia um grande estoque de tintas dessa cor, compradas em excesso para a pintura de aviões durante a Guerra. O Saab 92 foi fabricado até o final de 1952, evoluindo para o 92B que trouxe várias inovações, entre elas motor de 28cv (4 a mais), porta-malas ampliado e com acesso externo, novas cores e teto solar opcional. Foi fabricado até 1956. Somadas as duas versões, foram produzidos 20.128 unidades.

Desde a concepção de seu primeiro modelo, a Saab já demonstrou grande preocupação em projetar automóveis que priorizassem a segurança de seus ocupantes, a exemplo de outra tradicional fabricante sueca, a Volvo.

Nessa época todos os Saab eram equipados com motores 2 tempos refrigerados a água, como nos DKWs


Seu sucessor foi o 93, lançado em agosto de 1955. Seu motor transversal de dois tempos agora tinha três cilindros (33cv), a exemplo dos DKW desde 1953. Foi o primeiro Saab com a característica grade dianteira em formato de trapézio, marca registrada da empresa a partir de então por décadas. Era mais macio que seu antecessor, graças à suspensão com molas helicoidais. O 93 foi o primeiro modelo a ser oficialmente exportado, principalmente para os Estados Unidos. A exemplo do modelo 92, o 93 também teve uma versão “B”, fabricada em 1958 e 1959. Entre as mudanças, estava o parabrisa sem divisão central.

Primeiro grande sucesso

Saab

O 96 foi um grande sucesso comercial


A nova década trouxe para essa fabricante sueca seu primeiro grande sucesso comercial: o Saab 96, que vendeu mais de 500 mil unidades, grande parte para o exterior. Era basicamente o mesmo 92/93, com motor 3 cilindros e 2 tempos, agora ligeiramente mais potente. O vidro traseiro foi novamente ampliado e as lanternas também ficaram bem maiores.

A nova versão do 96 tinha motor Ford V4 1.5


Mas a grande novidade chegou em 1967, com o lançamento de uma nova versão do 96, agora com motor Ford V4, desenvolvido inicialmente para o alemão Taunus. Em busca de novas aplicações para seu novo motor, a Ford comprou alguns Saab 96, instalou neles o V4 1.5 de 65cv e os devolveu à Saab. O 96 com nova mecânica foi um sucesso e houve um incremento nas vendas de 41%.

Fusão com a Scania e um novo carro

Em 1969, a Saab se funde à Scania, que desejava entrar no mercado de veículos de passeio.

No ano anterior havia sido lançado o primeiro automóvel realmente novo da Saab, desde o lançamento de seu primeiro modelo, duas décadas antes. O 99 era maior e mais moderno que seus antecessores. Foi equipado com diversas mecânicas ao longo dos 16 anos em que foi produzido. Seu primeiro motor foi o Triumph 4 cilindros de 1.7 litros. Estava disponível nas versões Sedan e Coupê.

O 99 tinha motor 4 cilindros da inglesa Triumph


Foi sucedido pelo Saab 900 em 1978, o modelo de maior sucesso da marca, com quase 2 milhões de automóveis produzidos. Disponível nas versões Sedan de 2 e 4 portas, Hatch e Conversível, tinha motor de 4 cilindros, desenvolvido pela própria Saab.

Lado a lado, o 900 e o 9000, o segundo uma parceria com a Fiat


Também em 1978 foi celebrado um acordo com a Fiat do qual nasceu o Saab 9000 de 1985, “irmão” do Alfa Romeo 164, Fiat Croma e Lancia Thema. O 9000 foi o primeiro carro de luxo da Saab, mas não conseguiu atingir o volume de vendas planejado.

A chegada da General Motors

Em 1989 a fusão com a Scania se desfez e a empresa passou a se chamar Saab Automobile AB. A norte-americana General Motors passou a deter 50% de seu controle acionário, com a opção de adquirir os restantes 50% no prazo de 10 anos.

O novo 900 usava a mesma plataforma do Chevrolet Vectra


Foi um período de fracassos e de perda de identidade. Sob a administração GM foi lançada a segunda geração do Saab 900, em 1994. Ela é conhecida entre os fãs como GM900 e adotou a plataforma GM2900, a mesma do Chevrolet Vectra. Teve uma grande gama de versões. Em 1998 evoluiu para o 9-3, que era basicamente o mesmo carro.

Conforme planejado, em 2000 a General Motors adquiriu o restante das ações, tornando a fabricante da Suécia sua mais nova subsidiária plena na Europa. O primeiro modelo da nova fase foi a versão nº 3 do 9-3, agora com plataforma GM Epsilon.

Em 1995 se seguiram os modelos 9-2X (baseado no Subaru Impreza) e 9-7X (Chevrolet Trailblazer), ambos destinados ao mercado norte-americano e retumbantes fracassos comerciais. Isso fez acender o sinal de alerta e como consequência veio o cancelamento de alguns novos projetos.

O 9-5 foi o último modelo Saab


O 9-5 foi lançado em 1997 em substituição ao 9000. Teve duas gerações e a mesma plataforma GM2900. Em versões sedan e SW, esse luxuoso modelo fez sucesso, sendo vendidos 483 mil unidades até 2011.

Venda e falência

Em 2008 surgiram as primeiras notícias sobre a venda ou fechamento da Saab. No ano seguinte, outra fabricante sueca, a Koenigsegg, demonstrou interesse na compra de sua co-irmã, mas devido à demora no processo financeiro e burocrático, acabou desistindo do negócio.

Depois foi a vez da marca de esportivos holandesa Spyker demonstrar interesse na compra e o negócio foi concretizado em fevereiro de 2010 e incluiu um empréstimo do Banco Europeu de Investimento, garantido pelo governo sueco.

Mas, passado um ano, a situação da Saab não melhorou em nada. Mergulhada em dívidas, foi obrigada a paralisar sua produção e demitir funcionários, o que forçou a Spyker a decidir revendê-la a um consórcio de empresas chinesas. Mas a ex-proprietária General Motors foi contra, por causa de questões ligadas a transferência de tecnologia.

Em 19 de dezembro de 2011 foi decretada a falência da Saab.


Uma história repleta de inovações

  • 1958: O GT 750 é o primeiro carro Saab equipado com cintos de segurança de série.
  • 1963: A Saab torna-se o primeiro fabricante a oferecer freio de duplo circuito.
  • 1969: A Saab cria um sistema de ignição próximo à alavanca de câmbio em vez de atrás do volante, como a maioria dos carros – na tentativa de reduzir as lesões graves e permanentes muito comuns nos joelhos durante colisões, causadas pelo impacto do joelho na chave.
  • 1970: A Saab apresenta uma inovação mundial: limpadores e lavadores de faróis.
  • 1971: São introduzidos os bancos dianteiros aquecidos, pela primeira vez no mundo em que são instalados de série.
  • 1971: A Saab desenvolve um pára-choque com absorção de impacto.
  • 1980: A Saab apresenta o Controle Automático de Desempenho (APC) e um sensor antidetonação que permitiu maior economia de combustível e o uso de combustível de qualidade inferior sem danos ao motor.
  • 1981: A Saab apresenta o espelho lateral de campo dividido, que reduz o ponto cego do motorista.
  • 1982: A Saab apresenta pastilhas de freio sem amianto.
  • 1983: Saab apresenta o motor turboalimentado de 16 válvulas
  • 1991: A Saab é o primeiro fabricante a oferecer ar condicionado sem CFC.
  • 1991: A Saab desenvolve seu sistema de gerenciamento de motor ‘Trionic’, equipado com um microprocessador de 32 bits.
  • 1993: A Saab desenvolve o sistema de proteção dos passageiros traseiros ‘Safeseat’.
  • 1994: A Saab apresenta o sistema de gerenciamento de motor ‘Trionic T5.5’, seu processador é um Motorola 68332 .
  • 1995: A Saab apresenta um V6 turboalimentado assimetricamente no Salão Automóvel de Frankfurt, Alemanha.
  • 1996: A Saab introduz apoios de cabeça ativos (SAHR), que ajudam a minimizar o risco de chicotada.
  • 1997: Saab apresenta distribuição eletrônica de força de frenagem.
  • 1997: A Saab instala bancos dianteiros ventilados em seu novo 9-5.
  • 2002: A Saab desenvolveu um sistema de suspensão traseira independente e multi-link no novo Saab 9-3 conhecido como “ReAxs”, um sistema que contribui para melhorar a estabilidade de direção nas curvas.

Redação e edição: Fernando Barenco
Imagens: propagandas de época

Deixe seu comentário!

CADASTRE SEU WHATSAPP PARA RECEBER.

Novidades dos Classificados

Volta Redonda 2024