Repórter Maxicar

A Envemo e seus veículos especiais

Veículos especiais Envemo

Além do Opala/E e de outros Chevrolets, a Envemo foi a responsável pelo Super 90, uma das mais perfeitas réplicas do Porsche 356 C

A Engenharia de Veículos e Motores Ltda — Envemo — nasceu em São Paulo em 1966. No início era uma preparadora dos motores boxer Volkswagen, fornecendo kits de 1.600, 1.700 e 1.800 cm3 para os motores originalmente 1.300, que acabavam de estrear na linha VW aqui no Brasil. Tendo ninguém menos que o piloto Chico Landi em sua equipe técnica, conseguiam ‘tirar leite de pedra’, ampliando a potência original de 38 para até 100 cv.

Em 1969, mudança de foco: com o lançamento do Opala no ano anterior, a Envemo lança uma versão customizada do modelo, o Opala/E. A partir de então nasceu uma série de versões especiais de modelos da Chevrolet, como você vai ver a seguir.

Mas o mais famoso veículo Envemo é sem dúvida o Super 90, a réplica do icônico Porsche 356 C, considerada uma das melhores do mundo, elogiada inclusive pela própria Porsche.

Adquirida em 1983 pela Engesa, no anos 1990 a Envemo se aventuraria ainda na fabricação de uma pioneira SUV: a Camper. Com a abertura do mercado para automóveis importados no Governo Collor, em 1994 a Engesa decretou falência, levando junto a sua subsidiária.

Opala/E

Lançado em 1969, quando o sedan de 4 portas era a única versão disponível do Opala, o ‘E’ era um kit que modificava não apenas seu visual, mas aumentava também sua potência. A versão de 6 cilindros rendia 170cv. O câmbio passava para o assoalho e ganhava uma marcha extra. O freio dianteiro era a disco e a suspensão traseira contava com uma barra estabilizadora. Dependendo do ano, visualmente o Opala padrão ganhava novas rodas, nova grade, dois faróis extras, lanternas traseiras envolventes, spoilers, alargadores de paralamas e novos emblemas. No interior, bancos reclináveis individuais, console, volante esportivo e instrumentos extras no painel. A Envemo recebia os carros 0 km diretamente da GM e eles eram preparados e vendidos nas concessionárias Chevrolet.

Chevette Envemo

Em 1974 chegava o Chevette Envemo, mantendo a mecânica original, ele ganhava uma estranha grade retangular com cantos arredondados, que avançava sobre o parachoque, que passava a ser dividido em duas seções. Rodas esportivas ‘cruz de malta’ e emblemas exclusivos faziam parte do novo visual externo desse Chevette. Internamente, bancos altos reclináveis mais anatômicos que os baixos e finos originais, volante esportivo e console com instrumentos adicionais.

Chevette Minuano

Essa versão do Chevette ganhou alterações significativas. A carroceria original foi transformada em targa, cuja inspiração foi uma versão alemã do nosso pequeno Chevrolet: o Opel Kadett Aero. Apresentado no Salão do Automóvel de 1976, o Minuano contava com uma cobertura plástica removível na parte dianteira do teto e de lona na parte traseira. O restante do visual externo permanecia igual, exceto pelas rodas de magnésio e parachoques mais salientes. O motor passou de 1.4 para 1.6.

Envemo Super 90

A mais admirada réplica do esportivo alemão Porsche 356 C 1964 chegava em 1979. Inicialmente apenas na versão Coupê e no ano seguinte também Cabriolet, o Super 90 utilizava o chassi encurtado da Brasília com motor VW a ar 1.600 com dupla carburação. Com carroceria em fibra de vidro de alta qualidade e capricho nos detalhes de acabamento — que incluíam até alguns itens originais Porsche — o Envemo Super 90 é considerado uma das melhores réplicas do 356 C do mundo. Fabricado durante somente quatro anos, teve tiragem pequena: cerca de 200, somadas as duas versões. Foi muito exportado e atualmente é extremamente valorizado no mercado brasileiro e internacional de carros clássicos.

Chevrolet C10 El Paso

Uma versão Envemo da pick-up Chevrolet C10 foi lançada em 1982 e batizada de El Paso. Contava com uma série de exclusividades, entre elas a caçamba retro ‘step side’, grade especial com faróis duplos, sombrero no vidro traseiro, para-choques mais ‘parrudos’ com quebra-mato dianteiro, santantônio e estepe preso por suporte externo. Internamente, três bancos individuais e console de teto com sistema de som.

Monza Conversível

Lançado em 1985, a versão conversível do Monza poderia vir com grade convencional padrão GM ou com frente visual ‘Plus’, criada pela Envemo em 1983 e que emprestava ao sedan Chevrolet um visual mais agressivo, ao estilo do esportivo americano Pontiac Trans Am. Em algumas propagandas da época, ele é chamado de Tropical.

Monza SW

A Envemo batizou de Camping a sua bem resolvida versão Station Wagon do Monza, lançada na mesma época do conversível. O acabamento era muito bom e o modelo poderia muito bem ter sido produzido pela própria Chevrolet.

Fusca Baja

Lançado também na década de 1980, o Kit Buggy Baja era composto por diversos itens, que transformavam o Fusca numa espécie de off-road, valorizando essa vocação natural do VW. Usando as furações originais da carroceria, eram trocados os quatro paralamas, o capô e a saia dianteiras por peças em fibra de vidro, o que permitia a adaptação de rodas e pneus maiores. O Fusca ganhava também novos faróis, lanternas, para-choques e estribos tubulares.

Utilitários Especiais

Em 1985 a Envemo lançava uma linha de utilitários especiais baseados na nova linha Chevrolet de Pick-ups: as Séries 10 e 20. Batizadas de Step Side,  Júnior e Sênior, as três pick-ups tinham cabine simples e dupla, respectivamente. Já a Master e a Blazer (nada a ver com a Blazer da GM lançada aqui em 1995) eram furgões de passageiros, precursores das SUVs. Havia ainda uma curiosa versão conversível da Blazer. Três anos, depois a própria Chevrolet passaria a fabricar modelos similares: Bonanza e Veraneio, que até então eram produzidas pela Brasinca, uma concorrente direta da Envemo no segmento.

A Envemo produziu kits também para a linha F100 da Ford.

Camper

Também em 1988 a Envemo apresentou uma nova SUV, cujo design era baseado no grande sucesso internacional Jeep Cherokee. Com chassi do jipão Engesa 4, era considerado muito bem acabado e tinha detalhes de outros modelos nacionais, como o painel do Opala e faróis e lanternas do Fiat Uno. Teve versões de duas e quatro portas; 4X2 e 4X4. A mecânica era a Chevrolet a gasolina ou a álcool de 4 e 6 cilindros; também a diesel Perkins 3.9L.

Texto e edição: Fernando Barenco
Fotos: propagandas de época e testes da revista 4 Rodas

Espalhe por aí!
  • 31
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    32
    Shares

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário