Alexander Gromow Conteúdo Nossos Colunistas

Entrevista de Fuscamaníacos brasileiros com Kike Llamas

Entrevista de Fuscamaníacos brasileiros com Kike Llamas

Ele é o lider motivador da Federação Nacional de Clubes Volkswagen da Colômbia

Dando sequência ao trabalho relatado na matéria “Como anda o levantamento dos Clubes dedicados ao VW Antigo no Brasil” apresentamos o material abaixo.

Quando se fala de uma Federação Brasileira de Clubes VW Antigos é normal que surjam dúvidas e incertezas, e para dar um passo adiante nos trabalhos decidimos trazer um pouco da experiência da primeira Federação de Clubes Volkswagen da América Latina, que foi a da Colômbia. Para este fim alguns representantes de clubes brasileiros foram convidados a fazer perguntas que, depois de traduzidas para o espanhol, foram enviadas ao Kike Llamas, fundador da Federação Colombiana e seu atual Líder Motivador. Depois vertemos as respostas para o português para colocá-las neste artigo.

A idéia é que estas perguntas que vieram de norte a sul do Brasil, passando pelo centro e indo até o Amazonas, sejam representativas para a coletividade brasileira de amantes dos carros VW antigos.

Certamente as perguntas já mostram quais são as dúvidas que devem ser esclarecidas aqui no Brasil. A experiência colombiana que se coloca aqui serve como um parâmetro comparativo e pode ajudar-nos a encontrar as repostas para conduzir a criação da federação Brasileira. Vamos à entrevista.

1) O que levou à idéia de formar uma Federação na Colômbia, foi uma necessidade ou um ideal?

Kike: É um ideal. A idéia de trabalhar em conjunto com todos os Clubes Volkswagen que pertenceriam à Federação que busca incentivar e apoiar a cultura Volkswagen entre todos.

2) A Federação Colombiana engloba todas as agremiações VW da Colômbia ou existem dissidências?

Kike: Neste momento todos os clubes Volkswagen no país fazem parte da Federação. Além disso, quando um novo clube é criado a ideia da Federação é apadrinhá-lo, orientá-lo e apoiá-lo para que se forme com boas bases e também faça parte da mesma. O que procuramos é a unidade de todos os Clubes da Volkswagen no país.

3) Existem outras federações de carros antigos na Colômbia? Existem conflitos entre estas federações?

Kike: Sim existem outras federações, por exemplo, a Federação de Carros Clássico e Antigos, com quem temos bom relacionamento com respeito ao trabalho e as atividades que cada um realiza.

4) Qual a maior dificuldade encontrada no inicio da criação da Federação colombiana?

Kike: Falta de compromisso e liderança dos presidentes de clubes para realizar as tarefas comuns de apoio da federação.

5) O que foi feito para que os Clubes acreditassem na idéia proposta e se juntassem à Federação?

Kike: O importante em criar uma Federação é a confiança, o trabalho em equipe, a idéia de fortalecer relações, de ajudar em conjunto com todos os clubes a socializar uns com os outros, unidos com um mesmo ideal. Trabalhando todos com o mesmo horizonte e tomando decisões em conjunto para que tudo seja democrático, buscando trabalhar para a cultura Volkswagen no país, sem que uma pessoa ou clube assumam o protagonismo. A Federação é para ser de todos e para todos, como os três mosqueteiros. SOLIDARIEDADE, UNIDADE, CAMARADAGEM, MUITA AMIZADE e CONFIANÇA. Tudo baseado na família.

6) Como você avalia a criação de uma Federação Brasileira de VW Antigos? O que deveríamos evitar?

Kike: Há várias questões que são importantes:
A) NÃO falar de política.
B) NÃO falar sobre religião.
C) NÃO falar de futebol.
D) NÃO recolher dinheiro e NÃO lidar com recursos financeiros.
Todos estes assuntos dividem os entusiastas de um clube.
E) NÃO deixar a gestão da Federação com um presidente nacional. É melhor fazer uma comissão nacional de líderes, onde as decisões sejam tomadas em grupo pela maioria e nomear um Líder ou Motivador que trabalhe no sentido de incentivar os clubes para seguir com a cultura Volkswagen (trabalho em grupo).

7) Cite, no caso da Federação de Clubes VW na América, quais os pontos positivos mais importantes.

Kike: Trabalho em equipe, resgatar valores e princípios como a amizade, a solidariedade, a união, a camaradagem, a unidade e resgatar a família em torno de um carro da Volkswagen.

8) Quais foram os requisitos fundamentais para a inclusão dos clubes na Federação?

Kike: O que buscamos é que os clubes saibam claramente: O QUE ELES SÂO? QUEM SÃO ELES? O QUE ELES QUEREM? E PARA ONDE ELES VÃO? Avaliando se os clubes terão um futuro e não desaparecem com o tempo, e que tenham uma base sólida. Os clubes NÃO têm necessariamente que ser legalizados aqui na Colômbia. Acreditamos nas leis humanas, em princípios e valores humanos e não necessariamente leis jurídicas, pois este tipo de formalismo pode levar tais grupos a ter problemas fiscais, necessidade de pagamento de impostos e este tipo de consequencias não ajudam em nada aos Clubes Volkswagen.

Mas nos preocupamos para eles tenham seus objetivos claros, e que sejam fáceis de avaliar. Repetindo: O QUE SÃO? QUEM SÃO? ATÉ ONDE ELES VÃO? O QUE É QUE ELES GOSTAM? E PORQUE ELES O FAZEM?.

9) Sendo uma Federação, há uma espécie de contribuição financeira por parte dos clubes federados?

Kike: NÃO, definitivamente uma gestão econômica neste tipo de grupos traz divisões e problemas entre parceiros. Cada um paga suas próprias despesas.

10) Com a criação da Federação Nacional de Clubes Volkswagen Colômbia, o que melhorou para os clubes filiados e há mais apoio e respeito por parte das autoridades das cidades para os eventos?

Kike: Sim há mais motivação, apoio, respaldo e reconhecimento para com os Clubes Volkswagen regionais. Tudo em prol da cultura Volkswagen em nível regional. A Federação está avivando a chama dos clubes regionais federados. Existe muito mais apoio, pois a Federação é uma instituição nacional e tem muito mais confiabilidade como organização.

11) Com a criação da Federação Nacional de Clubes Volkswagen Colômbia, houve um aumento de atenção por parte da FIVA – Federação Mundial de Entusiastas de Veículos Antigos – para o movimento dos amantes da VW da Colômbia?

Kike: Não temos nenhum tipo de relação com esta entidade.

12) Como nós, membros de agremiações, podemos ajudar a criar a Federação Brasileira e que benefícios teremos? Tipo placa preta ou amarela, isenções de fiscalização por autoridades de trânsitos. Pois resgatamos a historia e temos muitos gastos.

Kike: Na Colômbia, a Federação Nacional de Clubes Volkswagen atua como organismo de apoio, de motivação, de respaldo e de reconhecimento dos clubes federados regionais em PROL DA CULTURA VOLKSWAGEN.

13) Criando uma Federação Brasileira poderemos conseguir recursos do estado ou das cidades?

Kike: Aqui na Colômbia não lidamos com o dinheiro, pois isto traz problemas no futuro.

14) Em relação a Presidência da Federação, como é feita e por quanto tempo ela permanece no comando?

Kike: NÃO operamos com um PRESIDENTE, o que temos é um Líder Motivador, e isto não com a finalidade de criar um cargo burocrático, mas sim trabalhar para motivar e guiar a cultura Volkswagen. As decisões são tomadas em conjunto por um CONSELHO NACIONAL DE LÍDERES, da qual fazem parte todos os presidentes de clubes regionais, e de maneira democrática na base de metade mais um (50% +1).

15) Existe alguma relação da Federação diretamente com a VW ou eles nem sabem da existência de uma?

Kike: Sim, trabalharmos aqui na Colômbia em conjunto, a Federação e a marca Volkswagen, que na Colômbia é gerenciada pela Porsche.

16) A Federação Colombiana colabora com o governo da Colômbia na questão das leis referentes à circulação de carros antigos, visto que em muitos casos os carros antigos são tratados como sendo simples sucata por parte de alguns governos?

Kike: Nós temos um projeto de aproximação com o governo para esta finalidade.

17) Que tipo de atividades devem ser realizadas, que documentos devem ser compartilhados, que procedimentos devem ser verificados, enfim, que tipo de interação deve haver entre os clubes que compõem a Federação para que ela prospere?

Kike: Todos os clubes da federação se encontram anualmente na CONVENÇÃO NACIONAL DE CLUBES E ENTUSIASTAS VOLKSWAGEN DA COLÔMBIA. Uma vez por ano é a festa nacional Volkswagen no país e os clubes regionais fazem atividades periodicamente em suas próprias regiões.

18) Que tipo de restrições são impostas, tanto à participação dos membros em seus respectivos clubes, como quanto à participação de determinados clubes na Federação? Quais os critérios e filtros necessários?

Kike: Isto está em consonância com princípios e valores, respeito e tolerância. Evitamos ao máximo as bebidas alcoólicas e o consumo de drogas e aplicamos a proibição de armas de fogo.

Federação Nacional de Clubes Volkswagen da Colômbia

Local da última convenção, realizada em Sangil (Santander), a trezentos km ao norte da capital, Bogotá

Para dar uma informação dos princípios que regem a Federação VW Colombiana segue um texto com esclarecimentos:

O que somos nós? Somos um grupo que procura reunir, agrupar e unificar os Clubes Volkswagen na Colômbia e a única finalidade que temos com isso é fortalecer e motivar a paixão, a cultura e o entusiasmo pelos Volkswagens em nosso país. Além de apoiar e motivar os diferentes clubes regionais, com atividades que cada um
desenvolve para aumentar o entusiasmo local.

Quem somos nós? Somos um grupo de entusiastas, fãs apaixonados da marca com diferentes tipos de Volkswagen entre outros Fuscas, Kombis, Safaris, Karmann-Ghias, Tipo 3 (Variant, Fastback, Notchback), até mesmo Volkswagens refrigerados por água e turbinados como Jettas, Boras, Golfs e Gols. Conseguimos criar clubes de Volkswagen em todas as regiões do país e também conseguimos unir estes clubes com o fim de criar e formar um grupo nacional que chamamos FEDERAÇÃO NACIONAL DE CLUBES VOLKSWAGEN.

Finalmente: em 17 de agosto de 2008, no Hotel Decameron Panaca Quindio Colômbia, que sediou a segunda CONVENÇÃO NACIONAL DE ENTUSIASTAS VOLKSWAGEN DA COLÔMBIA, foi constituído, criado e assinado o ato que instituiu a FEDERAÇÃO NACIONAL DE CLUBES VOLKSWAGEN DA COLÔMBIA. Que, por sua vez, é a entidade organizadora da CONVENÇÃO NACIONAL DE ENTUSIASTAS VOLKSWAGEN DA COLÔMBIA que é o nosso evento Volkswagen anual na Colômbia.

Momento da última Convenção Nacional

Atualmente 23 clubes compõem a Federação Colombiana, dos quais 3 de clubes de carros refrigerados a água, Gol, Jettas e VAG Turbo Acelerados. Existe um clube em formação e todos os outros são federados, ou seja, 100% dos clubes Volkswagen na Colômbia trabalham em conjunto dentro da Federação.

Kike Llamas

Kike em evento que fez parte da XIII Gran Caravana Nacional Colwagen, no Autódromo de Tocancipá

Certamente este estigo não estaria completo se não fossem dadas algumas informações sobre o entrevistado. Sendo assim, pedimos a ele que falasse um pouco sobre si mesmo.

Eu sou o Kike Llamas e nasci em Bogotá, Colômbia, vivo há muitos anos no eixo do café colombiano em uma cidade chamada Armênia. Eu tenho 40 anos e sou especializado em Marketing e Vendas e por muitos anos da minha vida trabalhei como representante de vendas na área farmacêutica.

Sou casado há 15 anos com Mônica Botero que é minha amiga e companheira de trabalho em tudo que se refere aos clubes Volkswagen, tenho dois filhos gêmeos lindos com 11 anos de idade que também fazem parte de tudo isto.

Uma família unida também pelo hobby: na frente os dois filhos gêmeos e atrás a esposa Mônica e Kike

Sou um entusiasta Volkswagen há cerca de 10 anos quando eu comprei o meu primeiro modelo Volkswagen, um conversível 65, que é chamado de “Lorenzo”. Hoje também temos uma perua Volkswagen Variant Squareback modelo 66 que é chamada de “Irmã Blanquita”, já que pertenceu a um convento.

Toda essa paixão pelos Volkswagens vem desde criança, pois em minha casa havia apenas um carro que foi um Volkswagen e desde então sempre tive o sonho de ter um.

Há 10 anos fundei o Clube Volkswagen do Café, na cidade de Armênia onde eu moro e disso resultou uma série de atividades como reuniões, concentrações, caravanas, enfim tudo em torno dos Volkswagens até que isso levou a um evento nacional que se chamou Convenção Nacional de Entusiastas Volkswagen da Colômbia e ali surgiu o ideal para criar a Federação Nacional de Clubes Volkswagen da Colômbia que nos ajudou a unir todos os clubes Volkswagen do país com o propósito de trabalhar em prol da Cultura Volkswagen.”

 

Agradecimentos

Cabe aqui um agradecimento especial ao Kike Llamas por sua disposição de colaborar dando esta entrevista. Durante os trabalhos de preparação foram feitos vários contatos com ele, tanto por telefone, Skype, e-mail e chat do Facebook de modo a obter o melhor resultado possível. Também cabe aqui um agradecimento a todos aqueles que fizeram suas perguntas ao Kike, e deste modo apresentando perguntas que muitos Fuscamaniacos brasileiros certamente fariam, pois representam suas dúvidas também, Com isto podemos apresentar um trabalho feito com cuidado para o esclarecimento de todos os interessados. Certamente é um bom princípio para depois continuar as discussões aqui no Brasil para balizar os rumos que uma eventual Federação de Clubes Brasileiros Dedicados aos VW Antigos venha a seguir.

E os demais clubes brasileiros o que têm a dizer?

Para dar seqüência aos trabalhos, considerando a entrevista acima, convidamos aos demais clubes a participar com seus comentários sobre o que foi colocado ou com uma pergunta nova por agremiação que seria colocada, dentro das possibilidades, para o grupo opinar. Quem sabe poderemos ampliar as discussões entre nós focalizando outros assuntos, evoluindo nos esclarecimentos relativos à criação de uma eventual Federação de Brasileira de Clubes VW Antigos.
O prazo para recebimento destas participações vai até 10 de outubro próximo, para que seja possível processá-las correspondentemente.

Encerramos esta matéria com o chamamento a todas as agremiações brasileiras dedicadas aos VW Antigos que ainda não estão participando da estatística de clubes que o façam com urgência, já que logo encerraremos a primeira contabilização e não gostaríamos de deixar ninguém de fora. Entrem em contato com o Alexander Gromow pelos e-mails:
fuscabrasil@hotmail.com ou ofuscanteinformativo2@gmail.com

 Alexander Gromow – Ex-Presidente do Fusca Clube do Brasil. Autor do livro EU AMO FUSCA e compilador do livro EU AMO FUSCA II. Autor de artigos sobre o assunto publicados em boletins de clubes e na imprensa nacional e internacional. Participou do lançamento do Dia Nacional do Fusca e apresentou o projeto que motivou a aprovação do Dia Municipal do Fusca em São Paulo. Lançou o Dia Mundial do Fusca em Bad Camberg, na Alemanha. Historiador amador reconhecido a nível mundial e ativista de movimentos que visam à preservação do Fusca e de carros antigos em geral. Participou de vários programas de TV e rádio sobre o assunto.

Comentários do Facebook

Novidades dos Classificados