Colunista Convidado Conteúdo Nossos Colunistas

E se eles voltassem?

Vemaguet, Rural, Caravan, Candango, Aero Willys, Dodge Charger e Simca são alguns dos clássicos nacionais "reinterpretados" por Eduardo Oliveira

E se eles voltassem?
Minha releitura dos clássicos nacionais

*Eduardo Oliveira

Quando se fala em releitura, vem à cabeça que a indústria anda sem idéias. Alguns dizem que tem que se pensar pra frente e deixar os carros velhos descansarem em paz. Isto até pode ter um fundo de verdade. Com as leis mais rigorosas que surgiram em meados dos anos 70, os carros perderam potência e os longos capôs, a preocupação com o consumo e a segurança não permitiram mais aqueles radiadores imponentes, chapas grossas e curvas musculosas. O futuro estava nas linhas retas, faróis quadrados — confesso que não conseguia distinguir a marca daquelas viaturas policiais dos seriados oitentistas —, mas no fim dos anos 80, para aprimorar mais o baixo consumo, começaram a dar ênfase à aerodinâmica.

A releitura do Fiat 147
A releitura do Fiat 147

Então surgiram protótipos como o Ford Probe, que apontava para um futuro onde os carros teriam o formato de uma bolha e um coeficiente absurdamente baixo. Os carros então seguiram essa linha. Melhor pra todo mundo? Na prática sim, pois para quem queria apenas meios de transportes eficientes, seria o correto, mas como o limite da aerodinâmica é o mesmo desenho, os carros estavam condenados a ficar muito parecidos uns com os outros (vejam os aviões, são poucos os detalhes que diferenciam um Boeing de um Airbus). Os carros, portanto, vinham tomando o mesmo caminho nos anos 90, e como nem todos esqueceram do glamour que ostentavam em décadas passadas, alguém teve a idéia de resgatar isso, de dizer que era possível trazer os ícones do passado para o presente reunindo nostalgia e modernidade.

Plymouth Prowler

Exemplo disso foi o Plymouth Prowler apresentado em 1993 e lançado em 1997. Ele não era uma releitura de um determinado modelo, mas foi um dos primeiros retrôs modernos de série. Outro que seguiu o exemplo foi o Chrysler PT Cruiser que se baseava no estilo dos anos 30/40. A Ford também havia relançado o Mustang com elementos fiéis aos dos anos 60, mas foi com o New Beetle (inspirado no VW Sedan, o Fusca) que popularizou a onda de revivals, que tem, entre outros exemplos, o Mini, o Fiat 500, o Thunderbird, o Mercedes-Benz SLS, o Challenger, o Chevy SSR/HHR e o Camaro (ao que parece, teremos também um novo Citröen 2CV). Voltamos a encontrar na maioria dos carros certos elementos retrôs como faróis de parábola e paralamas cada vez mais salientes. E isso causa um efeito de nostalgia nas pessoas, pois gostamos disso, remete ao primeiro carro que muitos compraram na juventude ou até na infância onde toda a família viajava. Quem tem um carro antigo guardado, mas não quer usá-lo no dia-a-dia, pois se acostumou com o conforto e praticidade dos carros atuais, o que pode fazer? Comprar um retrô!

Reinterpretando o VW Brasilia

Minha idéia sobre releituras é a de que há público para isso. É uma resposta à mesmice que imperava nos anos 80/90, e como grande entusiasta dos carros nacionais, achei que esse nicho poderia ser explorado aqui no Brasil, pois muitos de nós temos boas lembranças de nossos carros (ou carros de nossos pais): DKWs, Simcas, Pumas, etc… Qual fã de Opala não iria querer um carro moderno e confortável com detalhes que lembram seu carrão na juventude? O que falta é um empurrão na indústria em acatar essa demanda. Foi na paixão por carros nacionais mirando em exemplos estrangeiros como o New Beetle, Prowler, Challenger e Mustang que tive idéia de fazer modelos inspirados em nossos antigos nacionais.

O “Novo Fusca” é uma de suas últimas criações

 

Alguns eu apenas modifico no Photoshop na base de um carro da montadora como o Novo Brasília, na qual me inspirei no Audi A1 Concept. Foi para mostrar que não é difícil recriar um clássico, já que as próprias montadoras vivem reutilizando plataformas. O mesmo procedimento fiz com o Novo Escort em cima do Focus e o Fiat 147 em cima do Palio. A idéia é dar linhas atuais e incluir detalhes que lembrem o clássico, como por exemplo a lanterna frisada da Brasília, e o farol duplo sem grade.

Outros trabalhos mais bem elaborados eu modelo no 3D Max, esses sim eu começo do zero. Já é algo mais trabalhoso, mas sempre com o toque que lembra o carro. Outra característica minha é que, ao contrário de muitos designers, eu não costumo fazer um carro com excesso de futurismo. Já o imagino como um carro que seria vendido hoje, sem excessos, porém atual.

niva_1024
Como seria o contemporâneo 4X4 russo Lada Niva

 

Conheça outros automóveis repaginados por Eduardo Oliveira,
visitando seu blog: irmaododecio.blogspot.com

*Eduardo Oliveira, é designer especializado em edição digital de imagens, ilustração, modelagem 3D e design de produtos. Possui o blog Irmão do Decio, onde desenvolve projeções de carros que nunca existiram e releituras de carros clássicos, em especial os nacionais.

Comentários do Facebook

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Novidades dos Classificados

%d blogueiros gostam disto: