Conteúdo Fatima Barenco Nossos Colunistas

ANTONIO CARLOS PIPERNO — Clube Carioca de Autos Antigos

Um paulistano à frente do “Carioca”

Abrindo nosso novo espaço de entrevistas com os presidentes de clubes de automóveis antigos de todo o Brasil, um corintiano, paulistano, que há vários anos vive aqui no Rio de Janeiro.

Industrial de profissão, fundador e presidente do Clube Carioca de Autos Antigos há 14 anos, e que pelo visto foi contaminado por esta ferrugem ainda na maternidade. Converso com Antônio Carlos Piperno.

Como surgiu essa paixão por Veículos Antigos?

Piperno – É algo inexplicavel, uma vez que meu pai nunca dirigiu um veiculo. Acho que fui contaminado ainda na maternidade!

Qual o seu “Xodó” sobre rodas?

Piperno – Sou totalmente apaixonado pelo Mercury Cougar; porém a “outra” é um Thunder 59 Conversível (que ainda hei de ter!).

Como tem sido sua trajetória à frente da presidência do Clube Carioca de Autos Antigos? Na sua opinião quais são as maiores dificuldades enfrentadas por um presidente de clube de automóveis antigos?

Com a chegada dos nacionais na “maior-idade” o percentual mudou e com isso nosso Clube Carioca cresceu muito

Piperno – Quero acreditar que a trajetória foi boa e poderia ter sido ótima, não fossem os tropeços e alguns falsos colaboradores. Acredito que a maior dificuldade é a falta de incentivo acompanhado de perto pela inadimplência.

O que espera poder realizar em seu clube neste ano de 2009?

Piperno – Eu não espero, tenho certeza que voltaremos a fazer grandes eventos, teremos nossa sede e muitas mudanças para melhor.

Sabemos que seu clube é credenciado a emitir a placa preta, qual a porcentagem de sócios com carros de placa preta?

    Empresários só pensam em trazer artistas estrangeiros e patrocinar show de pagode

Piperno – Esta pergunta é ótima! Há alguns anos a porcentagem era mínima, talvez 20 ou 30%. Hoje, com a conscientização de que auto antigo é cultura e com a chegada dos nacionais na “maior-idade” o percentual mudou e com isso nosso Clube Carioca cresceu muito em termos de associados a partir do final do ano passado, tendo inclusive conseguido fazer sócios em todo o Brasil: Manaus-AM – 2 sócios; Marechal Cândido Rondon-PR – 3 sócios; Matelandia-PR – 2 sócios – Cascavel-PR – 1 sócio; Santo André-SP – 1 sócio; – Piracaia-SP – 1 sócio; São Paulo-Capital – 3 sócios; sem contar a infinidade de sócios em todo o Estado Rio , sendo o maior exemplo a cidade de Engenheiro Paulo de Frontin, onde o Clube Carioca tem muitos e bons amigos e, palmem, temos dois sócios internacionais: um em San Diego na Califórnia e outro mais recente, que inclusive esta nos visitando e que tenho o prazer de dizer o seu nome: Costantino Matiolli, de Pietralunga na Itália. Ufa!

Qual a maior dificuldade encontrada pelos clubes para a realização de um evento?

Piperno – Tenho a impressão que serei repetitivo: a falta de incentivo! Infelizmente no Brasil os grandes empresários só pensam em trazer artistas estrangeiros e patrocinar show de pagode. Falta também gente com boa vontade para a organização.

Na sua opinião o que poderia ser feito para despertar o interesse das empresas em apoiar os eventos de antigomobilismo?

Piperno – Bem, acho que os dirigentes de clubes organizados e filiados à Federação Brasileira de Veículos Antigos deveriam unir-se realmente à direção da FNVA e organizar-se melhor a partir de um calendário para os federados.

Qual a sua avaliação com relação ao crescimento dos eventos em nosso meio?

Piperno – Acho que nosso povo esta crescendo em termos de cultura e educação e os filhos estão voltando a acompanhar seus pais e até aceitando as diferenças de idéias e conceitos. E isto é realmente muito bom!

    Acho que nosso povo esta crescendo em termos de cultura e educação

Piperno – Mesmo com os problemas já mencionados, o crescimento esta em alta e acho que vai continuar, pois a razão prevalecerá, como sempre!

Percebemos nos encontros que além do carro, figura principal, a família tem um lugar de grande importância. Vemos pais, filhos e esposas, todos envolvidos e contagiados por essa ferrugem. Qual a sua explicação para essa contaminação tão saudável?

Piperno – Acho que nosso povo esta crescendo em termos de cultura e educação e os filhos estão voltando a acompanhar seus pais e até aceitando as diferenças de idéias e conceitos. E isto é realmente muito bom!

Nossa entrevista esta chegando ao fim. Deixamos aqui com a palavra o presidente, a quem agradecemos pela colaboração ao Portal Maxicar.

Piperno – Na verdade eu é que devo agradecer ao Portal Maxicar que tanto tem feito para o engrandecimento do antigomobilismo no Brasil. Espero que com esta e outras iniciativas decentes e de boas intenções, somente as “coisas” boas perdurem.

Visite: www.clubecariocadeautosantigos.com.br

Comentários do Facebook

Fatima Barenco

Editora do Portal Maxicar. Emails para essa coluna: fatima@maxicar.com.br

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário