Repórter Maxicar

AMC Gremlin: um dos mais esquisitos e adoráveis americanos de todos os tempos

AMC Gremlin

Fabricado durante nove anos, ele foi um sucesso de vendas, apesar do visual bem fora do comum. Hoje, virou um ‘cult’ entre os colecionadores

Ele normalmente aparece na lista dos carros mais feios do mundo. De fato, o AMC Gremlin é adoravelmente feio. Foi o primeiro subcompacto americano e nasceu em 1º de abriu de 1970, para concorrer com os japoneses — que começavam a invadir os Estados Unidos — e com o alemão VW Beetle, o nosso Fusca. Se antecipava também a dois outros econômicos subcompactos americanos, cujo lançamento aconteceria alguns meses depois: O Ford Pinto e o Chevrolet Vega.

A partir do alto, Ford Pinto, comparativo Gremlin X VW na propaganda e AMX GT 1968

Conta a história, que os primeiros esboços do Gremlin foram feitos numa sacola de papel. A frente longa foi inspirada no Hornet. Já a traseira — que parece ter sido cortada com uma foice — já havia sido usada no conceito AMX GT, de 1968. O projeto é de Richard A. Teague, então vice-presidente de Design da AMC (American Motors Corporation).

Sobre Teague, algumas curiosidades: antes de trabalhar na AMC, passou pela GM, Packard e Chrysler, para onde voltou depois que ela comprou a AMC. Lá, projetou o Jeep Cherokee. Era um grande colecionador de automóveis, chegando a ter mais de 500 exemplares em sua coleção.

Dizem que também o nome ‘Gremlin’ foi ideia dele. Cujo significado é “um pequeno gnomo. Ogro”. Nada mais adequado para um carro com linhas tão sui generis. Quem não se lembra dos bichinhos fofos que viravam monstrinhos, no filme de Gremlins, de 1984, dirigido por Steven Spilberg?

À esquerda, propaganda de lançamento, com exemplar de dois lugares (sem abertura do vidro traseiro) em primeiro plano. À direita, poster do Filme Gremlins

O colorido AMC Gremlin

As cores do AMC Gremlin, via de regra, eram fortes e chamativas, com faixas laterais que reforçavam a estranha silhueta do carro, tons que em geral se chocavam com as das carrocerias: lilás com faixa dourada, amarelo com laranja, vermelho com amarelo e por aí vai.

O motores padrão do AMC Gremlin no início eram 6 cilindros 3.2 (128cv) e 3.8 litros (145cv), com câmbio de 3 marchas. Nos anos seguintes foi oferecido opcionalmente um V8 de 5 litros, o mesmo do esportivo Javelin. Em seus últimos anos o 6 cilindros foi substituído por um 4 cilindros 2.0, potente e econômico.

Cores berrantes

O Gremlin tinha uma característica muito interessante. Sua carroceria era super rígida, o que lhe dava ótima estabilidade, resistência e evitava excesso de barulho em seu interior. É que ele não tinha tampa no porta-malas. No início foi oferecido em duas versões: a de quatro passageiros custava US$ 1.959 e o acesso à mala era feito pelo vidro traseiro basculante.

Já a de dois passageiros era a básica e não possuía banco traseiro. Custava US$ 1.879 e tinha vidro traseiro fixo. O acesso à mala tinha que ser feito pelas portas mesmo. Essa segunda versão vendeu pouco (3.071) e foi descontinuada já no ano seguinte.
Eu estava conversando com os caras da linha de montagem e eles dizem que é o carro mais resistente que já construímos. A coisa é como uma caixa de aço soldada e integrada. Se houvesse uma porta traseira lá, onde está o tanque de combustível e as luzes traseiras estão localizadas, seria um carro mais fraco — explicou Teague em uma entrevista da época.

Gremlin Levi’s

Versões

O Gremlin teve várias versões. Já em 1971 surgiu a esportiva X, que vinha com motores 6 cilindros ainda mais potentes: de 4.2 litros. Em 1973 saia a versão Levy’s, com forrações em jeans, costuras na cor laranja e ilhoses — acabamento que foi copiado aqui no Brasil pela Chevrolet em nosso Chevette Jeans, de 1979. Houve também uma versão GT, cuja produção não chegou a 2 mil unidades.

Interiores

Em 1975 a AMC lançou outro modelo ‘esquisitão’, que guarda semelhanças com o Gremlin, mas que tem uma proposta diferente: o Pacer. Mas isso já é assunto para outra hora.

Apesar das esquisitices, o Gremlin caiu no gosto do consumidor e foi sucesso de vendas. Vendeu exatos 671.475 entre 1970 e 1978. Além dos Estados Unidos, foi comercializado também no Canadá e México. Houve ainda uma versão australiana, montada por uma subsidiária local.

Por suas características únicas, hoje o AMC foi alçado à categoria de ‘Cult’ e vem ganhando a cada dia mais fãs e o respeito e admiração dos colecionadores. Exemplares originais em boas condições podem chegar a US$ 20 mil. Mas não é fácil encontrá-los a venda. No Brasil, nunca tivemos notícias de nenhum.

Texto e edição: Fernando Barenco

Em sentido horário, a partir do alto: Propaganda de 1973; Gremlin no desenho animado ‘Uma Família da Pesada; Detalhe da tampa de combustível; AMC Pacer, lançado em 1975

Espalhe por aí!
  • 19
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    20
    Shares

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

ADESIVOS MAXICAR

Novidades dos Classificados