Maxicar.com.br - O seu portal de veículos antigos
 
Modelo:

REPÓRTER MAXICAR

• Personalização
 Ultima atualização:  18/04/2013

‘Teje’ preso!

Colecionador do interior de São Paulo cria réplica perfeita
de Fusca Rádiopatrulha dos anos 1960

O Fusca 1969 possui todos os detalhes de uma viatura da época, inclusive sirene e Rádio PX, que funcionam

O Fusca já foi bastante utilizado como viatura das policias estaduais no Brasil. Tanto pela Civil quanto pela Militar e também pelo Corpo de Bombeiros. Apelidadas de “Patrulhinhas” começaram na “vida pública” na década de 1960 e permaneceram em serviço há até poucos anos na maioria dos estados.

No Rio, ainda restam alguns Fuscas da geração “Itamar” (1993-1996) em serviço. Já que o Governo Estadual na época adquiriu um enorme lote deles. Pintados de azul e branco, os da Polícia Militar receberam dos cariocas o carinhoso apelido de “Joaninha” — uma alusão àquela espécie de besouro bem pequeno e cheio de pintas sobre o carapaça. Essas viaturas remanescentes foram inclusive recentemente restauradas.

Um comercial do início dos anos 1960 produzido pela própria Volkswagen, vangloriava-se ao mostrar que o Estado de São Paulo adorava os VWs como radiopatrulhas, por sua agilidade no trânsito, resistência, versatilidade e facilidade de estacionamento.

Sócio do Clube de Autos Antigos de Taubaté – SP (CAAT), o antigomobilista Sérgio Garcia sonhava fazer uma réplica perfeita das antigas radiopatrulhas da Polícia Civil. Procurou manter segredo sobre o assunto já que nunca havia visto uma nos encontros de automóveis antigos que frequentava e queria ter o primeiro veículo do tipo nas cores preto e branco. Em suas pesquisas na internet, a única replica que encontrou foi uma nas cores laranja e preto (Polícia Militar de São Paulo), em exposição em Santos – SP.

A principio, o bege seria usado no projeto...
...mas foi substituido pelo branco, que já estava em ótimo estado

O ponto de partida do projeto foi o Fusca bege 1969 que Sérgio mantinha em sua garagem, em Pindamonhangaba. O carro, que havia sido salvo do desmanche, possuía boa estrutura, mas estava com muitos itens não originais e necessitava ser restaurado antes de virar “Patrulhinha”. O trabalho começou pela parte mecânica: motor, freios, suspensão, caixa de direção... Começaria em breve a parte de funilaria.

A referência para o projeto foi essa velha foto encontrada na internet

Foi então que Sérgio foi informado por César, seu mecânico, que um vizinho estava vendendo um 1300 1968 branco, inteiramente original e muito bem conservado. Ele então concluiu que este seria o carro certo para o projeto. Pechincha daqui, pechincha dali, leva o filhão Ricardo para ajudar na negociação e, bingo! – negócio fechado.

O colecionador passou então a pesquisar na internet imagens de época dos Fuscas Radiopatrulha. A única que encontrou no Google foi essa ao lado, em que o carro aparece de perfil e com um policial portando uma pistola. Ao fundo, estacionado, o que parece ser um Willys Itamarati.

O "envelopamento" não deu bom  resultado...

Inicialmente, pensou-se em “envelopar” com material adesivo as partes que seriam da cor preta e deu-se início aos trabalhos. Nas superfícies planas, correu tudo bem, entretanto, nos locais arredondados, como nos para lamas, por exemplo, o resultado não foi satisfatório.

O objetivo inicial era que o carro ficasse pronto a tempo de ser apresentado no 2º Encontro de Fuscas & Cia., no dia 24 de fevereiro, em Taubaté. Mas a data da “estreia” teve que ser adiada, por causa desse imprevisto.

O 68 foi então encaminhado para a Oficina do Alexandre, que providenciaria a convencional pintura bicolor. O carro foi inteiramente lixado e pintado de Branco Pérola e Preto Cadillac. Sérgio documentou todo o processo, através de fotos.
Preparamos uma brincadeira para Presidente do CAAT, Aldo Fusco. Ele foi informado sobre a aquisição de um carro 1968, inédito, e que ele seria apresentado em breve. Porém, em razão de ‘segredo de estado’, não poderiam ser revelados maiores detalhes por enquanto. O zeloso ‘maestro’, teve a curiosidade aguçada, tentou algumas vezes desvendar o mistério e nada. Seu ultimato: “Está bem! Pela expectativa apresentada, se não for ao menos um Rolls-Royce, não aceitarei. Não me venha com mais um Fusca!”. — conta Sérgio Garcia.

...então optou-se pelo processo convencional de lixamento e pintura

A meta agora era mostrar o VW Patrulha pela primeira vez no XII Encontro de Veículos Antigos de Jacareí, em 21 de abril. O prazo mais uma vez foi “estourado”, devido às dificuldades envolvidas num projeto como esse.

Chegada a hora de aplicar os adesivos

Depois da pintura, foi a vez do funcionário João fazer o lixamento e polimento da carroceria. Chegou então a vez da recolocação dos vidros e da instalação da perfeita réplica de sirene, feita pelo Alberto. Cláudia e a equipe da Art House se encarregaram da criação e aplicação dos adesivos na carroceria. Trabalho perfeito! Não faltou nem mesmo a instalação de um rádio PX, como os da Polícia Civil.

Após os últimos cuidados na César Automotive, a nova “patrulhinha” estava finalmente pronta para sua viagem de estréia, que aconteceu no dia 12 de abril. Os cerca de 20 quilômetros do percurso de Pindamonhangaba a Taubaté foram cumpridos com muita admiração por onde o veículo passava. Chegou a causar certo espanto ao cruzar com uma viatura “de verdade” da Polícia Militar. Em Taubaté, o Fusca foi levado para a SE Veículos, de propriedade do presidente Aldo, para que ele conhecesse de perto o “Rolls-Royce” misterioso.

A apresentação oficial ao grande público aconteceu dois dias depois, quando o Fusca Patrulha participou de um desfile cívico em Caçapava, em comemoração ao aniversário da cidade, sendo conduzido pelo próprio presidente Aldo, em companhia de sua esposa. Silvia.

Sérgio faz questão de destacar, que o veículo encontra-se rigorosamente dentro das especificações legais, sendo registrado na CIRETRAN de Pindamonhangaba sob o nº 010137626859, com a especificação no Certificado de Registro de Veículo na categoria “FANTASIA”.

A estreia oficial, durante desfile de aniversário da vizinha Caçapava

Texto: Fernando Barenco
Fotos: Sérgio Garcia
Video: CAAT


 

Número de acessos a esta matéria: 2899

 

Documento sem título


Insira seu e-mail:

Cadastre-se e receba nossos boletins informativos.
É GRÁTIS!