Coberturas

1º Encontro Petropolitano de Veículos de Coleção

Um evento regado à mais tradicional cerveja

Primeira edição reuniu cerca de 120 automóveis no Centro Histórico. Segunda edição já está prevista para o ano que vem

No último final de semana — 25 e 26 de novembro — O Nictheroy Clube de Veículos Antigos subiu a Serra. O 1º Encontro Petropolitano de Veículos de Coleção, contou com a parceria do Clube do Opala de Petrópolis e aconteceu na Rua Alfredo Pachá, entre a Cervejaria Bohemia e o Palácio de Cristal — no Centro Histórico.

O evento teve o apoio da Prefeitura Municipal — através de sua Fundação de Cultura e Turismo — e da própria Cervejaria, que colocou à disposição suas instalações e no início da tarde de sábado (25), ofereceu aos expositores e seus acompanhantes um coquetel de boas-vindas, por sinal bastante elogiado. O troféu de participação foi uma garrafinha personalizada. De cerveja, é claro!

Alguns carros ficaram estacionados dentro da Bohemia

A Bohemia é a mais antiga cerveja do Brasil, fundada em Petrópolis em 1853. Sua antiga sede abriga hoje um complexo com “Tour Cervejeiro” — onde o visitante conhece o processo de fabricação das cervejas, restaurante, bar e espaço para eventos.


Participaram da exposição cerca de 120 veículos fabricados entre as décadas de 1920 e 1990, que fizeram inscrições prévias via internet, devido à limitação de espaço. Vieram antigomobilistas do Rio, Niterói, Teresópolis, Paraíba do Sul, Três Rios, Itaboraí, Araruama e outras cidades fluminenses. Eles puderam conhecer também os atrativos turísticos da “Cidade Imperial”, como o Museu Imperial, a Casa de Santos Dumont, o Palácio de Cristal e a Catedral São Pedro de Alcântara. E enquanto admiravam os automóveis, as esposas tiveram a oportunidade de fazer umas comprinhas na famosa Rua Teresa.

Claro que os antigomobilistas petropolitanos também prestigiaram o evento. Renato de Noronha nos mostrou seu impecável Willys Interlagos Conversível. Apesar de possui-lo desde a década de 1980, nunca tivemos a oportunidade de vê-lo circulando pelas ruas da cidade.

Já Antonio Carlos levou seu Lada Laika 1991 recém adquirido. Extremamente bem conservado, o carro sempre pertenceu a um único proprietário e tem ainda os adesivos da concessionária. Antonio Carlos nos contou que não tem dificuldades para encontrar peças e que a fama de automóvel problemático do modelo russo é apenas um mito.

O público foi muito bom no 2º dia de evento

Por lá também um VW 1600 “Zé do Caixão” 1969 da raríssima versão L. Seu proprietário, o Jovem Thiago Almeida, nos contou que as diferenças entre essa versão e a convencional está nos detalhes de acabamento: pintura em duas cores, calotas especiais, relógio de horas no painel e interior marrom.

Dessa vez, o número de Opalas e de Passats superou o de Fuscas. Isso aconteceu devido a grande presença dos sócios do Clube do Opala de Petrópolis e do Passat Clube do Rio de Janeiro. Outros modelos nacionais foram Fiat 147, Karmann Ghia, Gol GTs, Kadett GSi, Escort XR3, Corcel e Corcel II, Del Rey, Monza, Kombi, Aero Willys, Santa Matilde, Miura, entre outros.

O nível de qualidade dos automóveis esteve muito bom também entre os importados. Um dos mais fotografados foi o Lincoln Continental Mark V 1977. Seu enorme capô, os faróis escamoteáveis e o vidro lateral oval foram alguns detalhes que encantaram os visitantes — moradores de Petrópolis e turistas.

Camaros havia dois: um SS 1967 e um Type LT 1974. E mais: Impala 1963, Volvo PV 444 1957, Valxhall Velox 1949, Ford Modelo A 1928, Mercedes Benz 280SL 1978, e Pick-Up Ford F3 1951.

Domingo, a partir do meio dia, foi realizada a premiação dos veículos que mais de destacaram. Foram escolhidos os seguintes modelos:

Aero Willys e Caravan: dois dos premiados
  • Caminhão Militar Mercedes Benz 6X6 1974 – Fernando Morelli
  • Ford Modelo A 1928 – José Lúcio
  • Aero Willys 1967 – Sérgio Carranca
  • Camaro Type LT 1974 – Paulo Affonso Salvini
  • Caravan 1975 – Sidney Mandarino
Francisco Esteves – Presidente do Nictheroy Clube de Veículos Antigos (e) e Marcelo Ferreira – Presidente do Clube do Opala de Petrópolis (d), entre os representantes da Bohemia e da PMP

A cerimônia contou com a participação dos presidentes e membros dos clubes organizadores do evento, do representante da Fundação de Cultura e Turismo e do dirigente da Cervejaria Bohêmia, que elogiou a iniciativa colocou o espaço à disposição para a realização da 2ª edição deste evento, em 2018.

O evento foi encerrado com a apresentação da ótima COP Band, formada por sócios do Clube do Opala de Petrópolis. No repertório muito rock clássico, cuja palinha você curte no clip abaixo.


ÁLBUM DE IMAGENS


Texto: Fernando Barenco
Edição, fotos e video: Fátima Barenco e Fernando Barenco

 

Comentários do Facebook