Repórter Maxicar

Um ‘rolezinho’ pelo nosso Planeta

Casal dará volta ao Mundo numa Pick-up Chevrolet 1951, a “Mary Lou”. Partiram dia 14 de agosto e primeira etapa será pelo Brasil. Depois, os dois extremos do Continente Americano, Asia, Europa…

Éum projeto dos sonhos e está apenas começando: dar a volta ao Mundo a bordo de uma pick-up norte-americana fabricada em 1951. A largada dessa imensa aventura teve início no dia 14 de agosto de 2017, quando o casal André Jardim e Júlia Prates partiu na “Mary Lou” — como foi batizada a Chevrolet 3100 — modelo no Brasil conhecido como “boca-de-sapo”, por causa do formato de sua grade.

André, Júlia e, claro, a Mary Lou

Até abril do ano que vem o casal fica por aqui mesmo, numa espécie de ‘ensaio’ para a grande jornada. Sem nenhuma pressa — como deve ser uma viagem como essa — irão percorrer a Estrada Real por suas cidades, vilas e fazendas. Depois uma escapada em parques estaduais e nacionais, incluindo as Chapadas dos Veadeiros, em Goiás e  Diamantina, na Bahia.

Terminado esse tour brasileiro, o primeiro destino internacional é o extremo sul de nosso continente, em direção à chamada Terra do Fogo, na Argentina.  Irão rumar lentamente naquela direção em abril do ano que vem e esperam passar o Reveillon 2018/19 por lá. E em janeiro começam a viagem em direção ao Norte, atravessando nossos vizinhos da América do Sul como Chile, Colombia, Peru e Equador, depois América Central e América do Norte, com México, Estados Unidos e Canadá, chegando ao gélido estado norte-americano do Alasca, completando assim a travessia de toda a Rota Panamericana.

De lá embarcam de navio junto com a “Mary Lou” rumo à Asia Central e Europa. Pulam depois para a África e a atravessam de ponta-a-ponta. Então retornam à Asia, desta vez na região Sudoeste, seguindo finalmente para a Oceania, mais especificamente a Austrália, o fim dessa inacreditável viagem.

Mas quem são esses nossos aventureiros?

André Jardim é mineiro da Capital. Geógrafo por profissão, tem no sangue o hábito de viajar, coisa que faz com regularidade desde criança.
Júlia Prates nasceu em Campo Grande – MS, mas já viveu em vários lugares: Brasília, Estado de São Paulo (interior e Capital), depois no interior de Goiás, Pará e atualmente Minas Gerais. As constantes mudanças fizeram com que se tornasse meio nômade. É formada em Geologia.

E foi justamente esse gosto pelas viagens e aventuras um dos motivos de união desse casal.

Com a Mary Jane, várias aventuras

A inspiração de André para a essa volta ao Mundo nasceu em 2007, quando leu na revista Classic Show uma reportagem a respeito do casal de argentinos Herman e Cande, que viajavam pelas três Américas num Graham Page 1928. Aliás, uma reportagem que vale a pena ler! Em 2014, o casal fez a primeira grande viagem, mas com a Chevrolet 1416 fabricada em 1965 (a “Mary Jane”), rumo ao Uruguai. Aqui cabe uma pequena explicação: para quem não está ligando o nome, o automóvel em questão é a popular Veraneio, que em seu lançamento — em 1964 — foi batizada de 1416, só mudando para Veraneio mesmo em 1969.

Depois da primeira fizeram diversas outras, sempre de Veraneio. Foi o ‘laboratório’ para esse ‘rolezinho’ pelo nosso Planeta, que começou agora. Então, não pense que são marinheiros de primeira viagem!

E a “Mary Lou”?

Ainda adolescente, no final da Década de 1980, André já namorava essa veterana caminhonete que vivia estacionada num posto de gasolina em frente à sua escola, em Belo Horizonte. Seu pai não resistiu e acabou  comprando. Havia pertencido a um casal que a adquiriu zero km e que também adorava viajar. Então “Mary Lou” já havia estado na Argentina, Uruguai, Chile, Peru e Bolívia.

A Chevrolet já está na família há quase 30 anos e durante todo esse tempo continuou passeando bastante. Mas para essa volta ao Mundo, precisava de uma ‘geral’, incluindo restauração e algumas adaptações e upgrades para ficar ainda mais confiável e funcional. Em 2015 ela foi entregue aos cuidados da Oficina AutoMotor, de São Paulo. Lá passou por um tratamento mecânico completo. Foi mantido tudo original, com motor 6 cilindros e câmbio manual de três marchas na coluna de direção.

A pick-up foi muito bem equipada

Depois, ela foi direto para a Batistinha Garagem para cuidar da parte estética: lanternagem e pintura. Foram seis meses de soldas, lixas, massa, tinta… A caçamba é nova. Para maior autonomia, foi instalado um tranque com capacidade para 120 litros de gasolina. Afinal, economia não é o forte da “Mary Lou”. Toda a parte elétrica foi refeita e o sistema mudou de 6 para 12 volts. Os bancos originais foram trocados por mais modernos, para maior conforto. Ela ficou novinha em folha! Depois foi instalada toda a estrutura da caçamba, com espaço para guardar mil coisas. Tem pia, fogão, geladeira, armário com gavetas e onde é possível armar no teto uma barraca elevada de camping. Tem até painel solar!

A venda de chaveiros dá uma força para ajudar nas despesas

Você pode imaginar que uma viagem como essa não é nada barata. Por isso André e Júlia criaram uma página do Facebook onde vendem por apenas R$ 20,00 os chaveiros do projeto. Tem a logo “Expedição na Estrada” e até a “Mary Lou”. Já dá uma ajuda no combustível. Que tal dar uma forcinha?


Texto e edição: Fernando Barenco
Fotos: Expedição Na Estrada

Comentários do Facebook

Novidades dos Classificados