Fatima Barenco

ENTREVISTA: Aquiles Mobilon — V8&Cia – Campinas, SP

Uma febre chamada Carros Antigos

Um colecionador multimarcas, empresário e tem uma família especial. E é ele mesmo quem nos conta um pouco de sua história no antigomobilismo e na vida.

“Sou um cara pacífico porem agitado! Ligado nos 220 volts no meu  trabalho, mas bem tranquilo no quesito de organização e compromissos. Procuro não me estressar. Tenho uma família abençoada: uma esposa legal, duas filhas e dois netos e mais um a caminho. Carros antigos? Até o início desse ano tive vários! Por motivo de espaço — que hoje se tornou muito caro — tomei a decisão de vender alguns. Tenho ainda um Fusca 65, um Ford Coupe 48, uma Chevrolet C-15 73, uma pick-up Rural 77 e algumas motos antigas bem legais.”

Nesta primeira entrevista de 2017, tenho a honra de bater um papo com o Presidente do V8&Cia, Aquiles Mobilon, que também é um dos fundadores do clube.


1Quando foi fundado o V8&Cia – Sociedade de Antigomobilismo de Campinas? Atualmente quantos membros possui? Conte-nos um pouco de sua história.

Aquiles — O Clube surgiu no ano de 1999, de encontros em que participavam vários amigos apaixonados por carros antigos, que hoje compõe a Associação. Na época faltavam eventos de carros antigos em Campinas, por essa razão resolvemos criar nosso próprio evento. Como já participávamos de vários desses encontros pela região, tiramos proveito e aprimoramos o nosso. Logo surgiu a ideia de o evento ser realizado em um espaço público cedido pela Prefeitura de Campinas, na Pedreira do Chapadão. No dia 14 de julho de 1999, fizemos o nosso primeiro evento e foi um sucesso, pois foi feito com muito esforço de toda a galera apaixonada por essa febre chamada carros antigos, que contagia milhares de fanáticos e colecionadores por todo o Mundo.

Aquiles e o presidente da FBVA, Roberto Suga

Nesse primeiro encontro conseguimos reunir cerca de 700 carros e passou por lá um público estimado em mais de 15.000 pessoas. Consequentemente fomos nos aperfeiçoando e realizando outros eventos cada vez melhores. Então decidimos montar a Associação.

O evento era realizado anualmente. Após o terceiro ano percebemos que o público pedia para que o evento fosse mensal e assim segue até hoje.

A Associação é regulamentada pelos órgãos Municipal, Estadual e Federal, conhecido mundialmente por estar federado junto a Federação Brasileira de Veículos Antigos (FBVA). Hoje detemos um título muito importante e reconhecido pela Prefeitura de Campinas como “Utilidade Pública”. Atualmente a Diretoria é composta por 10 membros.

2Vocês realizam todos os meses o Encontro no Paulínia Shopping sempre homenageando uma marca. Como surgiu essa ideia? Uma curiosidade: qual a marca reuniu o maior número de veículos em exposição?

Aquiles — Além do fato da homenagem e reconhecimento as marcas, pensamos na diversidade em trazer a cada último domingo do mês algo diferente. A ideia surgiu por esse motivo, os encontros estavam ficando muito monótonos e parecidos, os visitantes eram sempre os mesmos. Quando decidimos tentar classificar os domingos por marcas, percebemos que amantes das marcas especificas vinham de longe trazer seus carros para expor. Diversificando as visitas e carros.

Como sempre, a família Volkswagen sempre reuni maior número de veículos.

Evento em homenagem aos VWs: recorde de participantes

3

Que outras atividades o clube realiza? Algum momento importante para o clube que mereça destaque?

Aquiles — Participamos e realizamos muitos encontros itinerantes, ajudando cidades pequenas do interior onde não existem diversidades de carros antigos.

Vale a pena destacar um evento que fizemos no Shopping Galleria em Campinas, onde reunimos o maior número de Ford Landau e Galaxie do Brasil.

I Encontro Nacional do Galaxie, em 2009

4

Vamos falar um pouco sobre o antigomobilismo em sua vida. Como e quando surgiu sua paixão pelos carros antigos e qual o seu xodó sobre rodas?

Aquiles — Desde meus 4 anos, meu avô nos levava para pescar em sua Ford Pick-up 1929, e daí surgiu a paixão pelos carros antigos.

Por incrível que pareça, não tenho um xodó específico, sou desapegado de marcas e modelos. Amo todos eles.

Encontro mensal em homenagem aos Dodges

5Um assunto sempre na atualidade para os colecionadores. Considera importante possuir automóveis com placas pretas? Como você vê a proliferação dessas placas irregulares?

Aquiles — Sim, além de valorizar o bem, ele mostra ao público leigo e aos amantes sua forma mais original, não perdendo sua identidade e contribuindo para conservação da cultura automotores.

Esta é uma questão polêmica, pois vejo com revolta a forma deliberada como está sendo feita essa prática, vejo como crime, onde pessoas se enriquecem e enganam leigos, como forma de valorização do carro. Ludibriando o comprador a pagar um valor por um carro no qual ele não vale.

Aquiles e a esposa (ao centro), junto com outros companheiros do V8&Cia

6Qual a sua visão do antigomobilismo no Brasil no momento atual?

Aquiles —  Acredito que no Brasil falta mais apoio dos Governo, em criar museus e exposições e considerá-los como patrimônio da cultura brasileira. Temos dificuldades em receber apoios governamentais, tendo que recorrer a ajuda privada para conseguirmos levar, expor e preservar a história dos carros. Tendo em vista que a maioria da população não tem acesso a esse bem.

7

Vocês costumam também fazer viagens a bordo do ônibus do Clube, como tive o prazer de ver em Águas de Lindóia no ano passado. Nos conte um episódio marcante a bordo dele. Já tem alguma viagem programada para esse ano?

Aquiles — Fomos em 2015 para Campos do Jordão a bordo do ônibus do Clube, junto com as esposas. Nossa sorte foi ter levado as motos dentro do ônibus, pois o pneu furou e nos esquecemos do “macaco” e utilizamos as motos para ir até o borracheiro.

Este ano já está programado o evento anual de Encontro Nacional de Carros Antigos de Águas de Lindoia.

Espaço do V8&Cia em Águas de Lindóia 2016. Ao fundo o famoso ônibus

8

Em poucas palavras, o que vem à sua mente:

Andar de carro antigo é…
Aquiles – Se sentir um artista
Conseguir uma peça é…
Aquiles – Sensacional
Conseguir patrocínio é…
Aquiles Reconhecimento
Fazer vistoria em São Paulo é…
Aquiles Desnecessário
Importar um veículo antigo é…
Aquiles Desejo
Museus acabando é…
Aquiles Triste e revoltante

9Para quem quiser se filiar ao V8&Cia, como deve proceder?

Aquiles — Possuir veículo antigo (de acordo com as regras do clube), comparecer aos eventos munido com seus documentos e aderir ao plano mensal, garantindo a ele o direito de estacionar nas vagas isoladas, camiseta do clube, carteirinha e benefícios para outros eventos. E o direito a colocar placa preta (conforme regras). Visite: www.v8ecia.com.br

10Nossa entrevista está chegando ao fim e deixamos aqui com a palavra um novo amigo e presidente Aquiles Mobilon, a quem agradeço imensamente pela participação e por poder mostrar a cada mês um pouco mais sobre cada clube pelo Brasil. O espaço é todo seu…

Aquiles — O V8&Cia agradece ao Maxicar pelo apoio a todos os clubes e ao antigomobilismo, nos dando a oportunidade de expressarmos nossa preocupação em manter a preservação da história de uma época vivida pela sociedade. Os antigomobilistas ajudam tanto na preservação e restauração das raridades como na continuação da história mundial dos carros. Convidamos a todos vir conhecer nosso Encontro em Paulínia.

Aniversário do clube em 2015

 


O V8&Cia realiza seus encontros mensais todo último domingo do mês, no Paulínia Shopping, que fica na Avenida Prefeito José Lozano de Araújo, 1551 — em frente ao Terminal Rodoviário de Paulínia. Contatos: v8ecia@gmail.com


 

Comentários do Facebook

Tags

Fatima Barenco

Editora do Portal Maxicar. Emails para essa coluna: fatima@maxicar.com.br

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Novidades dos Classificados

%d blogueiros gostam disto: