Coberturas

XXIV Encontro de Automóveis Antigos da Posse – Petrópolis, RJ

Em primeiro plano, FNM 2000 1962 de Pedro Ladeira. Ao fundo, o 1967 de Luiz Carlos Fortes Braga

XXIV Encontro de Automóveis Antigos da Posse – Petrópolis, RJ

Homenagem especial aos automóveis ‘FêNêMê’

Edição 2016 reuniu exemplares do JK, o Alfa Romeo produzido em Xerém

O evento aconteceu no Ciep Gabriela Mistral
O evento aconteceu no Ciep Gabriela Mistral

A Fábrica Nacional de Motores ficava em Xerém, o distrito de Duque de Caxias situado bem no pé da Serra de Petrópolis. A estatal permaneceu ali por décadas, produzindo veículos sob licença da italiana Alfa Romeo. Primeiro fabricando caminhões e depois automóveis também. Começou com o 2000, depois veio o 2150, ambos genericamente chamados por todos de FNM JK, embora essa nomenclatura tenha sido a oficial apenas para os 2000 dos primeiros anos. O último modelo fabricado lá foi o Alfa Romeo 2300, cuja linha de produção acabou assumida pela Fiat, que a transferiu para Betim.

Apesar de as vendas dos FNMs terem chegado a cerca de 8 mil unidades — afinal, apesar de caro, era o carro nacional mais moderno dos anos 1960 — hoje em dia é bastante raro se encontrar dois JKs em uma mesma exposição de carros antigos. Mesmo nos grandes eventos de todo o Brasil a presença de apenas um já é algo incomum.

À esquerda Luiz Carlos e seu JK. À direita, recebendo a homenagem de Gilberto Nassif
À esquerda Luiz Carlos e seu JK. À direita, recebendo a homenagem de Gilberto Nassif

Imagine três, como no XXIV Encontro de Automóveis Antigos da Posse, que aconteceu no último domingo, 31 de julho. O 2000 1962 branco, de Barbacena-MG, pertence a Pedro Ladeira, um antigomobilista se notabilizou por fazer questão de ir sempre rodando com seus clássicos do passado, não importando a distância. O 2150 1972 também branco está na garagem de Gilberto Nassif — o organizador deste evento — há muitos anos. Já 2000 1967 pertence a outro mineiro: Luiz Carlos Fortes Braga, de Juiz de Fora, que foi o antigomobilista homenageado na edição. Grande entusiasta e conhecedor da marca Alfa Romeo, é dono também de um exemplar dos anos 1990.

À esquerda, Marcelo homenageia Aloísio. À direita, um foto com aturma do Clube do Opala
À esquerda, Marcelo homenageia Aloísio. À direita, um foto com aturma do Clube do Opala

O Clube do Opala de Petrópolis marcou presença com vários exemplares, com destaque para duas station wagon Caravan: uma 4100 1977 e uma Diplomata 1987. O clube prestou uma bela homenagem ao veterano sócio Aloísio Coutinho, que recebeu o título de Sócio Remido das mãos do presidente Marcelo Ferreira da Silva. Ao final da homenagem, uma foto com todos os membros presentes.

Acima, a rara pick-up Chevrolet 1937. Abaixo as miniaturas de Ricardo
Acima, a rara pick-up Chevrolet 1937. Abaixo as miniaturas de Ricardo

Ainda falando de Chevrolets, encantou os visitantes a pick-up 1937 em tons de verde que veio rodando de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O modelo é bastante raro no Brasil, mesmo entre as grandes coleções. Foi o veículo mais antigo do evento. E mais: Ricardo José do Carmo montou sobre o capô de seu Monza uma miniexposição de miniaturas com diversos modelos de carros, pick-ups e furgões da marca da gravatinha. Ele nos contou que aquela é apenas uma pequena amostra da coleção de mais de mil miniaturas de seu filho Geraldo, que mora em São Paulo e deixa várias delas guardadas em Petrópolis, por falta de espaço.

Renato e sua recém adquirida Variant II 1980
Renato e sua recém adquirida Variant II 1980

Renato Nunes da Costa nos mostrou sua Variant II 1980 adquirida esta semana. Foi busca-la em Bom Jesus do Itabapoana, Noroeste Fluminense, distante cerca de 300 km de Petrópolis. Carro de segundo proprietário, foi mantida com capas nos bancos desde nova, que permaneceram intactos por todos esses 36 anos.

Jeep 1967 e a pick-up F75 de Nelson Nunes: ambos perfeitamente conservados
Jeep 1967 e a pick-up F75 de Nelson Nunes: ambos perfeitamente conservados

A linha 4X4 brasileira foi bem representada, com destaque para o Jeep Willys 1967, a pick-up F75 1976 de Nelson Nunes e o DKW Candango 1961.

Audi Fox 1978 movido a diesel
Audi Fox 1978 movido a diesel

Entre os automóveis importados, um dos que mais nos chamou a atenção foi o Audi Fox 1978. Seu visual anguloso nos faz confundi-lo com os Passats transformados pela Dacon na década de 1970. Lembra deles? Não é para menos: nosso Passat é um primo desse modelo, originalmente chamado Audi 80 na Alemanha e rebatizado para o mercado norte-americano. Detalhe interessante é o fato de ser movido a diesel.

Na década de 1980 nosso VW Voyage foi exportado para EUA com o nome de Fox. Mas essa já é outra história…

Outro importado movido a diesel: Mercedes Benz
Outro importado movido a diesel: Mercedes Benz 300 SD

Outro veículo de passeio movido a diesel, o 300SD 1981, foi apenas um dos diversos modelos Mercedes Benz presentes no Distrito da Posse. Estava acompanhada de duas 280S, uma 280 e uma 190E.

O Imperial Jeep Clube teve grande presença na edição deste ano. Ao lado dos tradicionais Jeeps Willys e Ford da II Guerra Mundial e do Caminhão Mercedes Benz modelo L-1519  com tração integral, um autêntico Fusca Militar 1983. Seu atual proprietário, Wilmar Mendonça, nos contou que o carro foi adquirido através de um leilão do Exército Brasileiro, e que o carro faz um surpreendente sucesso nos eventos do qual participa. Afinal, não é todo dia que se vê um VW com essa configuração.

Wilmar e o Fusca adquirido do Exército
Wilmar e o Fusca adquirido do Exército

O Encontro de Automóveis Antigos da Posse é um dos mais antigos do Brasil e acontece anualmente no 5º Distrito de Petrópolis, cidade da Região Serrana Fluminense.

 

   EXPOSIÇÃO     MOMENTOS      HOMENAGENS & PREMIAÇÃO

Texto: Fernando Barenco
Fotos e edição: Fátima Barenco e Fernando Barenco

Comentários do Facebook

Novidades dos Classificados