Conteúdo Repórter Maxicar

Presidente da FIVA faz palestra em Águas de Lindóia, SP

O presidente da FIVA, Patrick Rollet apresenta o "World Motoring Heritage Year"

evento

Presidente da FIVA faz palestra em Águas de Lindóia, SP

O francês Patrick Rollet esteve no Encontro Brasileiro de Autos Antigos a convite da Federação Brasileira de Veículos Antigos

O presidente da Federation Internationale de Vehicules Anciens — FIVA, Patrick Rollet, proferiu palestra no dia 23 de abril, durante a terceira edição do Encontro Brasileiro de Veículos Antigos, em Águas de Lindóia, SP. Em visita ao Brasil a convite da Federação Brasileira de Veículos Antigos — FBVA, ele veio divulgar o Ano Mundial do Antigomobilismo (World Motoring Heritage Year), reconhecido pela UNESCO, no ano em que a entidade comemora o seu Jubileu de Ouro.

   ACOMPANHE A COBERTURA DO 3º ENCONTRO BRASILEIRO DE AUTOS ANTIGOS

Fundada em 1966, a FIVA tem sede em Bruxelas, na Bélgica e agrega 85 membros, em 64 países dos 5 continentes. Até mesmo países do oriente, como Iran, Tailândia e Sri Lanka têm seus representantes. Estima-se que ela agregue cerca de 1 milhão e meio de colecionadores de automóveis antigos em todo o mundo. No Brasil, a FBVA é a entidade representativa desde 1999.

Em sua conferência aos antigomobilistas brasileiros, Rollet contou um pouco da história da FIVA e falou sobre um dos seus principais papéis, que é o de defender os interesses dos proprietários de veículos clássicos e históricos, principalmente no que se refere a novas legislações anti-poluição, sobretudo em países da Europa — como França, Alemanha e Portugal — que restringem a circulação desse tipo de veículo.
— O que acontece na Europa acaba refletindo também aqui na América do Sul. Então é importante estarmos por dentro do que acontece lá. E nós da FBVA estamos preparados também para atender a toda comunidade brasileira de antigomobilismo, junto às autoridades de transito e de governo. A restrição do uso de veículos antigos por questões ambientais é um assunto sério em alguns países. Nós aqui no Brasil graças a Deus ainda não temos esse tipo de problema. — destacou Roberto Suga, presidente da FBVA.

fiva2
O presidente da FBVA, Roberto Suga, e a nova logomarca da FIVA

O presidente da FIVA apresentou também a programação especial para os 50 anos da entidade, como a lançamento da nova logomarca e de um livro, da realização de simpósios e de outros eventos que irão acontecer ao longo de 2016. Ele esteve acompanhado durante toda a visita a Águas de Lindóia do Embaixador da FIVA para a América Latina, o argentino Alec Daly, das Autoridades Nacionais FIVA no Uruguai, Carlos Scoseria e na Argentina, Juan Ranwez.

Após a sua palestra, Rollet conversou com os antigomobilistas presentes, muitos deles representante de clubes, que tocaram em questões como a dificuldade de mão de obra especializada em restauração de veículos clássicos — algo que acontece não apenas no Brasil, mas em todo o mundo. Rollet comentou um fato interessante: muitos colecionadores europeus têm restaurado seus automóveis na Índia. Lá, além de a mão de obra ser mais barata, está se formando um grande mercado de empresas e profissionais especializados.

Perguntamos a ele se há em outros países uma legislação específica para veículos de coleção, como a que temos aqui no Brasil, aqueles de placas pretas. Ele nos contou que sim. Que a grande maioria dos países com entidades filiadas à FIVA possui alguma lei referente ao assunto. Mas que na Europa o foco principal é mesmo a defesa da circulação desses veículos. Sobre a legislação brasileira ele preferiu não comentar, dizendo que ainda não a conhece o suficiente.

Rollet se apaixonou pelo Puma, sobretudo o GTS
Rollet se apaixonou pelo Puma, sobretudo o GTS

Passeando pela Praça Adhemar de Barros, o palco do 3º Encontro Brasileiro de Autos Antigos, Rollet teve a oportunidade de ver pela primeira vez os automóveis Brasileiros. Alguns já lhe eram familiares, pois são similares aos fabricados na Europa — caso do Gordini, do Fusca e dos DKWs e dos Simcas. Mas se apaixonou por dois esportivos genuinamente brasileiros: o Puma GTS (a versão conversível) e o SP2. Afirmou inclusive que gostaria de ter um deles, ou os dois, em sua coleção.

Acima, Suga apresenta a CNA. Abaixo, Og Pozzoli (c) em sua casa, com Rollet e sua esposa XXX e Roberto Suga
Acima, Suga apresenta a CNA. Abaixo, Og Pozzoli (c) em sua casa — com Rollet e sua esposa e Roberto Suga — recebe a CNA nº 1

fiva4

Ao final da apresentação, Suga falou a respeito da Carteira Nacional de Antigomobilista — CNA, documento oficial da Federação Brasileira de Veículos Antigos, a ser distribuída aos sócios de clubes filiados. Além de identificar seu portador como uma pessoa ligada à cultura de veículos antigos, o documento também irá oferecer vantagens na compra de produtos e serviços, em empresas parceiras dos clubes e da própria FBVA. A CNA tem validade de 3 anos e sua emissão custa R$ 125,00. A Carteira Nacional de Antigomobilista nº 0001 foi dada a Og Pozzoli, um dos maiores, mais famosos e mais antigos antigomobilistas brasileiros.

O Presidente da FIVA apresenta os selos comemorativos dos Correios brasileiros
O Presidente da FIVA apresenta os selos comemorativos dos Correios brasileiros

Foram lançados ainda oficialmente dois selos filatélicos comemorativos: o do “Ano Mundial do Antigomobilismo” e o de “50 Anos da FIVA”.

   ÁLBUM DE IMAGENS

Texto e edição: Fernando Barenco
Fotos: Fátima Barenco

Comentários do Facebook

Novidades dos Classificados