Conteúdo Mário César Buzian Nossos Colunistas

Como nascia um trailer Turiscar

Como nascia um trailer Turiscar

Muita gente sempre nos pergunta como eram produzidos os trailers nessa que foi a maior fábrica desses veículos na América Latina, já nos anos 1960. Vamos lá explicar!

O projeto do trailer Turiscar resultou do somatório de três sólidas experiências: Knaus (fabricante de carrocerias), Hahn (fabricante do chassis) e a própria Turiscar, que desenvolveu os aperfeiçoamentos técnicos necessários para a adaptação dos produtos às nossas peculiaridades de solo e costumes tipicamente brasileiros.

A Knaus forneceu o know-how para a construção das carrocerias, do tipo aeronáutico. Como utilizava alumínio em sua parte externa, era super leve e absolutamente imune à ferrugem. Naqueles tempos a Knaus foi o maior fabricante de trailers da Europa.

A Hahn do Brasil, fornecedora dos chassis e suspensões para os trailers, sempre teve a fama de produzir peças praticamente inquebráveis, possuindo um baixíssimo centro de gravidade, que permitia desenvolver altas velocidades com a mais absoluta segurança. Seus chassis eram zincados a fogo para total imunidade à corrosão.

As paredes do Trailer Turiscar eram prensadas em apenas uma unidade, o que dava extrema rigidez, possibilitando uma construção do tipo monobloco e deixando a carroceria bem leve, compacta e à prova de torções.

O assoalho era construído com madeiramento naval, em sistema celular, moldado em uma gigantesca prensa, com 46 mm. de espessura e revestido de plavinil lavável, que o deixava totalmente à prova d’água.

Todo esse conjunto era isolado termicamente com placas de styropor de 20 mm. de espessura que envolve toda a carroceria, assegurando comodidade e temperatura agradável sob quaisquer circunstâncias.

As mesas e tampos eram revestidos de fórmica, que ofereciam grande resistência ao uso, além de poder proporcionar diferentes e harmônicas tonalidades para os interiores do trailer, dando um toque de contraste e discrição.

Os sofás eram revestidos de espuma de nylon com 10 mm. de espessura, confortáveis e indeformáveis. As células desse tipo de espuma possuíam “poros”, demonstrando boa ventilação do material, aliados a tecidos especiais para tal fim que revestiam todo o estofamento.

Os armários eram revestidos de madeira de alta qualidade e executados com grande precisão, o que resultava numa qualidade de acabamento simplesmente irretocável.

O banheiro do Turiscar utilizava de uma construção única, moldada em peça de fibra de vidro que era muito resistente e proporcionava grande durabilidade, já que não haveria contato com o madeiramento do recinto.

Vale a pena ressaltar que a Turiscar foi considerada por muito tempo a “meca” dos aprendizes e marceneiros do Brasil, local onde poderia exercer a sua atividade em toda a sua plenitude e esplendor.

As fotos desse artigo foram extraídas dos arquivos da Turiscar e clicadas em meados dos anos 1970.

 

Mário César Buzian – Paulistano de 45 anos de idade, frequentou campings desde que nasceu e presenciou o auge desse movimento no Brasil, nos anos 1970 e 80. Publicitário de formação, tem no antigomobilismo o seu hobby preferido, tendo expressiva participação no meio há três décadas. Atualmente vive no Rio Grande do Sul e é o criador da empresa “Traga o Guincho”, que executa serviços de vistoria e consultoria antigomotiva.

 

Comentários do Facebook

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Novidades dos Classificados