Conteúdo Repórter Maxicar

Museu Agromen: memórias da vida rural e urbana

Museu Agromen: memórias da vida rural e urbana

Espaço preserva 200 tratores, além de automóveis, quase todos fabricados até o final da década de 1950

Você, que visita ou participa frequentemente de encontros e exposições de veículos antigos em solo brasileiro… quantos tratores antigos já viu nestes eventos? E já foi em algum evento em que 90% dos carros ou mais são modelos produzidos até o final dos anos 1950?

__agromen2
Máquinas agrícolas variadas, em frente à sede do Museu

Só quem já visitou o Museu Agromen na cidade de Orlândia, a 361 km de São Paulo, deve ter tido o prazer de ver cerca de 200 tratores antigos e quase esse mesmo número de automóveis clássicos. Sem dúvida, com o triste fim do Museu da ULBRA, o acervo da Agromen é o mais importante do país.

Em sentido horário, a partir do alto:
Em sentido horário, a partir do alto: Porsche 1965, International 1912, Lanz Buldogg 1949 e Minneapolis Moline 1960

Começando pelos tratores, o primeiro pavilhão abriga uma das maiores raridades da coleção, um Porsche Junior 1965, com motor monocilíndrico a diesel. Isso mesmo, a famosa marca de carros esportivos também já fabricou tratores! Um dos mais antigos é o International Harvester modelo Titan, fabricado em Chicago, nos Estados Unidos, em 1912, ano em que os pais e o sogro do colecionador nasceram. Sendo assim, em 2012, este trator simbolizou uma homenagem aos 100 anos de nascimento de seus entes queridos. Olhe bem de frente para o americano Minneapolis Moline M5 1960… não lembra o Jeep? Já o alemão Lanz Bulldog 1949 deve lembrar uma Maria Fumaça enquanto estiver sendo acelerado. John Deere, Allis-Chalmers, Case, Massey-Ferguson e Farmall são os mais numerosos, mas ainda podemos admirar tratores Volvo, Ursus, Fiat, Ford/Fordson, Bolinder-Munktell, Bristol, Oliver, Zetor, Thur, Cockshutt, Deutz, Hart-Parr, Famulus, Landini, David Brow, Massey-Harris, MAN, Silver King, Le Roy, Deering, Fendt, Utos e outras mais.

O segundo pavilhão destinado aos tratores estava, no momento da visita, sendo utilizado para outros fins. É que no local acontecia um leilão de cavalos de raça, então os tratores estavam na parte externa durante o evento.

Cadillac
Cadillac 1931

Partiremos agora aos carros… no pavilhão inteiramente dedicado à GM, logo na entrada temos dois Cadillac do lado direito, um V12 e outro V16, dois do lado esquerdo (ambos V8) e logo à frente, numa base giratória, um conversível V8 de 1931. Aliás, conversível é notadamente uma preferência do colecionador. Dos 16 Cadillacs, 10 são conversíveis. Dos 6 Buicks, metade são conversíveis. Somente um dos 3 Oldsmobiles e um dos 5 Pontiacs são fechados. Para completar o pavilhão GM, 10 unidades Chevrolet, das quais 8 descapotáveis.

Uma bela seleção de Packards
Uma bela seleção de Packards

Resta então o último pavilhão, que mais parece uma mansão estilo colonial, abrigando ilhas temáticas, sendo a maior delas a coleção de nada menos que 18 Packards, começando com um Coupê 1925 até chegar num Patrician 1951 conversível, ambos com motores 8 cilindros em linha. Ao lado dos Packards ficam as marcas do grupo Chrysler (Dodge, De Soto, Plymouth), com destaque para uma Chrysler 1931 GG Limousine LeBaron motor 8 cilindros em linha Silver Dome.

A Ford e suas divisões
A Ford e suas divisões

A Ford e suas divisões Mercury e Lincoln também tem seu lugar garantido. O Ford mais antigo é um modelo T Phaeton 1923, seguido de um Tudor 1924. Os Mercury são três, todos conversíveis dos anos 1947, 1949 e 1953, mas, a maior raridade está entre os Lincoln, um LeBaron KA 1932 com motor V8 de 6.3 litros.

Na imagem principal, a prestigiada marca inglesa Bentley. Na lateral, a extintas americanas Nash e
Na imagem principal, a prestigiada marca inglesa Bentley. Na lateral, a extintas americanas Nash e Hudson

Na ala de marcas de prestígio, nos deparamos com oito Rolls-Royce, dois Bentley e um Jaguar. Partindo para mais uma ala do museu, encontramos modelos das marcas Hudson, Nash, Studebaker, Marmon e Willys, marcas estas que não existem mais e os automóveis ditos como “órfãos” não ficaram esquecidos e estão bem acompanhados e recebem os mesmos cuidados que os outros.

__agromen8
Em primeiro plano Jaguar XK 120, seguindo de 2 MGs, Delage, Fiat 500 Topolino e BMW Iseta

Ainda falando em automóveis, há um grupo de esportivos como Mercedes-Benz, Chevrolet Corvette, Ford Thunderbird, MG e Jaguar juntos com os pequenos Fiat Topolino 500A 1939 e BMW Isetta 300 1958 e um raríssimo francês Delage tipo D1C Boattail Speedster 1927.

__agromen9
Setor de caminhões e utilitários

Para encerrar, a ala dos caminhões e utilitários, que conta com os gigantes GMC, Mack e International, além de um raríssimo caminhão Oldsmobile 1936, um Chevrolet Capitólio 1927 (o mais antigo deles) e um trio de Mercedes-Benz composto por um utilitário Unimog 1954, um caminhão L-312 Torpedo 1956 e um ônibus.

O museu abre durante a etapa do Campeonato de Saltos realizado no Haras Agromen, em meados de outubro. Fora dessa data somente com visitas previamente agendadas pelo telefone: (16) 3821-7777. O Museu Agromen de Tratores e Veículos fica na Rodovia Altino Arantes, no trevo do KM 361 da Rodovia Anhanguera, em Orlândia-SP.

   ÁLBUM DE IMAGENS

Texto e fotos: Odair Ferraz
Edição: Fernando Barenco

Comentários do Facebook

Novidades dos Classificados