Coberturas Conteúdo Eventos

XXIII Encontro Capixaba de Veículos Antigos – Vitória, ES

A qualidade dos carros foi a tônica do evento

XXIII Encontro Capixaba de Veículos Antigos – Vitória, ES

Dos quatro cantos do Sudeste

Foram mais de 200 veículos na Praça do Papa em três dias de exposição

Fazer a cobertura da 23ª edição do Encontro Capixaba nos fez comprovar ao vivo, o que sempre ouvimos dizer: o Espírito Santo é um estado que possui muitos e grandes colecionadores de automóveis antigos. E uma bela amostra desse fato pôde ser apreciada no estacionamento da famosa Praça do Papa, entre os dias 10 e 12 de outubro, durante o feriado de Nossa Senhora Aparecida.

As familias capixadas tiveram um programa diferente e muito agradável no feriadão
As famílias capixabas tiveram um programa diferente e muito agradável no feriadão

Temos certeza de que se por acaso esse evento fosse aberto exclusivamente aos antigomobilistas capixabas, o espaço da exposição já ficaria totalmente lotado de máquinas maravilhosas. Paulo Rosetti, por exemplo, levou cinco dos americanos de sua coleção. E que americanos! Corvette 1958, Bel Air 1957, Thunderbird 1956, Cadillac 1950 e Impala 1960. Todos admiravelmente bem conservados, para deleite dos visitantes.

Rosetti entre dois de seus automóveis: o Chevrolet Corvette e o Ford Thunderbird
Rosetti entre dois de seus automóveis: o Chevrolet Corvette e o Ford Thunderbird

De Cachoeiro do Itapemirim um ‘conjunto’ de automóveis bem conhecido na região e no Norte Fluminense: Karmann Ghia Alemão (com câmbio automático) 1969, VW Super Beetle Cabriolet 1979, Mercedes Benz Unimog 404 1961 — que pertenceu ao Exército Suíço — e Unimog 550 1951. Todos a reboque de uma plataforma Mercedes Benz LP 331 cabine-leito de 1958, que recebeu um ‘upgrade’ mecânico e diversos itens de conforto, como bancos de couro, direção hidráulica e ar condicionado. Tudo para fazer com tranquilidade (e muito estilo!) qualquer viagem, não importando a distância. Toda a ‘frota’ pertence ao colecionador Joaquim Carlette.

Acima, o belo conjunto de Cachoeiro de Itapemirim. Abaixo, Buick LeSabre 1959 e caminhão Ford Coe 1946
Acima, o belo conjunto de Cachoeiro de Itapemirim. Abaixo, Buick LeSabre 1959 e caminhão Ford Coe 1946

Também da Grande Vitória, quatro hot rods que não deixam nada a desejar aos melhores americanos: Ford T 1926, Buick LeSabre 1959, Vauxhall Wayvern 1950 e o mais incrível de todos: caminhão plataforma Ford Coe 1946.

Já o colecionador e diretor do Veteran Car Clube de Vitória (o clube organizador do evento), Gilson Andrade, levou à Praça do Papa, além de alguns de seus nacionais — Opala Coupê 1976, VW TL 1973 e Caravan 1975 —, uma réplica Jaguar XK 120 de uma série muito especial. Em 2011 a rede Bosch Car Service de oficinas completou 90 anos e fez a promoção “Quem sai pilotando o presente é você”, que consistia no sorteio de três réplicas do esportivo inglês. Para participar o cliente deveria cadastrar o cupom fiscal de peças e serviços no site da promoção. Cada R$ 150,00 dava direito a um cupom promocional. Foram ao todo 280 mil clientes cadastrados. Um carro foi sorteado para o Rio de Janeiro, outro para São Paulo e o terceiro para a Bahia.

Os dois XKs e seus respectivos proprietários: em primeiro plano Gilson, com XXX ao fundo. Nos detalhes, a propaganda da época do sorteio e o emblema lateral do carro
Os dois XKs e seus respectivos proprietários: em primeiro plano Gilson, com Luiz Carlos ao fundo. Nos detalhes, a propaganda da época do sorteio e o emblema lateral do carro

Quando comprou seu XK 120 de um amigo de Minas Gerais, no ano passado, Gilson não tinha ideia de que se tratava de um dos carros da promoção. Ele só foi identificado depois da compra, através de um emblema fixado na lateral e uma referência no manual do proprietário. A partir daí, Gilson pesquisou para descobrir por onde andavam os outros dois carros sorteados. Foi então que conheceu o antigomobilista paulista Luiz Carlos Sotelo, que foi convidado para o evento e fez questão de ir rodando até Vitória, em companhia de sua esposa com seu conversível. O terceiro carro também já foi localizado, mas não pode estar presente. Quem sabe no ano que vem…

vitoria15_7
No alto, Camaro Z28 e Mustang Mach1 emoldurados pela traseira ‘asa de gaivota’ do Impala 1960. Abaixo o Plymouth Road Runner, com o Papa-leguas da lateral no detalhe

vitoria15_6

Os apaixonados por esportivos americanos não tiveram do que reclamar: além do Corvette 1958 e do Thunderbird 1956 já citados no início dessa reportagem, três Mustangs (dois Hartops e um Mach 1), dois Camaros (um Z28 1973 e um Type LT 1974), um Corvette Conversível 1974 (que veio de Belo Horizonte) e um sensacional Plymouth Road Runner 1970, com placas de Fundão – ES. O carro laranja com faixas pretas chamou a atenção principalmente das crianças, por causa de um detalhe: a imagem do personagem ‘Papa-Léguas’ do desenho animado, nas laterais e na tampa da mala. É que o modelo foi lançado em 1968 e dizem que a Chrysler pagou à Warner Bros 60 mil dólares pelo uso do personagem, do nome (em inglês o desenho animado se chama Road Runner) e pelo barulho da buzina, que faz “bip-bip”. Não ouvimos o som da buzina deste carro de Vitória, mas com certeza é a original.

vitoria15_9
Boechat e suas belas pick-ups americanas. Ela ainda trouxe de quebra sua moto Honda de 70 cc. Abaixo, um comparativo entre a Martha Rocha comum (vermelha) e a Cameo

vitoria15_8

Nos chamou a atenção o grande número de pick-ups — nacionais e importadas. Apaixonado pelo segmento, o colecionador de Cataguases – MG, Cláudio Boechat levou quatro de suas cinco caminhonetes: coube à brasileira Chevrolet C10 1981 rebocar as outras três americanas: Studebaker 1957, Dodge Job Rated 1954 (cuja história já tivemos a oportunidade de contar) e Chevrolet 3124 Cameo. Trata-se de uma versão rara e especial do modelo conhecido no Brasil pelo apelido de “Martha Rocha”. Foram fabricadas apenas cerca de 2.700 exemplares em 1957 e entre suas principais características está o luxo de um carro de passeio e a caçamba reta, diferente da convencional 3100 da época, como pode ser visto nas fotos comparativas acima. Era um modelo de ‘curtição’ e não de trabalho. Um conceito muito difundido nas zonas urbanas de hoje.

A partir do alto em sentido horário: bar temático Ford AA, Ford A Furgão, Kombi Motorhome Safari, Chevrolets C14 e Veraneio
A partir do alto em sentido horário: bar temático Ford TT 1924, Ford A Furgão, Kombi Motorhome Safari, Chevrolets C14 e Veraneio

Entre os utilitários, havia ainda um Ford Modelo A Furgão, muito raro; Kombi Motorhome Safari, de adaptação Karmann Ghia; pick-ups Willys americana 1950 ‘cara de cavalo’ e brasileira F75; Chevrolet Veraneio; caminhão International 1937; Ford F1 1948; Land Rover Série IIA SW 1970 — quem assitia Daktari se lembra dela; cavalo mecânico GMC 1951 a diesel; entre vários outros. Uma companhia de cerveja artesanal levou seu estiloso e bem executado bar temático caminhão Ford TT 1924.

A 'Pagoda' de São Paulo foi o carro escolhido para o material de divulgação do evento deste ano. O Fiat 600 S partir de Belo Horizonte
A ‘Pagoda’ de São Paulo foi o carro escolhido para o material de divulgação do evento deste ano. O formoso  Fiat 600 S partiu de Belo Horizonte

A Europa foi bem representada, com diversos exemplares da Mercedes Benz, incluindo duas esportivas 280 ‘Pagoda’ idênticas até na cor, um Alfa Romeo Spider 1973 e um Peugeot 403 1956. Da Capital de Minas Gerais, o simpático e minúsculo Fiat 600 S 1969, que não chega a ser um italiano de verdade, já que foi produzido na Argentina.

A Associação Capixaba de Arrancadas levou diversos carros de competição, entre eles, um Gol ‘quadrado’, um Opala SS e um Camaro da primeira geração. Todos devidamente preparados e em excelente conservação.

No setor de nacionais, carros realmente muito bem conservados
No setor de nacionais, carros realmente muito bem conservados

Não deve ter sido fácil para a comissão julgadora escolher os melhores brasileiros, já que havia mais de um exemplar excepcional de cada modelo. Dois Aero Willys, um preto 1966 e um vinho 1967; três Dodges Polara, sendo dois com câmbio automático, já fabricados na fase VW; várias Caravans, com destaque para a Comodoro 1979 e a Diplomata 1986; diversos Opalas, entre eles um Gran Luxo Coupê 1972 e um Luxo Sedan 1974.

vitoria15_13
No alto, os Aero Willys. Abaixo, os Dodges Polara

O Troféu José Aurélio Affonso, concedido pela Federação Brasileira de Veículos Antigos, foi dado a um Corcel 1973, de Cachoeiro do Itapemirim, que tem uma história muito especial: “Veículo adquirido em 1973 zero km por Fernando Ayub. Naquela época namorado, depois noivo de Sandra Ayub. Posso até dizer que até chegar ao casamento, rolou muita história do casal nesse veículo. Bom, melhor não entrar em detalhes… A primeira viagem para fora de Cachoeiro do Itapemirim foi na lua de mel, que levou 30 dias. Hoje o veículo está registrado em nome de Sandra Maria Tedoldi doValle Ayub, para garantir que o mesmo não seja vendido, devido à prazerosa bagagem do casal que este veículo carrega. Pode-se dizer que o casamento foi triplo: Fernando/Sandra/Corcel, até os dias de hoje. Com manutenção e conservação de ambos: o casamento e o carro. Inclusive troca de óleo…”

O diretor da FBVA, Geronço Bragança (de camiseta preta) entrega o Troféu José Aurélio ao casal Fernando e Sandra, proprietários do Corcel. Foto: Fabrício Santos
O diretor da FBVA, Geronço Bragança (de camiseta preta) entrega o Troféu José Aurélio Affonso ao casal Fernando e Sandra,  proprietários do Corcel.                Foto: Fabrício Santos

A abertura oficial do evento aconteceu na noite de sábado, ali mesmo na Praça do Papa, com uma festa de recepção aos antigomobilistas, com a presença do representante da Secretaria Municipal de Turismo, Trabalho e Renda, Renzo Nagem Nogueira. Em nome da Prefeitura de Vitória, Renzo agradeceu a presença dos visitantes, falou da importância deste tipo de evento para a cidade e revelou que também ele é um antigomobilista, que no momento está às voltas com a restauração de seu primeiro automóvel antigo, um VW Karmann Ghia.

vitoria15_17
No alto, o Subsecretário Renzo Nagem e Fernando Menezes, presidente do Veteran Car Clube ES. Abaixo, momento da festa de confratenização

vitoria15_18

Na noite seguinte, véspera do feriado, foi a vez da festa de confraternização na sede do Clube dos Oficiais do Espírito Santo, na Praia de Camburi. No ‘cardápio’, um salão muito bem decorado, um buffet sofisticado, música ao vivo e a descontração do bom bate-papo com os amigos. O assunto principal, você já pode imaginar qual foi!

   EXPOSIÇÃO       MOMENTOS       FESTA DE ABERTURA
   COQUETEL DE CONFRATERNIZAÇÃO       PREMIAÇÃO

Acima a confraternização dos premiados.  Abaixo Edna Menezes recebeu o Troféu Dedicação ao Veteran  e ao lado Leonardo Oliveira, Troféu Dedicação aos veículos dos colecionadores Capixabas

 

LISTA DOS PREMIADOS

Texto: Fernando Barenco
Fotos e edição: Fátima Barenco e Fernando Barenco
Fotos da premiação: Fabrício Santos

Comentários do Facebook

Tags

4 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

  • Estive lá como visitante e gostei muito mesmo das máquinas. Conservados com muito capricho. Ano que vem vou levar o meu carro também. Espero que ele esteja a altura!!!

  • Lindo o evento infelizmente não pude estar presente. Mas voce Fernando e Fatima trazem ate nos com sua cobertura a possibilidade de apreciar tanta beleza .

  • Foi mesmo um encontro de ótimo nível. Quem não foi, pode ver ai pela reportegem muito completa, com muitas fotos. De parabéns os organizadores.

Novidades dos Classificados