Conteúdo Repórter Maxicar

Dois novos títulos para a coleção ‘Clássicos do Brasil’

Literatura

Dois novos títulos para a coleção ‘Clássicos do Brasil’

Série sobre modelos nacionais já conta com 15 títulos

A Editora Alaúde acaba de lançar dois novos títulos de ‘Clássicos do Brasil’, uma coleção que já conta com 15 títulos e fala sobre os automóveis brasileiros nos anos 1960 e 70 e que hoje fazem a cabeça dos antigomobilistas — que com muita justiça – os tem como verdadeiros objetos de desejo.

chevette1pO primeiro é ‘Chevette’, dos Rogérios de Simone e Ferraresi – dupla que assina também os livros ‘Alfa Romeo’ – da mesma Coleção Clássicos do Brasil – e ‘Karmann Ghia: uma breve história’.

Lançado em 1973, o Chevette tem uma grande importância histórica para General Motors do Brasil, por ser automóvel de estréia no segmento de compactos, por seu grande sucesso comercial e por ter se tornado um dos mais representativos modelos da marca, perdendo apenas para Opala na preferência dos fãs de clássicos Chevrolet brasileiros. Baseado no alemão Opel Kadett, o Chevette nasceu com a difícil missão de rivalizar comercialmente com o Fusca, da Volkswagen.

Ao longo dos exatos 20 anos em que foi produzido, o Chevette teve uma série de versões, com destaque para a SW Marajó e para as esportivas GP e S/R. Um modelo que evoluiu sempre em termos mecânicos e de design, mas sem nunca perder a sua original identidade.

gitgel1pJá o segundo lançamento desta coleção não trata apenas de um modelo, mas da história de uma marca e do sonho de um brasileiro por traz de sua história: a Gurgel Motores e o engenheiro João Augusto Conrado do Amaral Gurgel. Escrito pelo jornalista especializado Anderson de Assis Nunes, ‘Gurgel’ é dividido em dois capítulos principais. O primeiro traz a biografia de João Augusto: sua formação na Politécnica da USP, seu estágio na General Motors americana, sua breve passagem pela Ford, sua empresa de luminosos de acrílico, seus Karts que se tornaram o embrião do nascimento da Gurgel Indústria e Comércio de Veículos, em 1969. A trajetória da empresa, a evolução de suas instalações em Rio Claro – SP, as parcerias e os empréstimos oficiais, até a decretação de sua falência em 1996.

O segundo capítulo faz um apanhado de todos os modelos produzidos, começando pelo Macan 1200, apelidado de Ipanema, passando pelos elétricos Itaipu, pelo sucesso dos X10 e X12, até chegar aos BR-800, Supermini e MotoMachine, os últimos modelos com a marca Gurgel.

Há ainda dois pequenos capítulos finais: um com diversas curiosidades envolvendo a fábrica e seus veículos e outro com os dados técnicos do BR-800.

Chevette
Rogério de Simone e Rogério Ferraresi
108 páginas – formato 18X18 cm. Capa dura
Editora Alaúde
Gurgel
Anderson de Assis Nunes
112 páginas – formato 18X18 cm. Capa dura
Editora Alaúde

 

Texto e edição: Fernando Barenco

Comentários do Facebook

Tags

Novidades dos Classificados