Alexander Gromow Conteúdo Nossos Colunistas

Parabéns! Seu VW Sedan ultrapassou os 100.000 km rodados

Placa referente aos 100.000 km rodados sem problemas graves no motor – presente da Fábrica Volkswagen – foto tirada em 2015 no 10º Encontro de VW Veteranos de Bad Camberg, Alemanha

A Volkswagen gostaria de mostrar o seu reconhecimento por este fato…

A revista alemã Gute Fahrt de outubro de 1951 publicou uma matéria sobre este assunto cujo título é “Herzlichen Glückwunsch – 100.000 Kilometer mit demselben Motor” (Cordiais parabéns –   100.000 quilômetros com o mesmo motor), reproduzindo uma carta que a Volkswagen enviou a uma empresa cujo Fusca ultrapassou a barreira dos 100.000 km rodados. Ai vai a tradução desta carta (os nomes foram abreviados pela redação daquela revista em nome da preservação da privacidade):

Como fomos informados por nosso Concessionário da cidade de D., a empresa H. & Co., o Volkswagen utilizado na sua empresa (chassi Nr. 1—098.564, motor Nr. 1—129 706) recentemente ultrapassou a distância total percorrida de 100.000 km sem ter necessitado de reparos de motor significativos. Permita-nos felicitá-los por este sucesso muito satisfatório e expressar a nossa apreciação através da entrega do certificado anexo e de um alfinete VW de lapela, de ouro . Ao mesmo tempo, nós lhe enviamos para identificação de seu comprovado Volkswagen um emblema VW para ser aplicado externamente e outro do nosso protetor São Cristóvão para o painel do carro. Ambos podem ser colocados gratuitamente em seu carro por seu Concessionário.

Como acreditamos que a comprovação técnica do veículo em questão não depende somente da qualidade do nosso produto, mas se deve também ao tratamento exemplar e manutenção cuidadosa deste Volkswagen, pedimos que vocês nos permitam dedicar a seu motorista, Sr. Franz N., em cujas mãos o carro em questão foi confiado em especial, um singelo reconhecimento. Portanto, pedimos que vocês entreguem ao Sr. N. o certificado anexo, um alfinete VW de ouro e um relógio de pulso VW em nosso nome.

Além disso, desejamos-lhes muita alegria com o seu Volkswagen…



Este tipo de cartas foi enviado aos milhares, numa grandiosa ação de marketing da Fábrica que estava recém deslanchando na fabricação do Fusca. Mas este tipo de ação já tinha sido iniciado em 1949 com toda a pompa e circunstância, apenas quatro anos após o término da II Guerra Mundial – e com boa parte da fábrica ainda em ruínas – mas com um plano de fidelização de clientes exemplar. O Volkswagen era um carro novo no mercado e tinha que se afirmar e nada melhor que valorizar a qualidade dos carros a partir de uma ação como esta.

Havia cartas para carros de empresa, como a reproduzida acima, bem como para particulares, e neste caso os presentes eram o diploma, o alfinete VW de ouro, as duas plaquinhas e o relógio VW.

Nas primeiras premiações, em 1949, já havia o certificado, e as plaquinhas que vinham da Fábrica. Já o relógio era adquirido pelo revendedor VW que mandava fazer uma gravação manual na tampa traseira do relógio com uma dedicatória . No caso da foto a dedicatória dizia: “100.000 km no Volkswagen sem troca do motor – Revendedor Freichhau – Colônia”. Não havia indicação VW na parte dianteira do relógio , o que só veio a ocorrer na campanha de premiação feita na Suécia, onde havia uma indicação no mostrador do relógio com o símbolo VW e o número 100.000 e nada na tampa traseira .

Foto-11
Enfeites de flores e cartaz alusivo aos 100 mil kms rodados

Não raro os carros recebiam uma decoração com flores e um cartazinho com a indicação 100.000; era uma festa!

Foto-12
Primeira versão da plaqueta de São Cristóvão, para VWs ‘Split’

Pouco tempo depois a Fábrica deu um jeito de organizar a questão dos relógios de uma maneira profissional, apareceram as gravações profissionais nas tampas dos relógios e as compras eram feitas em lotes. A partir dai as diferenças que ocorreram foram devido a diferentes fornecimentos ou trocas de layout das gravações.

Também havia diferenças entre as plaquinhas comemorativas. A plaquinha com o São Cristóvão tinha duas versões, as primeiras, no tempo dos carros de vigias traseiras bipartidas tinham um abaulado na parte interna superior para se adaptar ao painel daquela época.

Para potencializar este tipo de premiação dos carros 100.000 km, a Fábrica Volkswagen decidiu realizar gigantescos encontros dos carros que ultrapassaram os 100.000 km durante o ano. Nestes encontros eram sorteados carros novos e milhares de brindes significativos, a tal ponto que praticamente todos os inscritos ganhavam um presente. No total foram realizados dois mega encontros: um em 1952, na cidade de Erbach no Odenwald e o segundo em 1954, em Stuttgart.

Em 1952 o premio maior foi o Cabriolé de número 10.000 montado pela Karmann de Osnabrück. Para ganhar este carro o Sr. Kaiser, que era motorista de taxi da cidade de Limburg, teve que ganhar uma gincana de quem dirigia de maneira mais econômica realizada entre os 11 finalistas. Cada um recebeu uma proveta com 250 ml de gasolina adaptada aos carros. O Sr. Kaiser conseguiu andar 4.336,65 metros. Seu carro de uso já tinha rodado 151.126 km. Mas ele não era o recordista, pois apareceu um Fusca que tinha rodado 485.000 km, que foi o mais antigo a comparecer à festa.

Foto-13
Sr. Kaiser, um motorista de taxi, foi o ganhador do VW Cabriolet

Já no encontro de 1954, que contou com a presença do presidente da Volkswagen, Sr. Nordhoff, o ponto alto foi o sorteio de 10 Fuscas tipo exportação zero quilômetro. A multidão não arredou pé durante o sorteio. Dadas as proporções do evento as perspectivas de um próximo indicavam um número exageradamente grande de Fuscas que teriam ultrapassado a marca dos 100.000 km rodados com um motor, com isto a série de encontros foi interrompida.

Foto-14
A multidão acompanha o sorteio dos VWs

Uma história que se perpetua entre os colecionadores europeus que decoram seus Fuscas, inclusive os envenenados, com plaquetas comemorativas dos 100.000 km .

Foto-15
Um Volkswagen ‘envenenado’ exibe a plaqueta comemorativa de época em seu painel. Repare no velocímetro, com graduação até 220 km/h

Certamente esta ação de marketing foi uma das mais bem sucedidas jamais feitas. Ponto para a Volkswagen, conduzida por Nordhoff que certamente era um homem à frente de seu tempo!

 

Fotografias de Alexander Gromow e resultantes de pesquisa em livros e Internet.

 

Comentários do Facebook

Alexander Gromow

Ex-Presidente do Fusca Clube do Brasil. Autor do livro EU AMO FUSCA e compilador do livro EU AMO FUSCA II. Autor de artigos sobre o assunto publicados em boletins de clubes e na imprensa nacional e internacional. Participou do lançamento do Dia Nacional do Fusca e apresentou o projeto que motivou a aprovação do Dia Municipal do Fusca em São Paulo. Lançou o Dia Mundial do Fusca em Bad Camberg, na Alemanha. Historiador amador reconhecido a nível mundial e ativista de movimentos que visam à preservação do Fusca e de carros antigos em geral. Participou de vários programas de TV e rádio sobre o assunto. É palestrante sobre o assunto VW com ênfase para os resfriados a ar. Foi eleito “Antigomobilista do Ano de 2012” no concurso realizado pelo VI ABC Old Cars.

12 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

  • GromoW, esta iniciativa, feita pela VW Alemã, comandada pelo Nordhoff, estava muita á frente do tempo, conforme suas palavras. Era um programa da fidelidade, muito bem respeitoso para época! Pena que á VW Brasil, jamais fez algo semelhante para seus amantes, devidamente comprovados! Mas á paixão pela VW é mais forte e difícil de explicar! Só que sente, sabe o que é uma coração movido á VW! Obrigadão!

    • Caro Rogério Oliveira,
      Realmente foi algo inusitado e muito bem sucedido, deve ter embasado o apreço do alemão por este carro.
      Nordhoff tinha um preparo fortemente impregnado pela mentalidade americana, pois ele foi funcionário graduado da Opel que é a subsidiária alemã da Chevrolet. Muitas de suas atitudes demonstram isto claramente. Acho que isto acabou sendo uma sorte para marca VW.
      Grato por seu comentário.

  • Sensacional essa matéria, nunca vi, nem escutei falar em lugar nenhum sobre isso, além de tudo é bem rica em detalhes . Obrigado pela informação, mais uma que aprendi. “Show de bola” a matéria .

    • Caro Valmir Azevedo,
      Nós, aqui “ao sul do equador” geralmente ficamos alheios a muitas destas histórias, não é mesmo?
      Sempre que posso dou uma revolvida no passado e trago algo “novo” para o conhecimento de meus leitores.
      Agradeço por você ter investido seu tempo para deixar esta gentil mensagem, que certamente é importante para o meu trabalho e para o Portal Maxicar que empresta sua importante estrutura para a divulgação do que escrevo.
      Saudações

  • Muito boa a matéria…..o exemplo poderia ser seguido pela Volkswagem do Brasil….o meu fusca 75 tem perto de 170.000 sem problemas…. grande carro mas não tem um emblema comemorativo da fábrica. Acho que ainda dá para reparar esta injustiça se o marketing da Volks do Brasil ler esta matéria. Tem vários outros fuscas que merecem homenagem da fábrica nos dias de hoje.

  • CARO SR.GROMOW, MAIS UMA VEZ DEIXO AQUI OS SINCEROS PARABENS PELA MATERIA…
    SINTO-ME PRESENTEADO POIS COMO JÁ É NOTORIO, O MEU FUSQUINHA CHEGOU AOS 45 ANOS ESTE ANO, DESDE 1970, ZERO KM AQUI EM CASA… E NESTE RITMO, TAMBEM VIROU O CONTADOR, PARA MINHA ALEGRIA..

    VEJA LINK ABAIXO O MOMENTO HISTORICO:
    https://www.youtube.com/watch?v=P9tc3HoY4kE

    A HISTORIA DE MEU CARRINHO QUERIDO TAMBEM SE ENCONTRA AQUI NAS CRONICAS DESTE SITE!

  • Muito interessante a matéria. Isso evidencia mais uma vez a riqueza de detalhes históricos que uma grande parte dos aficionados desconhece … eu inclusive ! Já pesquisei no e-bay e pude perceber o quanto este acessório é valorizado lá fora !

    • Pois é Hugo Bueno,
      E há de se tomar cuidado na compra destes itens, pois existem muitas réplicas…
      Para nós, aqui no Brasil, muita coisa é desconhecida mesmo, mas vamos tentar ir revelando alguns deste itens aqui nesta coluna.
      Grato por seu comentário!!!