Coberturas Conteúdo Eventos

V Passeio de Veículos Antigos em Raposo – Itaperuna, RJ

Em primeiro plano, Chevelle 1971 e Impala SS 1963

V Passeio de Veículos Antigos a Raposo – Itaperuna, RJ

Vencendo distâncias em nome da diversão e da tranquilidade

Antigomobilistas de todo o Sudeste prestigiaram o evento no interior do Rio

Todos os anos, o evento atrai moradores e turistas ao Hotel Fazenda Raposo
Todos os anos, o evento atrai moradores e turistas ao Hotel Fazenda Raposo

Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e Espírito Santo: entusiastas dos quatro estados do Sudeste estiveram reunidos no último final de semana — de 12 a 14 de junho — no Hotel Fazenda Raposo, no pequeno distrito de mesmo nome, pertencente ao município fluminense de Itaperuna. A distância de algumas centenas de quilômetros a percorrer por muitos a bordo de automóveis com 30, 40, 50 anos de fabricação não intimidou. Quem já havia participado de edições anteriores não queria perder a oportunidade. Quem nunca tinha participado quis ver de perto o que há de tão especial nesse evento, que já se tornou muito famoso e expressivo — reunindo este ano cerca de 300 veículos durante três dias — mas que a diretoria do Clube Rio Minas de Veículos Antigos, entidade organizadora da festa — através de seus núcleos de Itaperuna-RJ e Muriaé-MG, modestamente prefere chamar  simplesmente de ‘passeio’.

Presença de representantes de mais de 30 clubes e grupos antigomobilistas. De São Paulo, Chevrolet Clube e Clube do Fordinho; do Espírito Santo, Veteran Car Clube – Vitória; de Minas Gerais, AVA- Juiz de Fora, Veteran Car Clube – Juiz de Fora, Antigomobilistas de Leopoldina; do Rio, Veteran Car Clube RJ, Grupo AGMH Antigomobilistas, Opala Clube RJ, Nichteroy Clube de Veículos Antigos, Amigos do MP Lafer… apenas para citar alguns.

raposo2015_15
Na foto da esquerda, Jadir de Oliveira, diretor do Núcleo Itaperuna-RJ e Ricardo Deslandes, presidente do Rio Minas Clube de Veículos Antigos, entidade realizadora do evento. Na foto da direita, o casal Fábio e Gissa Bifano, do Núcleo Muriaé-MG do clube

Mais uma vez, a palavra de ordem foi “relaxar”, aproveitando os prazeres oferecidos pelo hotel: muito espaço, ar puro, excelentes instalações, comida farta e deliciosa. E ainda a companhia e o bate-papo gostoso com os amigos, cujas conversas invariavelmente giraram em torno do mesmo assunto: adivinhe qual?

O passeio pelo comércio local é programa obrigatório principalmente para mulheres, já que Raposo é famosa pelas lojas e barracas especializadas em roupas de cama, mesa, banho, pijamas e lingerie. A variedade e os preços baixos atraem inclusive excursões de revendedores.

raposo2015_4
Raposo se destaca pelo comércio de roupas de cama e mesa e moda íntima

A programação oficial teve início na noite de sexta-feira, 12, com o coquetel de boas vindas aos visitantes, que este ano teve um clima todo peculiar: o romantismo tomou conta dos casais, já que era o Dia dos Namorados. A atmosfera ficou realmente especial, com muita dança de rostinho colado, ao som de hits atuais e flash-backs.

raposo2015_6
À esquerda, clima romântico no Dia dos Namorados. À direita a emocionante benção das chaves

Como em edições anteriores a exposição dos automóveis antigos nas dependências do hotel foi aberta ao público e deste as primeiras horas da manhã de sábado o movimento de visitantes locais e de turistas já era grande. A cerimônia da benção das chaves foi presidida pelo pároco local, Padre Rodrigo Henrique Mello, que em sua preleção falou sobre “O Servir”.

raposo2015_7
O presidente da FBVA, Roberto Suga, proferiu palestra

Este ano o evento contou com a presença do presidente da Federação Brasileira de Veículos Antigos, Roberto Suga, que proferiu uma palestra aberta a todos os antigomobilistas, na tarde do mesmo dia. Cerca de 70 pessoas ficaram por dentro das últimas ações da FBVA. Os temas giraram em torno de placas pretas, importação de veículos de coleção, regulamentação de automóveis personalizados, filiação de novos clubes e a intervenção da entidade junto ao Denatran, na defesa dos interesses dos clubes filiados.

O bingo teve grande participação das mulheres
O bingo teve grande participação das mulheres

Enquanto corria a palestra, acontecia também um bingo com lanche da tarde, destinado exclusivamente às mulheres. Além de prêmios à vencedoras, houve também sorteio de brindes.

Chevrolet Ramona e Ford Modelo A: dois dos mais antigos do evento
Chevrolet Ramona e Ford Modelo A: dois dos mais antigos do evento

A qualidade dos veículos participantes mais uma vez não decepcionou. Entre os mais antigos, um Chevrolet Ramona Roadster 1931 e um Ford Modelo A 1929 da mesma versão a ser restaurado, mas ainda assim em pleno funcionamento. O mais antigo de todos foi outro Chevrolet, um 1928, versão ainda com rodas de madeira. Veio da vizinha Patrocínio do Muriaé.

Murici e seu Cadillac (e) e o Corvette Série Especial
Murici e seu Cadillac (e) e o Corvette Série Especial

O colecionador José Candido Murici percorreu os 330 quilômetros desde o Rio de Janeiro a bordo de seu Cadillac 1941. Além de um dos mais antigos automóveis do evento, seu Conversível foi sem dúvida um dos mais especiais também, rivalizando com o Corvette 1978 e a Dodge Job Rated 1954. Pertencente ao colecionador de pick-ups Cláudio Boechat, de Cataguases – MG, o utilitário norte-americano foi adquirido em Juiz de Fora – MG e pertencia ao acervo de um conhecido colecionador da região, já falecido. Apesar de estar em ótimas condições, a Dodge de raro modelo passou por um completo processo de restauração, que consumiu muitos meses e exigiu a importação de peças. Estava ‘estreando’ em Raposo e segundo Boechat, “ainda faltam alguns detalhes”. Colecionador exigente, sabe como é…

Boechat e sua recém restaurada Dodge Job Rated
Boechat e sua recém restaurada Dodge Job Rated

Já o Corvette é da série especial Pace Car das 500 Milhas de Indianápolis de 1978, o que o torna especialíssimo. Além disso, a série comemorou também os 25 anos do lançamento do Corvette. Com exclusiva pintura em preto e prata com grafismo alusivo ao evento, foram produzidas 6.200 unidades vendidas na época por cerca de US$ 13.500, valor 35% maior que os Corvettes normais daquele ano.

De Cachoeiro do Itapemirim – ES vieram os dois belos Chevrolets vermelhos retratados na imagem principal dessa reportagem. O hardtop é um Impala SS 1963 e o conversível um Chevelle 1971. Outro americano muito clicado foi o também Chevrolet vermelho Camaro Type LT 1974, de Paulo Affonso Salvini, vindo de Petrópolis – RJ.

Da Alemanha, dois belos exemplares Mercedes Benz da série W114, ambas fabricadas em 1972. A azul, em primeiro plano, uma sedan 230, e a dourada uma 250 C (de coupê). As séries W114 e W115 (a diferença está na motorização, de 6 cc e 4 cc) são consideradas as primeiras verdadeiramente novas entre os modelos pós II Guerra Mundial. Foram produzidas entre 1968 e 1976, com os modelos 200, 220, 230, 240, 250 e 280.

raposo2015_11
Camaro Type LT (e) e dupla de Mercedes Benz W114

Entre os nacionais, clássicos dos anos 1960 como Simca Chambord Tufão 1965, Gordini 1967, Aero Willys 1966 e 1968, e Rural 1969; dos anos 1970 como belos exemplares da ‘família Galaxie’, inúmeros Opalas, com destaque para o De Luxo 1970, Especial 1972 e SS também 1972; Karmann Ghias Coupê e TC; dois conservadíssimos VWs 1600 — vulgo ‘Zé do Caixão’ —, fabricados em 1969 e 1970; MP Lafers, Passats e Corcéis. Na entrada da alameda que leva ao hotel, os simpáticos Fuscas ‘davam as boas-vindas’.

À esquerda: Opalas 1970 De Luxo, e 1972 Especial e SS. À direita, lindos VWs 1600
À esquerda: Opalas 1970 De Luxo, e 1972 Especial e SS. À direita, lindos VWs 1600

Presença marcante dos chamados ‘novos clássicos’ dos anos 1980 e 90 como Mazda Miata SX5 1994, Kadett GSI Conversível 1995, Gol Star 1989 e Fiat Coupê 1996.

Fabricio Pessanha e sua família. Uno 1.5 R em estado de zero km
Fabricio Pessanha e sua família. Uno 1.5 R em estado de zero km

Colecionador de nacionais fabricados neste período, o jovem Fabrício Pessanha nos apresentou seu Fiat Uno 1.5R 1989 recém restaurado. Um trabalho realmente primoroso nos mínimos detalhes. Parece até que o carro acaba de sair de uma concessionária.

A festa junina foi o ponto alto do final de semana
A festa junina foi o ponto alto do final de semana

O ponto alto do final de semana foi a aguardada festa junina de sábado a noite. O concorrido ‘arraiá’ teve muitas barracas de comidas e bebidas típicas e, é claro, a quadrilha, que teve a adesão de muitos casais de dançarinos, a maioria ‘elegantemente’ trajados de caipiras.   Alguns clubes prestaram homenagens aos organizadores.

Domingo pela manhã. Fim de semana acabando, hora de arrumar ar malas e ir embora, já que muitos hóspedes estavam bem longe de casa. Os que tinham um pouco mais de tempo disponível ainda almoçaram por ali. Depois, pé na estrada. Afinal, quem viaja de carro antigo, em geral não pode ter pressa para chegar ao destino. Até a próxima!

 

   EXPOSIÇÃO        MOMENTOS

   COQUETEL        FESTA JUNINA

   PALESTRA FBVA       BINGO

 

Texto: Fernando Barenco
Fotos e edição: Fátima Barenco e Fernando Barenco

Comentários do Facebook

6 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

  • Mais um ano de passeio em Raposo. Mais um ano de “luuuuuxo”.
    O clima agradável de Raposo combinou com a beleza dos automóveis expostos.
    Parabenizamos os organizadores, em especial o Ricardo, Ana e Jadir que como sempre não pouparam simpatia com todos os presentes. É para todos nós um prazer poder participar dessa festa. A distância não importa. O importante é viver a vida, fazer e rever amigos.
    Fernando e Fátima como sempre, com excelente cobertura, botando água na boca de quem não pode participar. Mas ano que vem tem mais.
    Até 2016.

    Amigos do MP Lafer

  • Gostaria de mais uma vez parabenizar o Clube Rio Minas pelo comprometimento em montar mais uma vez esta festa do antigomobilismo na pequena e pacata Raposo, que anualmente durante estes três dias, recebe centenas e centenas de veículos antigos e seus proprietários, que junto conosco fazem com que a cultura do veículo antigo seja mais vivida e difundida entre gerações. A todos, desde os vizinhos, de Muriaé – MG e região, e aos que percorreram centenas de quilômetros com seus veículos antigos para nos prestigiarem mais uma vez, nosso muito obrigado!

    Thiago de Araújo
    Sócio-Diretor Núcleo Rio das Ostras – RJ
    Comunicação Geral Clube Rio Minas

  • Parabéns aos organizadores de mais este Passeio a Raposo! O carinho e a atenção com que todos recebem os convidados fazem toda a diferença. É um programa imperdível e quem ainda não foi, vá. Não tem a menor possibilidade de se decepcionar.

    Jadir, Regina, Ricardo, Ana, Gissa e Fabio, o pessoal do hotel… muito obrigado!

    Abraços a todos e até ano que vem.

    Welco

  • Parabens ao Ricardo, Jadir, Ana, Regina Gissa e Fabio por realizarem junto com sua equipe esse encontro, que a cada ano vem se consolidando em nossa região, e que este ano contou com presenças importantes do nosso meio.Obrigado pela atenção, cuidado e carinho com que recebem a todos nós. Isso mostra o quanto é bom fazer parte de tudo isso,encontrar e fazer novos amigos. Parabens ao Fernando e Fátima pela cobertura, show!!

  • Parabéns ao nosso amigo e revendedor Jadir pelo excelente trabalho de promoção da nossa marca Yokohama durante este evento. Este tipo de trabalho é fundamental, tanto para o cliente, como para o revendedor e o fabricante. Quem tem produtos de qualidade, considerados entre os melhores do mundo tem que mostrar o rosto nestas ocasioes para que o cliente possa conhecer a marca. Que o próximo evento venha logo!

Novidades dos Classificados