Conteúdo Fatima Barenco Nossos Colunistas

ELIZETE MARTINS – Associação de Fuscas e Veículos Antigos de Cabo Frio – RJ

“Uma equipe fortalecida é aquela que se aproxima pela amizade e companheirismo, independente do veículo”

Simpatia, alto astral, sempre cercada da família. Ela é casada com Edson Luiz há 30 anos, tem duas filhas, 2 genros e um netinho. Todos completamente contaminados pelo vírus da ferrugem. Ao lado dos amigos e membros de seu clube está sempre preocupada em criar algo novo que possa cada vez mais unir o grupo. Seu xodó o Fusca. Seu clube é conhecido como “Fuscamania de Cabo Frio” – É a Associação de Fuscas e Veículos Antigos de Cabo Frio – RJ. Esse mês tenho a grande honra de conversar com essa amiga especial Elizete Martins, uma das poucas mulheres na presidência de uma entidade voltada a um tema tão masculino, como o automóvel.


1.gifEm primeiro lugar, queremos conhecer a história da Associação de Fuscas e Veículos Antigos de Cabo Frio – RJ. Quantos membros possui atualmente? O que é preciso para se afiliar?

    “E com a união do grupo de amigos estamos até hoje, com um clube legalizado, com autonomia para vistoria de placa preta, com mais seriedade e responsabilidade social.”

Elizete – Tudo começou quando surgiu a ideia de formar um grupo de amigos antigomobilistas na Cidade de Cabo Frio, pois na região não havia nenhum movimento de automóveis antigos. Então eu e o Edson começamos a movimentar a cidade para o primeiro encontro. No dia 5 de outubro de 2006, saímos pela manhã colocando nos parabrisas dos Fuscas da cidade convites para um encontro de amigos fusqueiros. Foi uma grande surpresa para nós quando começaram a surgir os primeiros apaixonados por carros antigos. Ficamos felizes da ideia ter dado certo! Foi um grande sucesso: cerca de 30 carros chegaram ao local.

Alguns associados do Fuscamania

 

Foi assim que tudo começou, surgindo assim o Fuscamania de Cabo Frio. A ideia inicial era fazer a reunião sempre que fosse possível, mas foram aparecendo mais adeptos e o grupo aumentando a cada dia.
Nos dias 13 e 14 de setembro de 2007, com muita dificuldade e falta de apoio foi promovido o 1º Encontro de Fuscas e Veículos Antigos de Cabo Frio, que para os participantes na época, sem duvida nenhuma, foi um acontecimento que jamais terão esquecido. Tudo muito simples e primitivo, mas com um sabor incomparável de realização plena. E com a união do grupo de amigos estamos até hoje, com um clube legalizado, com autonomia para vistoria de placa preta, com mais seriedade e responsabilidade social.
Hoje o resultado é: AFUVA/CF (Associação de Fuscas e Veículos Antigos de Cabo Frio) que tem como nome fantasia “Fuscamania de Cabo Frio”. E agora todos juntos fazemos parte da história da nosso clube com 30 associados.
Para filiação ao clube, hoje é preciso freqüentar os encontros mensais, preencher uma ficha de pré inscrição e depois de 3 meses se for aprovado pelos demais integrantes faz-se a inscrição definitiva.

  Dificuldades, alegrias, realizações, aspirações… Como é estar à frente do Fuscamania de Cabo Frio?

Elizete – É um grande prazer e satisfação estar à frente do Fuscamania. Faço tudo que posso com muito carinho e dedicação. Sempre fui convidada pelos amigos para ser a presidente. Depois do falecimento do amigo Elcio não tive dúvidas e aceitei o convite, pois ele era um grande incentivador da ideia. È uma tarefa que requer muita sabedoria e paciência, a maneira de pensar de cada um é bem diversificada e requer muita atenção, pois não podemos priorizar interesses únicos, precisamos pensar na equipe. Uma equipe fortalecida é aquela que se aproxima única e exclusivamente pela amizade e companheirismo, independente do veículo. O carro é um mero pretexto para se fazer amigos.

O 2º Encontro Anual do clube, realizado em 2010

  O V Encontro de Fuscas e Veículos Antigos de Cabo Frio acontecerá no dia 20 de outubro de 2013, na Praia do Forte. Como estão os preparativos para o seu evento anual?

Elizete – Estamos todos muito animados, pois este ano teremos o apoio da Prefeitura de Cabo Frio. Vai ser uma grande alegria receber todos os amigos em nossa cidade. Tudo será preparado com muito amor e carinho.

  Entre as muitas iniciativas de seu clube está o “Trófeu Roda Livre”. Conta pra gente o que é?

Elizete – O Troféu Roda Livre foi uma ideia que tivemos ao longo de nossa viagem ao Nordeste. É uma disputa saudável entre os associados, exceto presidente e vice-presidente. Existe uma tabela de avaliação do associado, onde todas as atividades são anotadas e pontuadas. Cada tarefa exercida vale pontos, como por exemplo: uso do uniforme, viagens, comprometimento com o clube, etc. Fica um clima de descontração entre associados, brincando uns com os outros para não perder pontos. No final do ano será entregue o troféu ao sócio que conseguir totalizar o maior número de pontos da tabela.

 “Dia da Ferrugem”. Essa feira de trocas de peças é mais uma novidade que foi lançada há pouco tempo. Conta como foi criado, o que é preciso para participar e se já tem mais alguma data programada para acontecer.

Elizete – O Dia da Ferrugem foi uma ideia inovadora e aprovada por todos. Eu notava que os homens precisavam de um tempo maior para trocar ideias e informações sobre as peças de carros, reformas, pinturas e etc…então comecei a organizar um dia especial para esse fim. Assim surgiu o Dia da Ferrugem. E o resultado foi excelente. O próximo Dia da Ferrugem será marcado depois do nosso encontro anual. Qualquer um pode participar, desde que seja somente troca sem fins lucrativos, não pode haver transação em dinheiro.

O “Dia da Ferrugem”: cada associado leva as peças que tem sobrando em casa e as troca com outros

  Nos encontros ouvimos muitas histórias do quanto significa determinada marca e modelo de carro para uma pessoa, das lembranças de infância e de muitas outras recordações. De onde vem sua paixão pelos carros antigos e qual o seu xodó sobre rodas? Aproveitando, nos conte algum fato marcante a bordo dele.

Elizete – É verdade, cada pessoa tem sua preferência por uma marca. Quando gosta de Fusca não tem jeito, pode ter o carro que for mais o xodó vai ser sempre o Fusca.
Eu e Edson quando morávamos no Rio de janeiro, já freqüentávamos os encontros de veículos antigos, chegamos a ir a um encontro em Interlagos – São Paulo a bordo do nosso Fusca, quando nossas filhas eram pequenas. Ele faz parte da história da minha vida, foram muitos fatos marcantes. E através deste meu xodó que hoje eu adquirir uma outra família chamada Fuscamania de Cabo Frio.

À esquerda, Elizete e Edson ao lado do xodó: o Fusca 1500 1973. À direita, Elizete com o neto, Luiz Otávio

  Não podemos deixar de falar da família. E você está com toda ela contaminada pelo vírus da ferrugem. Do marido ao neto. Fale mais sobre essa união e participação de todos.

Elizete – Somos todos antigomobilistas, cada um tem seu carro antigo. Todos contribuem muito com o movimento. Agradeço muito à minha família pela colaboração. Meu neto Luiz Otávio é minha verdadeira paixão, adora e conhece todos os associados do Fuscamania.
Assim formamos uma só família.

  Qual a sua visão do antigomobilismo no Brasil? Precisamos melhorar de alguma forma? Alguma sugestão?

    Então eu e o Edson começamos a movimentar a cidade para o primeiro encontro. No dia 5 de outubro de 2006, saímos pela manhã colocando nos parabrisas dos Fuscas da cidade convites para um encontro de amigos fusqueiros.

Elizete – Tem aumentado muito os admiradores pelos carros antigos e grupos que surgem no país. Isso é sensacional! Assim conseguiremos manter a história dos carros que marcaram épocas.
O que é mais preocupante é a banalização da placa preta, que já foi citada em outras entrevistas neste portal. Não conseguiremos resolver este problema sem ajuda de um órgão competente para fiscalizar e punir o infrator. A sugestão é a criação de um telefone para denunciar os infratores junto a este órgão.

  Fuscamaníacos, amigos e pessoas a quem gostaria de deixar alguma mensagem especial.

Elizete – Deixo aqui meus agradecimentos a meu marido Edson, minhas filhas, Tatiana e Juliana, meu neto Luiz Otávio e meus genros Junior e Giovanni, pela dedicação e apoio contínuo.
A cada um dos associados do Fuscamania pela colaboração, companheirismo e amizade.
Aos antigomobilistas pela luta na preservação dos carros antigos. Um grande abraço a todos…

À esquerda, passeio em comemoração ao Dia Mundial do Fusca. À direita, viagem de Fusca pelo Nordeste no final de 2012

 Nossa entrevista está chegando ao fim e deixamos aqui com a palavra a amiga especial e presidente Elizete Martins, a quem agradeço imensamente pela grande colaboração ao Portal Maxicar e a todos que nos prestigiam com suas visitas, para que possam conhecer um pouco sobre os clubes de carros antigos brasileiros.

Elizete – Eu que agradeço pela oportunidade e parabenizo este portal representado por esse casal nota 10, Fernando e Fátima pelo belo trabalho que exercem dando incentivo ao antigomobilismo com dignidade e respeito a todos.

Enfim, em nome de todos nós o nosso MUITO OBRIGADO.

Comentários do Facebook

Fatima Barenco

Editora do Portal Maxicar. Emails para essa coluna: fatima@maxicar.com.br

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário