Alexander Gromow Conteúdo Nossos Colunistas

Uma história de amor… – A despedida do VW CITI depois de 25 anos de produção na África do Sul

Uma história de amor… – A despedida do VW CITI depois de 25 anos de produção na África do Sul

Em 2010, o Volkswagen Citi — que é o VW Golf da primeira geração — foi descontinuado depois de 25 anos de sucesso na Áfica do Sul. Foi feita uma simpática campanha de despedida, na qual o último carro fabricado fez uma viagem por aquele pais colhendo mensagens de despedida que foram sendo escritas sobre ele com canetas de várias cores. Esta despedida foi anunciada por um comercial:

E cada dia percorrido foi registrado em vídeo colocado no YouTube, como o video a seguir, do quinto dia da viagem no trecho entre as cidades de Harrismith a Joburg quando da passagem pelo autódromo de Kyalami. Neste autódromo, que já foi sede de corridas de Fórmula 1, vários VW CITI se uniram ao “último de sua espécie” e todos deram uma alegre volta na pista.

Outros vídeos desta viagem de despedida podem ser vistos no seguinte canal do YouTube:www.youtube.com/goodbyeciti enquanto este canal permanecer no ar.

A campanha se encerrou no dia 28.01.2010 com a retirada do ar do site da despedida e o carro passando para o acervo do Museu da VW na África do Sul. Disto podemos fazer algumas comparações que infelizmente só servirão para deixar os amantes da marca aqui no Brasil acabrunhados e tristes. A VW da África do Sul é bem menor que a VW do Brasil, tanto que passou fabricando o mesmo modelo de Golf por 25 anos certamente por economia e pelo fato do mercado continuar comprando o modelo, mas lá se tem coração e respeito pelo que se fabrica. Basta ver a alegre e sentimental despedida feita para este carrinho, que certamente deve ter sido um marco da indústria automotiva por lá, tendo a sua produção sido iniciada um pouco antes da despedida do Fusca sul africano. Outro detalhe é o fato de lá existir um museu, pequeno, mas simpático, e aqui a VW do Brasil, com todo o poderio que tem, não deu um passo no sentido de fazer um museu local.

Por aqui, quando o Fusca se despediu em 1986 a fábrica emitiu um anúncio ofensivo ao carro e, por tabela, a todos que gostavam e gostam dele, dizendo:

O pior foi que a mesma e desrespeitosa temática foi usada pela fábrica na despedida do motor VW Boxer em 2005, uma tristeza para os amantes da marca…

Fica este registro para cravar as diferenças e mostrar que a VW do Brasil está muito aquém da África do Sul e do México no que se refere ao respeito por sua própria história, pelos amantes da marca e pelos carros que deixou de fabricar, mas que a mantiveram por muito tempo e “muito bem obrigado”.

A campanha feita para a despedida do “Vocho” no México foi linda e sensível e contou com várias peças das quais seguem duas para exemplificar o carinho dispensado ao Vocho, aliás, Fusca, em sua despedida mundial. A primeira representa o sentimento dos mexicanos com a despedida:

O segundo já fala no Última Edicion e apresenta a frase: “Porque tu lugar nadie lo podrá ocupar”. Que quer dizer: “Porque o seu lugar ninguém poderá ocupar”, simples e muito comunicativo:

Pelo jeito cada país tem a Volkswagen que merece…

 

 Alexander Gromow – Ex-Presidente do Fusca Clube do Brasil. Autor do livro EU AMO FUSCA e compilador do livro EU AMO FUSCA II. Autor de artigos sobre o assunto publicados em boletins de clubes e na imprensa nacional e internacional. Participou do lançamento do Dia Nacional do Fusca e apresentou o projeto que motivou a aprovação do Dia Municipal do Fusca em São Paulo. Lançou o Dia Mundial do Fusca em Bad Camberg, na Alemanha. Historiador amador reconhecido a nível mundial e ativista de movimentos que visam à preservação do Fusca e de carros antigos em geral. Participou de vários programas de TV e rádio sobre o assunto.

 

Comentários do Facebook

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Novidades dos Classificados