Coberturas Conteúdo Eventos

5º Encontro AGMH & V Encontro Nacional do Passat – Caxambu, MG

O Corvette 1975 (em primeiro plano) foi escolhido o melhor do evento pelo voto popular

5º Encontro AGMH & V Encontro Nacional do Passat – Caxambu, MG

Cobertura em dose dupla

Evento conjunto aconteceu na famosa estância hidromineral mineira

O Parque das Águas de Caxambú – MG recebeu no último final de semana — 12 a 14 de setembro — dois encontros de automóveis antigos simultâneos, um multi-marcas e o outro de um modelo específico da Volkswagen, que fez grande sucesso por aqui: o Passat. Tudo ‘junto e misturado’, graças à parceria entre o Grupo AGMH e o Passat Clube do Rio de Janeiro. Mas, a titulo de organização, vamos dividir essa cobertura em duas partes.

5º Encontro AGMH de Veículos Antigos

Camaro Type LT 1974 e pick-up El Camino 1971

Antigomobilistas mineiros e fluminenses mais uma vez não deixaram escapar a oportunidade de passar momentos tranquilos na cidade mineira, conhecida em todo o Brasil por suas águas minerais, de comprovado valor terapêutico e por seu parque temático, que esbanja verde e bem-estar. O Palace — um dos mais antigos hotéis da região e parceiro do grupo carioca AGMH Antigomobilistas nesta iniciativa — esteve lotado. E outros hotéis da cidade também tiveram sua frequencia reforçada graças ao evento. Foram cerca de 100 automóveis das mais variadas marcas, modelos e anos (sem contar os Passats).

Renault Caravelle 1964, de Antonio Pinto de Souza

Marco Antonio Baptista, de Volta Redonda-RJ teve a felicidade de ver premiado seu Corvette Conversível 1975 (foto principal). O superesportivo americano foi eleito o melhor veículo em exposição pelo voto popular. Titulo merecido, disputado com outros exemplares importados e nacionais que, se fossem eleitos, o troféu estaria em ótimas mãos. Caso da Chevrolet El Camino 1971, pick-up baseada no esportivo Chevelle; do Chevrolet Camaro Type LT 1974 amarelo com teto em vinil preto — que de qualquer forma foi um dos destaques do evento; do raro conversível Renault Caravelle 1964 do simpático Sr. Antonio Pinto de Souza, carro adquirido por ele zero quilômetro; ou do Dodge Charger R/T brasileiro 1977, da chamativa cor laranja, vindo da vizinha cidade de São Lourenço.

Chevette 1973 de Armando e o Zé do Caixão vindo de Campos dos Goytacazes
Victor Pinho ao lado de sua Kombi 1975 e dentro dela, com amigos do Nicteroy Clube de Veículos Antigos

Outros nacionais de destaque foram as Kombis “corujinhas” De Luxo 1974 e Standard 1975 (o ultimo ano de fabricação desta versão); o VW 1600 ‘Zé do Caixão’ 1969, de Campos dos Goytacazes – RJ e que rodou mais de 500 kms para estar ali; a Variant 1975 de Alexandre Thomaz, carro adquirido zero km pela família; o Chevette 1973 de Armando Loureiro (o “A” do Grupo AGMH), também comprado por ele zerinho, ou seja: há 41 anos!

momento do show do Cauby Peixoto ‘cover’ e o mestre de cerimônias Celso ‘Carvelho’, homenageando o prefeito de Caxambu, Jurandir Bellini e sua esposa

O coquetel de confraternização aconteceu na noite de sábado (13), nas instalações do Palace Hotel e contou com a participação do prefeito da cidade, Jurandir Bellini. Depois da divertida apresentação do maitre do Hotel Anderson — misto de Cantor e comediante —, que encarnou o artista Cauby Peixoto, chegou o momento da premiação dos veículos que se destacaram (veja a lista a seguir) e as homenagens.

A turma do Grupo AGMH Antigomobilistas, organizadores do evento

VEÍCULOS PREMIADOS – 5º Encontro AGMH de Veículos antigos

Fiat Spazio 1983 – Alexandre de Almeida, Juiz de Fora – MG
Variant 1975 – Alexandre Thomaz, Niterói – RJ
Fusca 1969 – Carlos Vinicius, Campos dos Goytacazes – RJ
Chevrolet C 10 1976 – Karol Araújo, Juiz de Fora – MG
Kombi 1974 – Robison dos Santos, Congonhas – MG
Renault Caravelle 1964 – Antonio Pinto, Três Rios – RJ
Camaro Type LT 1974 – Glauber Pires, Volta Redonda – RJ
Passat 1975 – Nilson Carvalho, Brasilia – DF
Corvette Conversível 1975 – Marco A. Baptista, Volta Redonda – RJ
Ford A Phaeton 1929 – Vilson Secundo, São Vicente de Minas – MG

 

   EXPOSIÇÃO       MOMENTOS       COQUETEL & PREMIAÇÃO


V Encontro Nacional do Passat

Os Passats tiveram lugar de destaque no evento

Depois de quatro edições em Curitiba – PR (a primeira em 2004), o Encontro Nacional do Passat este ano aconteceu no Sudeste. A parceria entre o Passat Clube do Rio de Janeiro / HP do Passat e o grupo AGMH Antigomobilistas levou a Caxambu um evento que reuniu cerca de 50 Volkswagens Passat, desde sua primeira versão, a “L”, de 1974, até às ultimas, de 1988, quando o modelo deu adeus à linha de produção. E este ano o evento teve um sabor todo especial, já que Passat está completando 40 anos!

À medida que “envelhece” (no bom sentido…) ele vai mais e mais caindo no gosto dos antigomobilistas, o que é uma ótima notícia para a preservação do modelo histórico para a Volkswagen do Brasil, já que foi o primeiro a fugir à antiga regra de motor refrigerado a ar instalado na traseira. Foi também o primeiro VW nacional com tração dianteira.

A evolução ao longo dos anos

Nas fotos acima, um Passat da primeira geração (1975) e um esportivo GTS Pointer de 1988, ano de despedida. Veja como o Passat evoluiu ao longo de 14 anos, sem jamais perder sua identidade.


“Passateiros” de várias partes do Brasil prestigiaram a festa. O jovem Guilherme Deitos fez questão de comparecer, mesmo não podendo trazer seus carros. Morador de Serafina Corrêa, no Rio Grande do Sul, ele planejou durante meses a viagem. Ia embarcar seus Passats em uma plataforma, que ele mesmo iria guiar em parceria com um companheiro de viagem, pelos quase 1.400 quilômetros, atravessando os estados de Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Mas um imprevisto de última hora impediu sua aventura. Para não perder a festa, pegou um vôo até Belo Horizonte, viajando de carro até Caxambu.

Os irmãos Joseilton e Nilson, suas esposas e seus Passats: do Distrito Federal para participar da festa

Assim, ficou para os irmãos Joseilton e Nilson Cavalcante a honra de serem os “passateiros” que de mais longe partiram. Foram 1.000 quilômetros desde Brasília – DF a bordo de dois Passats: o de Joseilson um GTS Pointer 1986 vermelho, inteiramente original de fábrica. Apesar de estar ainda em ótimo estado, o carro apresenta seus autênticos sinais do tempo, com pintura gasta nos cantos e vincos, pelos polimentos ao longo dos anos. Sabiamente, Joseilson faz questão de manter o carro assim, sem restauração.

Simas: viagem em dobro para não perder nadinha da festa

Já o Passat de seu irmão é um 1975 da cor Azul Caiçara, restaurado e em estado de novo. Apesar do emblema “L” da tampa traseira, Nilson nos explicou que seu carro é da versão “LM”, que é uma transição para o modelo “LS”, que seria lançado no ano seguinte. Confessamos a ele que não tínhamos conhecimento a respeito dessa versão.

Apesar de não morar tão longe assim de Caxambu, André Simas foi um dos participantes que mais rodou com seu Passat neste final de semana. A explicação: morador de Petrópolis – RJ, distante 320 quilômetros do evento, Simas chegou a Caxambu na manhã de sexta-feira (12), mas teve que voltar à sua cidade na noite do mesmo dia, já que tinha uma prova de pós-graduação na manhã do dia seguinte. Mas como não queria perder o final da festa, retornou a Caxambu sábado a tarde, permanecendo até domingo. Ao todo, 1.280 quilômetros a bordo de seu LS 1980 Bege Jamaica, na família desde novo.

Cláudio Mazzoni, a esposa Cláudia e o ‘Holandês Voador’, o mais antigo Passat do evento.

 

Ana Alice: “passateira” recente e já premiada

O presidente da Sociedade do Carro Antigo de Barbacena, Cláudio Mazzoni, levou ao evento o exemplar mais antigo, fabricado em 1974, que aliás, era o único do ano de lançamento. O carro Ocre Marajó, carinhosamente apelidado de “Holandês Voador”, divide sua garagem com o Fusca 1500 1971 que responde pela alcunha de “Pequeno Principe” e com a Brasília 1975 que pertenceu a seu avô é que é carinhosamente chamada de “Velha Dama”. Antigomobilismo é isso: não meros automóveis, mas membros da família!

De Niterói, Ana Alice Macedo foi a única mulher inscrita no V Nacional. Chegou a Caxambu a bordo de um Village 1988 recém adquirido. Ela faz muitos planos para deixa-lo “nos trinques”.

O estado de São Paulo compareceu com muitos exemplares. A caravana de Edson Júnior Rojo saiu da Capital Paulista de manhãzinha e foi composta de uma dúzia de Passats. O dele, um GTS Pointer 1988 é tratado com o máximo carinho, já que pertenceu a seu pai.

Edson Rojo saiu com os amigos de São Paulo, Capital. Caravana com cerca de 1 duzia de Passats

Mas a escolha deve ter sido muito difícil, já que o evento se notabilizou não apenas pela quantidade de carros, mas também pela qualidade, com exemplares incríveis das três fases: faróis redondos – 1974 a 1978; faróis retangulares grandes: 1979 a 1982 e faróis retangulares duplos: 1983 a 1988.

Em sentido horário, a partir do alto: TS 1977, Surf 1978, TS 1980 e LSE 1987

A cerimônia de premiação dos Passats aconteceu no sábado (13) a tarde, no próprio local do evento. Foram premiados em categorias como ‘o carro mais antigo’, ‘o carro mais novo’, ‘o “passateiro” mais jovem’ e ‘o mais velho’.

Os “passateiros” posam para uma foto oficial do evento
André Grigorevski é homenageado pelos parceiros do Grupo AGMH Antigomobilistas

O presidente do Passat Clube do Rio Janeiro, André Grigorevski, foi homenageado pelos parceiros do Grupo AGMH e também pelos demais organizadores do evento, pelo aniversário do site HP do Passat, fundado por ele há 18 anos! Como se pode ver, seu amor e incentivo a esse clássico nacional é de longa data!

 

Texto: Fernando Barenco
Fotos e edição:
Fátima Barenco e Fernando Barenco

   EXPOSIÇÃO       MOMENTOS       PREMIAÇÃO

Comentários do Facebook

Tags