Coberturas Conteúdo Eventos

Brazil Classics Fiat Show 2014 – Araxá, MG

Como já é tradição, o evento aconteceu nos jardins do Tauá Grande Hotel Termas & Convention

Brazil Classics Fiat Show 2014 – Araxá, MG

Gol de placa em Araxá!

Assim como na Copa do Mundo, o encontro de antigomobilismo reuniu amigos fanáticos pelas raridades expostas que encheu os olhos do público

O pátio do Tauá Grande Hotel Termas & Convention Araxá transformou-se, durante a 21 edição do Brazil Classics 2014, em um verdadeiro estádio de futebol ao expor durante os quatro dias de eventos verdadeiros campeões das quatro rodas. O mais importante, representativo e charmoso encontro de carros antigos do Brasil entrou no clima da Copa e apresentou de 18 a 21 de junho, na cidade mineira de Araxá, um verdadeiro time dos sonhos para os amantes do antigomobilismo.

Um trio de Cadillacs dos anos 1940. Em Araxá foi possivel ver exemplares dos mais variados anos e modelos.

Ferraris, Mercedes, Rolls Royces, Porches, Cadillacs, Fords, entre outros, fizeram a alegria dos mais de 20 mil visitantes que, junto com os expositores, firmaram mais uma vez que o Brazil Classics Fiat Show — realizado pelo Instituto Cultural Veteran Car – MG, coordenação de Ivana Magalhães, e patrocinado pela Fiat Automóveis e CBMM — ao prezar pela qualidade das raridades expostas e pela preocupação pelo conforto e diversão do público presente, consolida-se como o principal encontro da categoria no país, um dos mais importantes da América Latina.

No alto um maravilhoso trio de um elegante britânico, o Jaguar No setor de Mercedes Benz, além de uma réplica do Benz Patente Wagen de 1886 — considerado o primeiro automóvel do mundo — um exemplar da mítica 300 SL Gullwing, com suas portas 'asa de gaivota'
Acima um maravilhoso trio de um elegante britânico, o Jaguar
No setor de Mercedes Benz, além de uma réplica do Benz Patente Wagen de 1886 — considerado o primeiro automóvel do mundo — um exemplar da mítica 300 SL Gullwing, com suas portas ‘asa de gaivota’

Durante a abertura oficial do evento, na noite de quinta-feira (19/06), o presidente do Instituto Cultural Veteran Car – MG , Dr. Otávio Pinto de Carvalho, ressaltou que “mais que um encontro de carros antigos, o Brazil Classics é um encontro de amigos que amam o antigomobilismo”. E, realmente, é esse o espírito e o sentimento que o evento deixa a cada edição.

Expostos pela própria Fiat, modelos populares dos anos 1980 e 90 como O Oggi (versão esportiva CSS), Tempra e Tipo

Alguns dos automóveis expostos em Araxá estavam sendo exibidos pela primeira vez ao grande público. Foi o caso do Bugatti 1937 modelo 57. A Bugatti foi uma das principais marcas francesas de carro de competições nos anos 20. No Brasil, há apenas dois modelos.

O Bugatti Type 57 Stelvio-Gangloff 1937 ganhou o Prêmio Roberto Lee, como o mais importante veículo do evento

Outro que chamou a atenção, por sua raridade e valor histórico, foi a Ferrari Barchetta 225 S, de 1952. O modelo, um dos cinco exemplares existentes de oito produzidos para competições, foi restaurado em Maranello, na Ferrari, e recebeu motor original na oficina especializada da fábrica. Quem fez a entrega do carro foi o filho do comendador Enzo Ferrari.

A Ferrari Barchetta 225 S de 1952 também foi premiada: Troféu Hours Concurs

Modelos não reformados também tiveram destaque durante o evento. Dois Packards da década de 20, de propriedade do Museu Roberto Lee, possuem todas as peças, estofados e lataria originais, que atiçaram a curiosidade do público.

“O Brazil Classics Fiat Show é um verdadeiro relicário tamanha a qualidade e importância dos carros expostos. Temos orgulho em participar e patrocinar o evento durante todas essas edições”, enfatizou o Diretor de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da Fiat Chrysler América Latina, Marco Antônio Lage, durante a cerimônia de abertura.

O Museu Roberto Lee, de Caçapava-SP levou seu Tucker Torpedo. O único exemplar do Brasil. Em segundo plano, o Hispano-Suiza 1911 também pertencente ao acervo do museu

Leilão de Automóveis Antigos

Único da categoria realizado no Brasil, o leilão do Brazil Classics Fiat Show, que começou na 15ª edição, aconteceu na noite de sexta-feira, reunindo mais de 1.000 pessoas entre colecionadores, compradores, admiradores e curiosos.

Dos 84 automóveis cadastrados, 45 foram vendidos sob o martelo, movimentando R$ 1 milhão e 600 mil. O automóvel com o lance mais alto foi uma Ferrari 308 GTSi 1981, vendida por R$ 205 mil. O mais baixo foi uma Lambreta 1967, arrematada por R$ 11 mil e 500.

A cada edição o leilão de automóveis antigos ganha mais prestígio e espaço. Para o organizador do leilão, Sérgio Valente, o Brazil Classics é um dos eventos mais importantes no mundo do antigomobilismo. “É competitivo com qualquer outro evento mundial devido à alta qualidade de suas marcas e modelos. E o leilão complementa essa qualidade e importância”, avalia.

Noite de Premiações

Uma tradição do Brazil Classics Fiat Show é premiar os veículos que mais se destacaram durante o evento. Nesta edição a novidade foi a votação feita pelo público presente à exposição em três categorias: Clássico, Nacional e Esportivo.

Tatra Type 87 e Plymouth GTX: dois dos automóveis escolhidos pelo voto popular

Com um curioso design que privilegia a aerodinâmica, o Tatra T 87 1947, foi eleito pelo público como o mais clássico entre os clássicos. O veículo construído na Tchecoslováquia foi um dos carros mais rápidos do seu tempo, com seu motor V8, traseiro, refrigerado a ar. Uma Kombi 74 não restaurada foi vencedora na categoria nacional. E um Plymouth GTX 1970, modelo americano, o escolhido como o melhor esportivo pelo público.

A noite de premiação ainda consagrou diversos modelos, como um DeSoto 1929; Réplica Benz 1886, Fiat 509s 1924; Ferrari 250 GTE 2+2 1961; Ferrari 330 GT 2+2 1965; Ferrari Dino “flair and chair” 246 GTS 1974; Aston Martin DB6 Vantage 1966; Rolls Royce 1954 Presidencial; Cadillac 1941, Peugeot 1908, entre outros. O encerramento foi com a entrega dos troféus mais esperados: Lalique, Grande Destaque e Troféu Roberto Lee. A Ferrari Barchetta 1952 recebeu o Troféu Hors-Concours da edição. A raridade roubou os olhares do público por sua importância no cenário automobilístico internacional.

VEJA A LISTA COMPLETA DE VEÍCULOS PREMIADOS NO BOX ABAIXO.

Troféu Lalique – É transitório e dedicado a uma personalidade que se destacou no trabalho de crescimento e reconhecimento do antigomobilismo. Na edição 2014 o presidente da Federação Brasileira de Veículos Antigos (FBVA), Henrique Thielmann foi o escolhido devido ao seu trabalho a frente da Federação nos últimos sete anos.

Troféu Roberto Lee – A premiação mais aguardada da noite, o Troféu Roberto Lee, que premia o automóvel mais representativo do evento foi para a Bugatti 1937, carroceria Stelvio-Gangloff modelo 57. O troféu foi entregue por Mariângela Matarazzo Lee, filha do pioneiro do antigomobilismo no Brasil, Roberto Lee.

Texto: Pierre Menezes – Assessoria de Imprensa do evento
Fotos: Odair Ferraz
Edição: Fernando Barenco

   EXPOSIÇÃO

Lista completa de veículos premiados

Voto Popular
Clássico – Tatra T 87 1947 – André Beldi
Nacional – Volkswagen Kombi 1974 – Luiz Malta
Esportivo – Plymouth GTX 1970 – Afonso de Castro Gonzalez

Nacionais
DKW Fissore 1964 – Pedro Ladeira
Ford Landau 1979 – Eduardo Carone Costa Jr
Alfa Romeo 2300 1974 – Chassis nº 1 – Museu Nacional do Automóvel – José Roberto Nasser
DKW Malzoni 1966 – James Mendonça / Rodrigo Moura
Reggia 1978 – Eduardo Azevedo – Trabalho Artesanal
Ráplica Benz Patent Wagen 1886
Fiat 509 S Competizione 1924

Ferraris
250 GTE 2+2 1961 – Boris Feldman
330 GT 2+2 1965 – Nelson Rigotto
Dino “Flair and Chair” 246 GTS 1974 – Haroldo Felício
365 GTC 1969 – Oswaldo Borges da Costa Filho
365 GTB Daytona 1973 – Oswaldo Borges Costa Filho
308 GTS – Reinaldo Bergamini
308 GTS – Eduardo Brasil
512 BB Coupê 1982 – Haroldo Felício
512 BB 1981 – Boris Feldman
365 GT 2+2 1970 – José Paschoalini

Contemporâneos II (1971 a 1980)
Rolls Royce Corniche 1972 – Claudio Romi
Rolls Royce Corniche 1977 – Rafael de Castilho
Mercury Grand Marquis 1978 – Hugo Picchioni
Porsche Carrera RS 1973 – André Biagi
Mercedes-Benz 280 SE 1971 – Léucio Honório

Contemporâneos I (1961 a 1970)
Mercedes-Benz 220 1965 – Alexandre Murad
Mercedes-Benz 280 SE 1969 – Eduardo Carone Costa
Alfa Romeo Giulia Sprint GT 1966 – Emanuel Zveibil
Mercury Monterrey 1962 – Renato Malcotti
Jaguar Mark II 1961 – José Eduardo Assis Lefreve
Jaguar Mark II 1967 – Leonardo Morguette Carvalho
Jaguar Mark II 1962 – Gilbert Lausberg
BMW Cabriolet 1600 1970 – Fernando Antônio Marques
BMW Alpina 1969 – James Mendonça
Jaguar E Type Série II 1969 – Sergio Massa
Aston Martin DB 6 Vantage 1966 – Nelson Rigotto
Ford Mustang Conversível 1968 – Sergio Rolim
Ford Mustang Fastback 1965 – Paulo Lomba

Pós-Guerra – 1946 a 1960
Alfa Romeo 2500 6C Boneschi 1950 – André Beldi
Cadillac Eldorado Conversível 1953 – Nelson Rigotto Gouveia
Cadillac Brougham 1957 – Olivia Borges da Costa
Bentley Hooper 1955 – Fernando Burratini
Citroen 11 Familiare 1954 – Herbert Berckenhagem
Rolls Royce 1954 Presidencial – Nilson e Edenise Carratu

Rolls Royce 1954 Limousine – Museu JORM
Rolls Royce 1954 – Museu JORM
Studebacker Champion Conversivel 1949 – Navantino Alves Filho
Ford Skyliner 1957 – Eduardo Brasil
Ford Skyliner 1959 – Artur Calabro
Chevrolet Impala 1960 – Rafael Finardi e Luciana Finardi
Armstrong Sidelley Hurricane 1948 – Wolmir Cardoso
Ford Ranchero 1958 – Gilmar Zanini
Jaguar Mark II 60 – Eduardo Azevedo

Pós-Vintage – 1931 a 1945
Ford Modelo A Roadster 1931 – Plínio Molinari
Packard 1926 – Museu Roberto Lee
Cadillac 1939 V 16 – Rubio Fernal
Cadillac Coupe 1941 – Hugo Picchioni
Cadillac Conversível 1941 – José Cândido Murici
Cadillac 60 S 1941 – Joel Paschoalin – participante da premiação
Rolls Royce 1932 – Oswaldo Borges da Costa Filho

Vintage – 1919 a 1930
Buick Limousine 1929 – Marcos Vinicius Meduri
BMW Dixi 1928 – André Beldi
Packard 1926 – Museu Roberto Lee
Rolls Royce Phantom I – Museu JORM

Veteranos – até 1918
Peugeot 1908 – Oswaldo Borges da Costa Filho

Comentários do Facebook

Novidades dos Classificados